Bahia abre a ‘Caixa de Pandora’

Bahia abre a "caixa de Pandora"


Pandora foi a primeira mulher que existiu, criada por Hefesto (deus do fogo) e Atena (deusa da justiça e da habilidade) auxiliados por todos os deuses e sob as ordens de Zeus. Feita à semelhança das deusas imortais, Zeus lhe mandou à espécie humana, como punição por terem os homens recebido de Prometeu o fogo divino. Pandora foi enviada a Epimeteu, que vendo radiante beleza, a tomou como esposa e lhe deu de presente a Caixa de Pandora que continha todos os males do mundo. Avisou a mulher que não a abrisse. Pandora não resistiu à curiosidade, abriu e os males escaparam. Por mais depressa que providenciasse fechá-la, somente conservou um único bem, a esperança.

A sensação que se tem no atual momento, é que o Bahia abriu a “Caixa de Pandora”, e que o interventor Carlos Rátis, por mais depressa que providenciasse fechá-la, somente conservou um único bem, a esperança.

O que parecia inevitável está acontecendo com o Esporte Clube Bahia. Se dentro de campo o técnico Cristóvão Borges consegue manter o time na linha, na disputa do Brasileiro, fora dele o interventor Carlos Rátis está enfrentando graves problemas para manter viva a “máquina Tricolor”. As consequências da intervenção decretada pelo juiz Paulo Albiani não teve o “poder mágico” de solucionar os problemas administrativos que estão se acumulando e ganhando proporções preocupantes.

Na semana passada foram os garotos que promoveram um quebra-quebra nas Divisões de Base por falta de comida e de qualidade na alimentação. O interventor publicou comunicado convocando os funcionários do clube que sumiram, fez reunião, e prometeu pagar salários atrasados até o final da semana. Os reforços não podem chegar, o clube não tem dinheiro, e os que estão com impasse administrativo, acionam o clube na justiça, como o meia argentino Paulo Rosales.

No primeiro dia de recadastramento, apenas 49 sócios compareceram, sendo que só 25 tinham condições de legalização, e os demais teriam que fazer nova filiação. nessa quarta-feira (17/7) o ex-vice-presidente jurídico e conselheiro do Bahia, César Oliveira, divulgou carta para a imprensa com críticas contra o processo de intervenção do Tricolor.

“Por três legislaturas seguidas, fui conselheiro do muito amado Esporte Clube Bahia, inclusive vice-presidente jurídico. A intervenção vai de mal a pior: sem recursos financeiros de nenhuma ordem, sem organização, sem vontade política, sem ouvir a corrente oposicionista majoritária e tradicional, tratando-a como adversários (?), se não inimigos, o certo é que a nau tricolor segue à deriva”, diz trechos da carta assinada pelo advogado César Oliveira.

Clube acumula prejuízos

Enquanto o técnico Cristóvão Borges, sem os reforços esperados e desfalques para o Ba-Vi de domingo como Fahel, Diones e Marquinhos Gabriel, – todos suspensos pela 3ª advertência do cartão amarelo -, literalmente “frita o porco com a própria banha” para montar o time na disputa do Campeonato Brasileiro, o Bahia acumula diariamente grandes prejuízos com a má administração do Departamento de Futebol Profissional. O grupo do “come e dorme”, jogadores que não estão no grupo à disposição do treinador, literalmente mina as finanças do Tricolor.

O argentino Paulo Rosales fazia parte deste grupo de jogadores afastados do grupo na disputa do Campeonato Brasileiro. Na semana que antecedeu a intervenção no clube, estava acertando sua saída, uma rescisão amigável com o Gestor de Futebol Anderson Barros. Mas desistiu e terminou entrando na justiça contra o Bahia pedindo indenização por quebra de contrato no valor de R$ 1 milhão.

Além de Paulo Rosáles, continuam recebendo, ou pelo menos fazendo jus aos seus salários, jogadores como Adriano Michel Jackson, Jefferson, Zé Roberto, Dani Morais, e Pablo, que estão fora dos planos da Comissão Técnica para a disputa do Campeonato Brasileiro, mas aguardam uma definição administrativa do clube para um possível acordo na rescisão de contrato.

Afastado do time principal do Bahia e treinando em turno oposto ao elenco, o atacante Adriano “Michael Jackson”, diz que “a vida é uma escola e tudo serve como lição” e nega qualquer tipo de indisciplina no Fazendão, além de dizer que quer resolver toda a situação no clube para poder seguir seu caminho.

Comissão muda com saída de advogado

Bahia: Grupo de apoio ao interventor Carlos R�tis sofre altera��o

O juiz Paulo Albiani, responsável pela sentença que determinou a intervenção judicial que afastou Marcelo Guimarães Filho da presidência do Esporte Clube Bahia, nomeou o professor Jaime Barreiro Neto para compor a Comissão que realiza os trabalhos da interventoria ao lado de Carlos Ratis. É que o advogado Alexandre Valente, alegando razões particulares, pediu afastamento do cargo.

O juiz da 28ª Vara Cível, Paulo Albiani, além de nomear Carlos Rátis como interventor do Bahia, definiu também um grupo de apoio ao interventor com os advogados Alexandre Valente Derschvm, Danielo Pessoa de Souza Tavares e Cyrano Vianna Neto. Alexandre pediu afastamento do cargo e o juiz nomeou como seu substituto Jaime Barreiros Neto, Mestre em Direito Público (UFBA), professor dos cursos de graduação e pós-graduação lato sensu em Direito da Universidade Católica do Salvador e da Faculdade Baiana de Direito, coordenador da Escola Judiciária Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia.

Enquanto isso, o Interventor do Esporte Clube Bahia, Carlos Rátis, continua enfrentando fortes “barreiras”, para conseguir cumprir sua função de regularizar administrativamente o quadro de sócios do clube e convocar a Assembleia Geral para a eleição do Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal e presidente do Conselho Diretor. Paralelo a esta “missão”, o interventor tem que solucionar os problemas financeiros, principalmente dos funcionários do Tricolor, que ele prometeu resolver a situação dos salários atrasados antes do Ba-Vi.

“Estamos em contato com os patrocinadores para tentar uma antecipação de receita. É uma prioridade quitar os problemas salariais de todos os funcionários o quanto antes", disse Rátis.


Tabela interativa da Série A com atualização online


Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem: Querosabertudo – musicadogol e TRE/Reprodução