‘À LA GUARDIOLA’

À LA GUARDIOLA: Cristóvão projeta libertadores para o bahia

 


O treinador do Bahia, Cristóvão Borges, concedeu uma entrevista à ESPN, na qual tratou de diversos assuntos, entre eles o tempo em que esteve parado após a saída do Vasco, sem comandar nenhuma equipe do futebol brasileiro. Segundo o comandante, esta pausa em atividades no campo serviu-lhe para estudar e aprimorar seus conhecimentos no futebol.

“A experiência no Vasco foi enriquecedora. Eu saí, fui refletir, e analisei o que poderia fazer melhor. Criei um grupo de estudos com Rodrigo Poletto (preparador físico), Sebastião Rocha e Cassiano de Jesus (auxiliares). Pesquisei o que estava se trabalhando de melhor no mundo. Vimos vídeos, livros, pesquisamos na internet. Então, aperfeiçoamos o treinamento, tentando adaptações do que estudamos. Priorizamos os trabalhos técnicos, pois uma coisa que vimos é que no Brasil erra-se passes demais. Fomos atrás de escolas que hoje são melhores do que a nossa. Jogadores têm entendido bem”, declarou.

O técnico disse ainda que recebeu diversas propostas durante este período, mas que preferiu investir em sua carreira naquele momento. “Recebi oito propostas, e ninguém entendia isso, por que fiquei fora do futebol. O Ricardo (Gomes) disse que eu não queria trabalhar. Mas aquilo (o tempo de estudo) era acertado. Foi o maior investimento da minha vida. Quis me preparar melhor”, relatou à ESPN.

Cristóvão comentou sobre o futuro do Bahia no Campeonato Brasileiro e sobre a intervenção no clube. “Quero ir longe, ver o Bahia disputar a Libertadores… Seria um grande feito. Conversei com o Rátis ontem (quarta-feira) depois do jogo, mas o importante é que, sendo o presidente ou o interventor, todo mundo pensa no melhor para o Bahia. O futebol fica em paz para trabalhar. Mas não tem como ficar alheio a tudo o que acontece”, discursou o técnico.


Tabela interativa da Série A com atualização online

http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte: Redação Galáticos Online

Foto: ECB