Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Bahia 0 x 0 Coritiba :: Raio-X – Scout – Melhores Piores Momentos

4

Sem público e com pouco futebol, Bahia e Coritiba Empatam Por 0 a 0

Partida realizada com portões fechados é marcada por trabalhada da arbitragem, que volta atrás em marcação de penalidade para o Coritiba

DESTAQUES DO JOGO

  • Trapalhada

Arbitragem

Aos 32 do 1º tempo, o árbitro marcou uma penalidade inexistente para o Coritiba. Após consulta aos auxiliares e ao quarto árbitro, desmarcou.

  • Não rendeu

Joel

Marquinhos Santos trocou Martinuccio por Joel, mas o atacante pouco rendeu no jogo. Com isso, o poder ofensivo do Coritiba foi prejudicado.

  • Lance Capital

38min/2ºT

Após bate-rebate na área, a bola sobra para Kieza. O atacante se posiciona, mas chuta mal, e Vanderlei faz a defesa. Foi a melhor chance do Bahia.

Bahia e Coritiba entraram em campo iguais e saíram da mesma forma. Com um futebol sofrível e sem público, as duas equipes empataram por 0 a 0, neste domingo, na Arena Fonte Nova. No dia de comemoração da independência do Brasil, o Bahia até vestiu amarelo para celebrar a data, que também marca o primeiro aniversário das eleições democráticas no clube, mas, assim como o Coxa, demonstrou apenas uma enorme dependência de um futebol de qualidade.

Em um jogo de baixo nível técnico, o momento de maior relevância foi a desmarcação de um pênalti para o Coritiba pelo árbitro Francisco Carlos Nascimento, após consulta a seus auxiliares.

A partida foi realizada com portões fechados, sem a presença do torcedor, por conta da punição recebida pelo Bahia – por  superlotação do estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana, na partida contra o Santos, pela 8ª rodada.

Com o resultado, o Bahia chegou a 17 pontos e segue na 19ª posição, enquanto o Coritiba tem drama semelhante, com os mesmos 17 pontos e na 18ª colocação. Na próxima rodada, o Bahia vai até Belo Horizonte enfrentar o líder Cruzeiro, no Mineirão, na quinta-feira, às 20h30 (horário de Brasília). O Coritiba joga um dia antes, na quarta, no Couto Pereira, diante da Chapecoense, às 21h (horário de Brasília).

Zé Love é derrubado por Lucas Fonseca, na partida do Coritiba contra o Bahia (Foto: Diego Marinelli/ Site oficial do Coritiba)

Partida foi marcada por lance em que Zé Love foi derrubado

O jogo

Em situação ruim na tabela, Bahia e Coritiba entraram em campo sabendo da necessidade da vitória para tentar fugir da zona de rebaixamento. Sem o apoio do torcedor, o Bahia começou o jogo perdido, repetindo velhos erros, além de demonstrar a constante falta de criatividade no meio de campo. Enquanto isso, o Coritiba passou a dominar as ações. Conhecedor do elenco do Bahia, clube onde trabalhou até o final de julho, Marquinhos Santos armou o Coxa explorando as falhas do Tricolor. Posicionado nas costas do lateral Roniery, Zé Love foi um dos principais jogadores alviverdes na primeira etapa.

Ao Bahia, restaram os chutes de longa distância e, após o domínio verde-branco, algumas jogadas de contra-ataque. O goleiro Vanderlei só foi importunado em um chute de longa distância, feito por Léo Gago, e em um lance rápido de ataque desperdiçado por Diego Macedo. Melhor em campo, o Coritiba teve duas grandes chances, ambas com Zé Love, uma de cabeça e outra em chute forte, que passou perto do gol de Lomba. Aos 35 minutos, Lucas Fonseca derrubou Zé Love fora da área, mas o árbitro Francisco Carlos Nascimento marcou pênalti. Após muita reclamação por parte dos tricolores, e alguns consultas a seus assistentes, o árbitro voltou atrás e desmarcou a anotação – para desespero dos paranaenses. O mesmo árbitro já havia passado por essa situação, na Série B de 2012, quando desmarcou um pênalti que havia assinado a favor do Joinville diante do Atlético-PR.

