Aprovando a atuação do Bahia, Carpegiani fala sobre triunfo: “Resultado justo”

Paulo Cézar Carpegiani concede entrevista coletiva (Foto: Marcelo Malaquias / Divulgação / EC Bahia)

Em entrevista coletiva após o triunfo do Bahia por 2 a 0 sobre a Ponte Preta neste domingo (5), o treinador Paulo Cézar Carpegiani declarou ter ficado satisfeito com o desempenho da equipe na partida na Arena Fonte Nova. Para o técnico, o resultado foi justo e refletiu o que aconteceu em campo.

Resultado justo de uma equipe que tentou criar, que enfrentou uma equipe bem plantada, rápida. Estou satisfeito pelo resultado. Alguns momentos do segundo tempo apertamos a marcação, compactamos bem. Me agradou. Hoje o importante era vencer. Não deixamos dúvidas que qualquer resultado que não fosse a vitória nossa não seria justo.

O Bahia foi a campo com uma formação ofensiva, com apenas um volante: Renê Júnior. Carpegiani escalou quatro meias ofensivos: Allione, Vinícius, Zé Rafael e Mendoza. O treinador já adiantou que Allione deverá continuar entre os titulares, ao menos para a próxima partida, contra o Avaí.

O propósito era que sabia que a gente precisava ter a bola, o passe correto. Dentro das possibilidades que temos, pensei que teríamos que ter um passe diagonal. Ter em campo os melhores jogadores, aqueles que estão para começar uma partida. O gol saiu em um passe do Allione, que é muito inteligente, competitivo, e vai ter a continuidade. Minha ideia foi essa.

Carpegiani tem um aproveitamento de 61% com o Bahia. Foram três triunfos, dois empates e uma derrota em seis jogos. O treinador falou sobre seus bons números pela equipe:

Futebol é resultado. Quando cheguei a tabela que a gente tinha, quem iria projetar que conseguiríamos isso. A entrega dos jogadores tem sido importante, conseguimos resultados. A partida que perdemos tivemos um segundo tempo bom. Sem tirar o mérito do Flamengo, mas alguns erros foram fatais. O resultado não condiz com o que foi o jogo. Detalhes decidem uma partida, uma recomposição rápida. Esse tipo de aprendizagem nos dá a possibilidade de olhar e ter confiança, convicção do que podemos produzir. A tendência é melhorar. Podemos a partir de agora dar uma olhada para frente.

O Bahia é o 10º colocado do Campeonato Brasileiro, com 42 pontos. O próximo desafio da equipe é o Avaí, na próxima quarta-feira (8), em Florianópolis.

Confira o que Carpegiani falou na entrevista coletiva

Confronto direto

– Enfrentamos a Ponte Preta, confronto direto. Todos esses jogos tem um certo desespero, seis pontos. Situações que se vende caro. A Ponte é uma equipe ajustada, rápida, tem jogadores leves, assim como é a nossa. Se você erra em qualquer lance, pode gerar um contra-ataque. Quando se joga assim, o erro de passe propicia o contra-ataque. Tivemos dificuldades no primeiro tempo. O Juninho entrou no segundo tempo e entrou bem, tivemos mais presença, mais marcação. Fizemos uma marcação forte e a Ponte se resumiu a tentar contra-atacar. Depois do gol facilitou, não posso negar. No segundo tempo desperdiçamos oportunidades. Erramos no passe final.

Recomposição

– Dou liberdade para trocar de posição na frente, mas a recomposição está demorada. Tivemos dificuldades. Sei que final de temporada é difícil, mas exijo isso, tem que me dar o que pode, e tenho que dar uma freada. Eles não estão medindo esforços e estamos conseguindo os pontos necessários para fazer uma boa campanha. Agora a gente pode sonhar com uma coisa melhor. Temos que melhorar cada vez mais nesses jogos que restam. Temos que fazer o dever de casa, com apoio da torcida. Fora vamos tentar ganhar também.

Arbitragem

– Eu preciso dar aquela chorada, que ninguém fala. Contra o Fluminense tivemos um pênalti em cima do Hernane que foi uma vergonha. Foi escandaloso. Estava 1 a 0. Poderia ganhar o jogo. O primeiro jogo que tivemos, contra o Palmeiras, tomamos o gol cedo e buscamos. Poderíamos ter virado. Não posso prever o que vai acontecer. Dentro de casa temos que ter convicção, sabendo que lá fora vamos encontrar dificuldades. Futebol é uma imposição de um estilo sobre outro. Temos que amadurecer esse estilo, buscar a vitória de qualquer forma. Essa cobrança que faço. Obrigação nossa ganhar o próximo jogo. Depois vamos ter o jogo contra o Sport, a cobrança é a mesma. Nada diferente. Temos a obrigação de ganhar. Sem especular resultados.

Leia também:
Em treino fechado, Bahia segue a preparação para enfrentar a Chapecoense
Juninho Capixaba quer triunfo contra a Chape: ‘Temos que ter um belo resultado’
FBF divulga tabela do Campeonato Baiano; confira o calendário do Bahia
Confronto entre Bahia e Chapecoense terá equipe de arbitragem de Pernambuco