Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Bahia 3 x 0 Figueirense :: Raio-X, Scout, Gols e Ficha Técnica

10

Kieza marca dois, e Bahia interrompe sequência invicta do Figueirense

Partida é marcada por baixo nível técnico, devido à qualidade ruim do gramado, e briga entre torcidas na arquibancada. Oito são presos

DESTAQUES DO JOGO

  • Pra lá e pra cá

Fim de tabus

A partida marcou o fim de duas marcas entre os adversários: o Bahia vinha de seis jogos sem vitória, e o Figueira chegava de oito partidas de invencibilidade.

  • Para lamentar

Briga de torcida

As organizadas de Bahia e Figueirense se envolveram em uma confusão no primeiro tempo. A Polícia Militar agiu com rapidez e prendeu oito brigões.

  • Cadê o tapete?

Gramado ruim

Bahia e Figueira sofreram neste domingo devido às condições ruins do gramado do Joia da Princesa. Erros de passe se multiplicaram e dificultaram a criação de jogadas.

A CRÔNICA

Era um estádio muito engraçado. Quase não tinha gramado, quase não tinha nada. Foi no Joia da Princesa, em Feira de Santana, que o Bahia bateu o Figueirense por 3 a 0 pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O estádio, que foi palco de superlotação no jogo contra o Santos, pela 8ª rodada, levou à punição do Tricolor baiano com um jogo de portões fechados e outro longe de Salvador. Por ironia, o castigo foi cumprido exatamente no seu local de origem, que voltou a receber um duelo de Série A na tarde deste domingo.

Habituadas à qualidade das grandes arenas da Copa, as equipes penaram para fazer a bola rolar em um campo em péssimas condições, e a torcida ajudou a piorar o espetáculo no interior baiano. Em campo, um triunfo importante para o mandante, que interrompeu uma sequência de oito jogos de invencibilidade do Figueira, com direito a golaço de Kieza: o atacante balançou a rede adversária duas vezes ainda no primeiro tempo, e Maxi completou o placar no finalzinho. Na arquibancada, novo episódio lamentável de violência entre torcidas e prisão de oito pessoas. No início da partida, torcedores do Bahia arrancaram uma faixa da torcida adversária, pulando com facilidade o alambrado que separava os grupos. A Polícia Militar agiu com rapidez.

Bahia x Figueirense - comemoração de gol (Foto: Repodução)

Aos seis jogos, Bahia conquista triunfo no Campeonato Brasileiro

Com o resultado, o Bahia alcançou 20 pontos e estacionou na 18ª posição, ainda na zona de rebaixamento, mas em local mais confortável que a lanterna ocupada antes de a bola rolar. O Figueirense fica na 12ª colocação, com 25 pontos. Na próxima rodada, o Tricolor enfrenta o Botafogo no Maracanã, enquanto o Figueira recebe o Criciúma, no Orlando Scarpelli.

Confusão, gramado e Kieza

Com o gramado em péssimas condições, prevaleceu quem soube aproveitar as oportunidades criadas. Apesar do baixo nível técnico do duelo, o Tricolor baiano conseguiu superar o adversário no primeiro tempo, com dois gols de Kieza. O primeiro deles, aos 17 minutos, surgiu a partir da uma falha da zaga catarinense, que deixou o atacante livre na pequena área para mandar para o gol. O segundo, seis minutos depois, foi uma pintura: Kieza recebeu na área e bateu milimetricamente rumo à meta de Volpi. Uma bola com curva que morreu no fundo da rede, depois de quase raspar pela segunda trave. Apesar da desvantagem, o Figueira não esmoreceu e procurou o empate. As melhores chances foram de Giovanni Augusto, que mandou um chute pela linha de fundo e outro para defesa de Marcelo Lomba.

Na segunda etapa, o Figueirense voltou disposto a superar as dificuldades do gramado e partir para o ataque. No entanto, o Bahia, com postura defensiva, fez a sua parte para frustrar o ímpeto inicial do adversário. A partir dos 10 minutos, o desenrolar do jogo não foi dos melhores para a audiência, que assistiu a diversos erros de passe e poucas chances criadas. Giovanni Augusto e Pablo ameaçaram pelo lado catarinense, com bela defesa de Lomba após um chute do atacante com endereço certo. Uelliton assustou Volpi em uma bela cabeçada. O Bahia teve desempenho levemente superior ao adversário e ainda ampliou aos 39, com gol de Maxi Biancucchi, que não marcava desde a 3ª rodada. Henrique ainda poderia ter feito o quarto, se não estivesse impedido quando mandou a bola para o fundo da rede.

O melhor: Kieza. Fez o que se espera de um atacante. Aproveitou as chances que teve. No primeiro, mostrou oportunismo. No segundo, extrema categoria.

O pior: Marquinhos. Atrapalhado, não conseguiu afastar a bola e praticamente deu de bandeja o primeiro gol ao Bahia.

Chave do jogo: Pontaria e falhas defensivas. De um lado, o time catarinense abusou das falhas no setor defensivo. Do outro, Kieza esteve em tarde inspirada, e não desperdiçou as oportunidades.

