Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Bahia 3 x 1 Luverdense :: Raio-X: O Jogo, os Gols, Ficha Técnica, Scout e a Programação

0

Em noite de golaços, Bahia vence o Luverdense e segue na Copa do Brasil

Souza, Tiago Real e Willians assinam pinturas pelo Tricolor. Paulinho responde pelo Verdão do Norte. Bahia encara o Paysandu na terceira fase da competição nacional

Os padrões estéticos na partida entre Bahia e Luverdense, nesta quarta-feira, na Arena Fonte Nova, estavam elevados. Só valia gol bonito, e os jogadores dos dois times capricharam. Em noite de golaços, o Tricolor levou a melhor, venceu o Verdão do Norte por 3 a 1 e garantiu a vaga na terceira fase da Copa do Brasil. A primeira partida, disputada no Passo das Emas, em Mato Grosso, havia terminado em 0 a 0.

Léo Gamalho, Tiago Real e Willians Santana foram os artistas que assinaram os gols do Bahia. Paulinho não deixou o Luverdense por baixo e fez um lindo gol olímpico. Com o triunfo, o Tricolor Baiano enfrenta o Paysandu na sequência da competição. A primeira partida será em Salvador. A segunda no Mangueirão, em Belém. Os dois jogos ainda não possuem datas definidas.

Bahia e Luverdense voltam a jogar no sábado, às 21h (horário de Brasília), pela terceira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O time do Mato Grosso enfrenta o ABC no Frasqueirão, em Natal, enquanto o Tricolor visita o CRB para um duelo no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Léo Gamalho comemoração Bahia x Luverdense (Foto: FELIPE OLIVEIRA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO)

Léo Gamalho marcou o primeiro gol do Bahia contra o Luverdense (Foto: Felipe Oliveira/AGIF/Estadão Conteúdo)

O jogo

O Bahia mostrou logo no início do jogo o motivo de ter 88% de aproveitamento em casa em 2015. No ritmo dos 4771 torcedores que cantavam nas arquibancadas da Arena Fonte Nova, o Tricolor empurrou o Luverdense para o campo de defesa e dominou as ações. Léo Gamalho desperdiçou boa chance ao invadir a área e chutar cruzado. A bola foi parar na lateral. Na segunda oportunidade, o atacante mostrou faro de artilheiro e balançou as redes. Aos 14 minutos, recebeu passe na grande área, limpou a defesa do Verdão do Norte e marcou um belo gol. O time do Mato Grosso não esboçou reação e ficou em desvantagem maior aos 26 minutos, quando Tiago Real arriscou de longe e fez outro golaço. Ainda houve tempo para Zé Roberto acertar a trave em lance de contra-ataque. Passivo, o Luverdense foi para o intervalo com apenas uma finalização na direção da meta defendida por Douglas Pires.

Para a segunda etapa, os técnicos decidiram mudar os times. No Bahia, Patric sofreu um mal-estar no vestiário e foi substituído por Adriano. Junior Rocha decidiu adiantar o time e colocou o atacante Ciro na vaga do volante Junior Terceiro. O cenário da partida foi outro que sofreu alterações. O Tricolor continuava a atacar com muito perigo, mas o Verdão do Norte também passou a ter presença ofensiva e conseguiu diminuir a desvantagem no placar com gol olímpico de Paulinho, aos 20 minutos. Com o gol, a partida ficou equilibrada. O Bahia atacava em bloco, o Luverdense respondia nos contra-ataques, principalmente nas costas do lateral-direito Adriano, improvisado na esquerda. No embate, quem levou a melhor foi o time baiano, que marcou outro bonito gol, desta vez com Willians Santana, que recebeu passe em profundidade, driblou Edson Kölln e apenas tocou para a meta vazia.

O melhor: Léo Gamalho. Fez um belo gol, o primeiro do Bahia, e ainda criou bons lances no setor ofensivo, entre eles uma bela ajeitada de peito para finalização perigosa de Tiago Real. Fez muito bem o papel de pivô.

O pior: Edson. Destaque da primeira partida, poderia ter evitado o gol de Tiago Real, de fora da área.

Para lembrar:

Público discreto. A forte chuva que segue atingindo Salvador há quase um mês e a greve dos motoristas de ônibus prejudicaram a ida do torcedor tricolor à Fonte Nova. O público foi de apenas 4.771.

Reencontro. O Bahia não jogava ao lado da sua torcida desde a final do Campeonato Baiano, quando se sagrou campeão estadual após goleada de 6 a 0 sobre o Vitória da Conquista. Desde então, havia jogado duas partidas como visitante (América-MG e Luverdense) e uma sem torcida, em Pituaçu, contra o Mogi Mirim.