Kleina muda, mas Coritiba segue melhor

Pressionado para conseguir o resultado dentro de casa, Kleina mudou o Bahia no intervalo. O técnico Gilson Kleina sacou Fahel e Roniery para as entradas de Henrique e Guilherme Santos. As mudanças pouco ajudaram, e o Bahia seguiu sem criatividade. Por outro lado, o Coritiba diminuiu o ritmo, mas se manteve com o domínio da parte. Diante da inoperância baiana, voltou a criar chances de gol. E levar perigo ao gol de Lomba.

Na segunda metade da etapa final, o Bahia voltou ao jogo, mas mais uma vez esbarrando na falta de criatividade. Na base do abafa, o Tricolor conseguiu chegar com perigo em uma cabeçada de Henrique. Léo Gago também tentou de longe, mas parou em Vanderlei. A grande chance do Bahia caiu nos pés de Kieza, que, livre de marcação, chutou em cima do goleiro do Coritiba. Sem público e com um futebol sofrível, Bahia e Coritiba terminaram a partida iguais no placar e no drama.

O melhor: Vanderlei. O goleiro do Coritiba salvou o Coritiba, principalmente nos minutos finais quando o Bahia pressionou na busca de seu gol.

O pior: Rhayner. O atacante do Bahia não conseguiu ser objetivo durante toda a partida e ainda conseguiu tomar um cartão amarelo quando estava assistindo o restante do jogo do banco de reservas, ao ser substituído.

Chave do jogo: O Coritiba foi melhor durante boa parte do jogo e falhou nas conclusões. Por outro lado, os donos da casa estiveram abaixo do esperado e não foram competentes nos minutos finais.

Para lembrar: Suspensos. O lateral Pará, além dos atacantes Henrique e Kieza levaram o terceiro cartão amarelo na noite deste domingo e irá desfalcar o Bahia na próxima rodada.

Punição. O jogo foi disputado com portões fechados por conta de uma punição sofrida pelo Bahia no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube sofreu o gancho por conta de incidentes na partida diante do Santos, dia 29 de maio, em Feira de Santana. Na oportunidade, houve superlotação no estádio Jóia da Princesa e um torcedor atirou uma lata no campo que quase acertou o então técnico do time paulista, Oswaldo de Oliveira.

Uniforme diferente. O Bahia entrou em campo com uma camisa amarela e a inscrição #Independência nas costas. Na frente estava escrito "Independência tricolor." O uniforme faz referência a independência do Brasil comemorado neste domingo e a data da intervenção na diretoria do clube nordestino que provocou novas eleições para a presidência, em 2013.

Próxima rodada. O Coritiba volta a jogar na quarta-feira, às 21h, quando encara a Chapecoense, no Couto Pereira. Por outro lado, o Bahia visita o Cruzeiro, quinta, às 20h30, no Mineirão. 

Bahia 0 x 0 Coritiba

Campeonato Brasileiro 2014 – Série A – 19ª Rodada

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador-BA

Data: 07 de setembro de 2014, domingo

Público: Digno do espetáculo

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (Fifa-AL)

Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque-AL e Carlos Jorge Titara da Rocha-AL

Cartões amarelos: Bahia: Roniery, Henrique, Rhayner, Pará, Uelliton e Kieza; Carlinhos e Robinho (Coritiba)

Bahia: Marcelo Lomba; Roniery (Guilherme Santos), Lucas Fonseca, Titi e Pará; Rafael Miranda, Fahel (Henrique), Léo Gago e Diego Macedo; Rhayner (Rafinha) e Kieza

Técnico: Gílson Kleina

Coritiba: Vanderlei, Norberto, Welinton, Leandro Almeida e Carlinhos; Gil, Rosinei, Robinho e Elber (Dudu); Martinuccio (Joel) e Zé Love

Técnico: Marquinhos Santos

SCOUT

[**SCOUT**]

ATUAÇÕES

Header_BAHIA (Foto: Infoesporte)

Zé Love e Lucas Fonseca travam bom duelo em Bahia x Coritiba

Atacante do Coxa e zagueiro tricolor são os principais destaques da partida sem gols

MARCELO LOMBA – GOLEIRO

Não foi muito exigido na partida. De positivo, foi a incisiva reclamação ao árbitro até voltar atrás na decisão do pênalti.