Para lembrar:

Aqui não! O árbitro Gilberto Rodrigues Castro Júnior não tolerou simulação, e amarelou um jogador de cada lado por conta disso. Primeiro, foi Giovanni Augusto que recebeu cartão após cair na área. Depois, foi o próprio Kieza.

Mais confusão. Mais um jogo no Joia da Princesa, e mais um com confusão. Desta vez, torcedores de Bahia e Figueirense entraram em conflito e precisaram ser contidos pela Polícia Militar. 

Sai zica! Autor do terceiro gol do Bahia, Maxi Biancucchi não balançava as redes desde 4 de maio, em jogo contra o Botafogo, pela terceira rodada do Brasileirão.

Bahia 3 x 0 Figueirense

Campeonato Brasileiro 2014 – Série A – 21ª Rodada

Local: Joia da Princesa, em Feira de Santana (BA)

Data: 14 de setembro de 2014, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Gilberto Rodrigues de Castro Junior (PE)

Assistentes: Ricardo Bezerra Chianca e Bruno Cesar Santos de Alcântra (ambos de PE)

Assistentes adicionais: Emerson Luiz Sobral e Gilberto Freire de Farias (ambos de PE)

Cartões amarelos: Bahia: Kieza e Rafinha; Figueirense: Giovanni Augusto

Gols: Bahia: Kieza 17’ e 24’ 1ºT; Maxi Biancucchi 38’ 2ºT

Bahia: Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Guilherme Santos; Rafael Miranda, Uellinton, Léo Gago e Emanuel Biancucchi (Marcos Aurélio); Rafinha (Maxi Biancucchi) e Kieza (Henrique)

Técnico: Gilson Kleina

Figueirense: Tiago Volpi; Willian Cordeiro, Marquinhos, Thiago Heleno e Cereceda; Paulo Roberto, Nem, Jefferson (Felipe (Jean Carlos)) e Giovanni Augusto; Everaldo e Clayton

Técnico: Argel Fucks

[**SCOUT**]

ATUAÇÕES

Header_BAHIA (Foto: Infoesporte)

Kieza decide para o Bahia

Centroavante marca dois gols na vitória tricolor por 3 a 0 e recebe nota 8,0. Rafinha e Maxi são outros que vão bem.

MARCELO LOMBA – GOLEIRO

Foi pouco exigido durante toda a partida. Quando a bola chegou a seu gol, mostrou presença.

Nota: 6,0

RAILAN – LATERAL-DIREITO

Seguro defensivamente e bem no apoio, trabalhando constantemente com Rafael Miranda pelo lado direito. Teve personalidade.

Nota:6,5

LUCAS FONSECA – ZAGUEIRO

Teria sido um dos melhores do time, caso não tivesse duas falhas. Foi bastante exigido, mas quase sempre levou a melhor no mano a mano com Clayton.

Nota:6,5

DEMERSON – ZAGUEIRO

Não teve que trabalhar tanto quanto o companheiro de zaga, mas foi mais regular.

Nota:6,5

GUILHERME SANTOS – LATERAL-ESQUERDO

Esteve melhor no primeiro tempo, inclusive participando da jogada que originou o escanteio no lance do primeiro gol. Caiu um pouco no segundo tempo.

Nota:6,0

RAFAEL MIRANDA – VOLANTE

Além de marcar, preencheu bastante o campo ofensivo, participando com frequência da criação das jogadas do Bahia.

Nota: 7,0

UELLITON – VOLANTE

Cumpriu bem seu papel na marcação. Foi um bom substituto para Fahel.

Nota: 6,5

LÉO GAGO – VOLANTE

Foi o mais discreto dos volantes. Também tentou sair quando teve chance, mas com menos destaque.

Nota:6,0

EMANUEL BIANCUCCHI – MEIA

Destoou. Recuou em alguns momentos para ajudar na saída de bola, mas ficou devendo como jogador de articulação. Não foi muito dinâmico. Acabou substituído.

Nota:5,0

MARCOS AURÉLIO – ATACANTE

Entrou na vaga de Emanuel Biancucchi e foi importante para o time. Deu o passe para Maxi Biancucchi marcar o terceiro gol do Bahia.

Nota: 6,5

RAFINHA – ATACANTE

Era a válvula de escape. Movimentou-se dos dois lados do ataque, sempre dando boa sequências às jogadas ou cavando faltas.

Nota: 7,0

MAXI BIANCUCCHI – ATACANTE

Entrou na vaga de Rafinha e conseguiu ser decisivo. Finalizou muito bem para marcar o terceiro gol, que praticamente matou o jogo.

Nota:7,0

KIEZA – ATACANTE

Fez sua melhor partida no atual Campeonato Brasileiro, com dois gols. Foi participativo, mostrou oportunismo e também categoria, com destaque para o segundo gol, num chute com efeito, bem colocado. Saiu aplaudido.

Nota:8,0

HENRIQUE – ATACANTE

Entrou na vaga de Kieza já perto do fim do jogo.

Sem nota.

PROGRAMAÇÃO

O Esporte Clube Bahia, até o fechamento desta matéria, não havia divulgado a Programação Semanal de treinos

Comentários
Carregando...