Arena nova. Hábitos velhos

Flanelinhas agem livres no entorno da Arena Fonte Nova

No jogo entre Bahia e Corinthians, os flanelinhas fizeram a festa no entorno da arena


Passada a Copa das Confederações, acabou também o rigor na fiscalização e nas regras no entorno da Fonte Nova. Assim, uma velha 'praga', conhecida dos baianos, voltou a atacar.

No último domingo, 7, no jogo entre Bahia e Corinthians, os flanelinhas fizeram a festa no entorno da arena. Após o Viaduto dos Engenheiros, na região do entroncamento das ladeiras da Fonte das Pedras e dos Gales, seguindo na direção da Sete Portas, A TARDE flagrou dezenas deles guardando centenas de carros, a maioria estacionada irregularmente.

Questionados pela reportagem, todos eles, cinicamente, afirmavam que 'tinham autorização da prefeitura para cobrar pela vaga'. A confissão do erro, porém, vinha quando ninguém aceitava se identificar. Nisso, até cartel havia. O preço dos estacionamentos  era, em todos os lugares, de R$ 15 a vaga.

A Transalvador esclareceu a situação. "Claro que não há permissão para eles cobrarem pela vaga. Em alguns locais, o estacionamento, inclusive, é proibido. Quanto à cobrança ilegal, é questão de segurança, da Polícia Militar. Já quanto ao estacionamento proibido, o problema é que não temos efetivo sufuciente para fiscalizar 100% da área. Então, estamos dando prioridade para os locais mais próximos do estádio e nos quais o fluxo do transito seja atrapalhado", explicou o agente Jailson Cerqueira.

E as palavras eram verdadeiras. No trecho da Av. Vasco da Gama junto à Fonte Nova, A TARDE viu dezenas de veículos estacionados em local proibido serem rebocados.

Esperança por melhora – Já a ação dos flanelinhas ficou, pelo menos no último domingo, sem solução. Não havia policiamento nos locais das cobranças ilegais. Os  militares que se aproximavam da área afirmavam  não haver recebido ordem para coibir as cobranças.

Capitão Elbert Vinhático, do Batalhão Especializado de Policiamento em Eventos, explicou: "Nosso batalhão tem garantir a segurança dentro e na entrada do estádio. De acordo com as reuniões da PM, o entorno do estádio fica a cargo das companhias diárias. Não é uma questão exclusiva do jogo. Eu  não sei porque não há efetivos deles lá. De qualquer forma, é importante a informação. Peço até que vocês coloquem na matéria os locais exatos onde houve essa ação para que ela seja coibida nos próximos jogos".


Tabela interativa da Série A com atualização online

http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


 

Fonte: Ricardo Palmeira – A Tarde

Foto: Raul Spinassé – Ag. A TARDE