Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Apresentado, Douglas não se incomoda com sombra de Jean: “Estou no meu auge”

Douglas se apresenta no Bahia ao lado de Diego Cerri (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)
28

Na tarde desta quarta-feira (10), o Bahia apresentou a sua nova contratação: o goleiro Douglas Friedrich, que se destacou pelo Avaí em 2017. O goleiro, de 29 anos, assinou contrato de três anos com o Tricolor, e foi apresentado pelo diretor Diego Cerri, que falou sobre o contratado:

Hoje nós vamos apresentar o nosso novo goleiro, que vem para somar com o Anderson e Rafael. Nós trouxemos em um contrato definitivo de três anos. Um goleiro que acompanhei muito de perto desde o Capivariano, Bragantino e que teve desempenho muito bom na última temporada. A gente tem convicção que ele vai fazer um trabalho muito bom

Douglas pertencia ao Corinthians, que o utilizou na negociação para contratar o lateral Juninho Capixaba. Além do goleiro, o Bahia recebeu R$ 6 milhões pela negociação. O jogador agradeceu a oportunidade de jogar no Esquadrão:

Quero expressar a minha alegria e gratidão a Deus por essa oportunidade, agradecer a confiança do nosso presidente Guilherme, Diego e todo clube que fez esforço para que eu viesse em definitivo e me tornasse um patrimônio do clube. Feliz pela temporada que passou e por chegar ao Bahia. É um passo à frente na minha carreira. Feliz não somente pela oportunidade, mas também pelo clube e empenho de todos que aqui estão. Pelo projeto, pela base que já foi construída, que esse ano de 2018 o time venha colher frutos e continuar com o trabalho que já vem sendo feito no Bahia

O goleiro foi perguntado sobre o peso da difícil missão de substituir Jean, que foi um dos grandes destaques do Bahia em 2017 e foi contratado pelo São Paulo.

Jean fez grande história no Bahia. Penso que é interessante essa história, que ele começou com dificuldade e superou. Méritos dele. Não tive oportunidade de trabalhar com ele, quem sabe no futuro. Fico feliz de chegar no Bahia, que não tem só o Jean, mas outros goleiros que tiveram história bacana. Chego para construir minha história, mostrar o profissional que sou, mostrar meu potencial dentro de campo, o ser humano e o homem que sou. Fazer o Bahia um time forte dentro de campo, para enfrentar todos os momentos que vamos ter no ano e penso que não só pela minha contratação, mas pela base que tem e pelos jogadores que chegaram. Temos uma expectativa muita grande para fazer um bom ano de 2018.

Além de defender Corinthians e Avaí, Douglas também jogou por Bragantino, Caxias, Capivariano, Galo Maringá, Ituano, Grêmio e o Naft Abadan, do Irã. Com toda essa experiência, o goleiro acredita estar no auge da carreira:

A teoria é essa, que o atleta se revele com potencial de chegar em um grande clube mais cedo. Mas a vida do atleta é construída durante as temporadas, durante os clubes que passou. Nunca tive uma grande oportunidade. Faz três anos que saí da minha cidade natal. E toda oportunidade que recebi, em clubes diversos aqui do Brasil, em todos esses lugares, eu fiz um tijolinho a mais na construção do homem que sou hoje. O mais importante é que hoje estou no auge como homem e profissional e chegando no clube que me dá essa condição de representar meu nome, minha cidade, minha família e ser útil aqui no Bahia para alcançar os objetivos do clube nessa temporada.

Confira o que Douglas falou na sua apresentação:

Copa do Nordeste
– Procuro conversar com atletas que tiveram oportunidade de disputar esse campeonato e, aos poucos, entender melhor essa competição. A preparação é parecida com outras competições. É uma competição que vai nos proporcionar clássicos quase que sequentes, e isso vai ser algo novo na minha carreira. Já me encontro numa maturidade, numa experiência para enfrentar esse desafio.

Chegada à Bahia
– Estou me sentindo muito bem aqui, fui muito bem recebido pela diretoria, comissão, pelos funcionários. O pessoal é muito alegre, muito acessível, muito simples. Eu também sou um cara muito simples, gosto de ter contato com todo mundo, gosto de me comprometer, conhecer histórias, conhecer a importância do clube para cada funcionário, ter esse vínculo, essa ligação que é importante. O Bahia é conhecido por todos, o que me deixa muito alegre. O clube tem se equiparado ao tamanho de sua torcida. O Bahia hoje tem estrutura, tem construído uma base, construído algo muito interessante, muito promissor, e cheguei para ser o tijolo dessa construção. É assim que tenho me sentido aqui. A questão da gíria é um contato que já estou tendo com todos, já estou me sentindo em casa, quero trazer logo minha família para viver nessa terra abençoada. Quero ser muito feliz no Bahia, fazer parte desse projeto audacioso do Bahia.

Comentários