Bahia 3×1 Luverdense

Copa do Brasil 2015 – 2ª fase – Volta

Cidade: Salvador – Ba

Local: Arena Fonte Nova

Horário: 22hs00

Público: 4.708 pagantes.

Público total: 4.771.

Renda: R$ 75.629,00.

Árbitro: Renan Roberto de Souza – PB (CBF-1)

Árbitro Assistente 1: Kildenn Tadeu Morais de Lucena – PB (CBF-1)

Árbitro Assistente 2: Oberto da Silva Santos – PB (CBF-2)

Cartões: Bahia: Adriano; Luverdense: Julio Terceiro

Gols: Bahia: Léo Gamalho, Williams, Tiago Real; Luverdense: Paulinho

Bahia: Douglas Pires; Tony, Robson, Titi e Patric (Adriano); Pittoni, Tiago Real, Souza; Rômulo (Williams Santana), Zé Roberto (Mateus) e Léo Gamalho.

Técnico: Sérgio Soares.

Luverdense: Edson, Raul Prata (Diego Silva), Walace, Montoya e Paulinho; Júlio Terceiro (Ciro), Michel, Ricardo, Osman e Diego Rosa (Rafael Tavares); Luiz Eduardo.

Técnico: Júnior Rocha.

[**SCOUT**]

Avaliação

As notas do elenco Tricolor avaliadas por TB.com

1 – Douglas Pires: Mostrou raça em duas bolas divididas. Contudo está inseguro e se colocando mal. Todos os goleiros do Bahia estão demostrando insegurança no mesmo fundamento. Já chegou a hora de “avaliar o preparador”  Nota 5

2 – Tony: Limitado tecnicamente, encontrou uma avenida para trabalhar e não aproveitou. Continua afobado e usando a força física desnecessariamente para se impor defensivamente. Nota 5

3 – Robson: Seguro, não cometeu falhas durante toda a partida. Nota 7

4 – Titi: Assim como Robson, não deu chances ao adversário, mesmo com o pouco sentido de recomposição e marcação do meio campo, que expõe sistematicamente a defesa, cedendo contra-ataques, deixando o sistema defensivo no mano-a-mano várias vezes. Nota 7.

5 – Wilson Pittoni: Fez um grande primeiro tempo. Teve uma queda acentuada na volta do intervalo. Joga sobrecarregado na marcação, pela ausência de ajuda, principalmente de Tiago Real que é muito lento na recomposição. Tem o melhor passe do time. Nota 8

6 – Patric: Não é da posição e demonstra muito medo de errar. Inseguro, não apoia. Foi substituido por questões médicas. Não comprometeu. Nota 5

7 – Tiago Real: Perto da área adversária rende bem. Contudo, perde muitas bolas e não volta para marcar. Compromete o sistema defensivo. Na média, foi bem. Nota 6

8 – Souza: Corre muito, corre errado e se desgasta. Sobe desnecessariamente em muitas jogadas, abandonando o meio-campo. Já deveria ter desistido de bater todas as faltas. Terminou o jogo andando em campo. Nota 6

9 – Zé Roberto: Esforçado e voluntarioso. Precisa soltar mais a bola. Está ansioso para se firmar. Quer participar de todas as jogadas. Nota 7

10 – Rômulo: Apagado e perdido. Não foi sequer uma caricatura do que pode produzir. Fez sua pior partida. Nota 4

11 – Léo Gamalho: Vem melhorando a cada jogo. Foi efetivo marcando um golaço e dando uma assistência. Se movimentou muito e abriu espaços. Ele e Pittoni foram os melhores em campo Nota 8

17 – Willians Santana: Apareceu em três jogadas. Perdeu uma bola fácil, perdeu um gol de cabeça, mas marcou o gol que sacramentou o resultado. Nota 6

21 – Mateus: Não teve tempo para mostrar serviço. Impossível avaliar. Nota 5

22 – Adriano: Muito nervoso. Nota-se que está sob pressão. É rápido e precisa de mais confiança. Não comprometeu. Nota 5

Programação

Agora, pelo Brasileirão, Bahia encara o CRB

Quinta-feira (21) – 15h30: Treino, Fazendão;

Sexta-feira (22) – 08h30: Treino, Fazendão; 12h25: Embarque Maceió;

Sábado (23) – 21h: Jogo contra o CRB, Rei Pelé;

Domingo (24) – 07h15: Desembarque previsto em Salvador.

*As notas começam do índice 5.

**Programação sujeita à alteração

Comentários
Carregando...