60 mil

Rátis receberá 60 mil pelo processo de intervenção no Bahia

Rátis receberá valor pelo processo de intervenção no clube, que tem prazo indeterminado

O advogado Carlos Rátis, interventor do Esporte Clube Bahia, receberá R$ 60 mil pelo processo de intervenção no clube.

O valor será bancado na íntegra pelo Esporte Clube Bahia. O montante foi fixado pela Justiça a partir dos honorários calculados do advogado.

Além disso, Rátis também poderá comprovar demais custos extras por meio de notas fiscais.

Tire outras dúvidas sobre o papel de Carlos Rátis na intervenção no Bahia:

Qual a função do interventor?

Carlos Rátis assume o clube com duas funções específicas: convocar novas eleições para o conselho deliberativo e realizar novo pleito presidencial.

Qual o prazo mínimo e máximo para o interventor cumprir seu papel?

Não existe um prazo preestabelecido. O interventor fica no cargo até cumprir as demandas designadas pela justiça.

O interventor pode contratar ou demitir algum jogador ou técnico do clube?

O interventor está habilitado a realizar qualquer função administrativa no Bahia, desde pagamento de salário até demissão de um eventual treinador, além de assinatura de contratos de patrocínio.

Os jogadores podem se negar a entrar em campo por conta da intervenção?

Não. Caso façam isso, serão demitidos por justa causa e terão de ressarcir o Bahia pelos danos causados. Os jogadores são funcionários do Bahia e não do presidente em exercício.

O interventor é remunerado? O dinheiro é pago pelo clube?

Carlos Rátis receberá R$ 60 mil e poderá comprovar demais custos extras por meio de notas fiscais. O valor será bancado pelo Bahia.

O interventor pode concorrer à presidência do Bahia após a conclusão do processo?

Não. Ele não é sócio do clube e, portanto, não teria condições dentro do estatuto tricolor.


Tabela interativa da Série A com atualização online

http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte: André Uzêda – A TARDE

Foto: Margarida Neide / AG. A TARDE