Nota: 6,0

RONIERY – LATERAL-DIREITO

Apoiou pouco, deu muito espaço para Zé Love e foi substituído no intervalo.

Nota:5,0

GUILHERME SANTOS – LATERAL-ESQUERDO / MEIA

Entrou no lugar de Roniery. Tentou jogar mais pelo meio-campo, mas não conseguiu fazer jogadas com o Pará pelo setor. Acabou não influenciando na evolução do time.

Nota: 5,0

LUCAS FONSECA – ZAGUEIRO

Foi o melhor jogador do Bahia. Ganhou as disputas contra Zé Love, foi seguro e rápido.

Nota:7,0

TITI – ZAGUEIRO

Muito irregular na partida. Teve altos e baixos, comprometeu em certos momentos. Por sorte, o Coxa foi mal nas finalizações.

Nota:5,5

PARÁ – LATERAL-ESQUERDO

Muito mal. Falhou nas saídas de bola, não esteve bem na marcação e ainda apoiou pouco. Partida muito abaixo.

Nota:4,0

FAHEL – VOLANTE

Fez uma partida fraca. Teve dificuldade para encaixar a marcação no meio-campo, atrasado nos botes, lento nas saídas de bola.

Nota: 4,5

HENRIQUE – ATACANTE

Muita vontade, pouca eficiência. Tentou fazer companhia para Kieza, mas não foi muito bem. Teve uma boa chance, mas cabeceou mal.

Nota:5,0

RAFAEL MIRANDA – VOLANTE

Regular. Conseguiu cumprir seu papel de marcação e não ajudou muito na criação.

Nota: 6,0

LÉO GAGO – VOLANTE

Criou boas oportunidades em bolas paradas apenas. Por pouco não fez um golaço, que parou numa grande defesa de Vanderlei.

Nota:6,5

DIEGO MACEDO – MEIA / LATERAL-DIREITO

No primeiro tempo não foi bem no meio-campo. Na segunda etapa também não conseguiu contribuir muito como lateral. Abaixo de suas últimas atuações.

Nota:5,5

RHAYNER – ATACANTE

Sua atuação típica: muita dificuldade para definir as jogadas. Deu um bom passe para Diego Macedo, mas acabou não sendo decisivo na frente. Correu e lutou como sempre.

Nota:5,5

RAFINHA – ATACANTE

Entrou bem na partida. Criou boas chances e oportunidades de gols. Deixou Henrique em ótimas condições de marcar, mas o companheiro perdeu o gol.

Nota: 7,0

KIEZA – ATACANTE

Sofreu pelo distanciamento do time dele. Teve uma chance em rebote no bico da pequena área. É o tipo de lance que não se pode falhar.

Nota:5,5

FRANCISCO CARLOS DO NASCIMENTO – ARBITRAGEM

Aos 32 do 1º tempo, o árbitro marcou uma penalidade inexistente para o Coritiba. Após consulta aos auxiliares e ao quarto árbitro, desmarcou. Um verdadeiro trabalhão

Nota: 3,0

PROGRAMAÇÃO

Tricolor se prepara para o returno do Brasileirão

Após encerrar o 1º turno do Brasileirão, o Bahia agora se prepara para o início do returno. O tricolor terá dois desafios importantes pelo campeonato nacional.

Na quinta-feira (11), o Esquadrão vai até Belo Horizonte, onde enfrenta o Cruzeiro, às 20h30, no Mineirão.

Já no próximo domingo (14), o Bahia enfrenta o Figueirense, às 16h, no estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana.

Confira a programação semanal do tricolor:

Segunda-feira (08) – 15h30: Treino, Fazendão;

Terça-feira (09) – 15h30: Treino, Fazendão;

Quarta-feira (10) – 09h: Treino, Fazendão;

– 16h15: Embarque para Belo Horizonte;

Quinta-feira (11) – 20h30: Jogo contra o Cruzeiro, no Mineirão;

Sexta-feira (12) – 10h20: Desembarque previsto em Salvador;

Sábado (13) – 09h: Treino, Fazendão;

Domingo (14) – 16h: Jogo contra o Figueirense, no Joia da Princesa.

Comentários
Carregando...