Bahia e Arena divergem, e torcedor se afasta na reta final

Contramão: Bahia e Arena divergem, e torcedor se afasta na reta final

Má fase do Tricolor em campo e ausência de promoções deixam o clube sem o seu maior apoio em um momento delicado do Campeonato Brasileiro

Há quem diga que torcida não ganha jogo, mas não há quem discorde de que ela faz diferença. Na reta final do Campeonato Brasileiro, as equipes, independente de seus objetivos, costumam reduzir os preços dos ingressos ou realizar promoções para atrair o torcedor. Na última rodada do Brasileirão, não faltaram exemplos. Contra o Vasco, a Ponte Preta colocou entradas a R$ 2 e R$ 1. Mais de 13 mil torcedores empurraram a Macaca na virada diante do time carioca. No mesmo dia, o Fluminense recebeu o Vitória e vendeu ingressos a R$ 10. Resultado: mais de 30 mil pessoas fizeram uma bonita festa nas arquibancadas do Maracanã.

Vamos votar:

A maior Torcida do Nordeste

A BELA Tricolor Katiely Kathissumi precisa do seu voto

Não deixe de ler:

Bahia tem conta bloqueada pela justiça

Confira também:

Liga dos Campeões – Classificação – Tabela e Regulamento

Tabela interativa da Série A com atualização online

Os melhores vídeos – YouTube União Tricolor Bahia

Em Salvador, o quadro foi diferente. Na Arena Fonte Nova, os ingressos mais baratos na última rodada custaram R$ 30 e R$ 15 (inteira e meia), no setor super norte, área mais “popular” do estádio. Mas, com o Bahia em má fase, o público foi de apenas 8.021 presentes, com 6.415 pagantes diante do Atlético-PR. Três dias antes, com necessidade de vitória sobre o Nacional-COL, pela Sul-Americana, nada de promoção. O Tricolor venceu por 1 a 0 nos 90 minutos, e em seguida foi derrotado nos pênaltis, sob o olhar de 7.765 pagantes.

Bahia torcida Fonte Nova (Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia / Divulgação)

Sem promoções e bom futebol, presença da torcida diminui na Fonte

Enquanto isso, adversários na luta contra o rebaixamento seguem com preços mais atrativos ao torcedor. O Criciúma já lotou o seu estádio com ingressos a partir de R$ 2. E na parte de cima da tabela as promoções também acontecem. O Goiás, quinto colocado, já chegou a colocar ingressos à venda por R$ 10 e R$ 20. Agora, quem for ao Serra Dourada com o uniforme esmeraldino tem direito a pagar meia-entrada. Pelo lado do principal rival do Bahia, os preços também são mais baixos. Para a partida deste domingo contra o Corinthians, o Vitória vendeu os 30 mil ingressos de arquibancada a R$ 40 e R$ 20.

No entanto, o caso mais significativo no Brasileirão foi o do São Paulo. Em má fase na competição, o Tricolor paulista reduziu, desde agosto, o valor mais baixo para R$ 10 e o de sócio-torcedor para R$ 2. Com isso, a média de público, que era de pouco mais de 8 mil torcedores, chegou a mais de 23 mil e colocou o São Paulo como equipe de 4ª melhor média de público no campeonato.

Bahia diz ser a favor de promoção. Arena para no ‘Super Norte’

Publicamente o Bahia já demonstrou o desejo de realizar promoções de ingressos. Segundo o clube, houve inúmeras tentativas da realização de promoções. Informações de bastidores dão conta que o Tricolor chegou a apresentar propostas de redução de preço das entradas, mas todas foram negadas pela Arena Fonte Nova.

No dia 25 de outubro, pelo Twitter, Bahia anunciou a tentativa de negociação
bahia promoção (Foto: Reprodução/Twitter)

Por outro lado, desde setembro, a Fonte Nova setorizou as arquibancadas e criou o setor Super Norte, localizado no terceiro anel, atrás do gol da Ladeira da Fonte das Pedras. Neste setor, cerca de 6 mil ingressos são comercializados a preços inferiores aos praticados nos demais setores do estádio. As entradas custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Outro benefício do torcedor é que, desde que a nova gestão liderada por Fernando Schmidt, o sócio do clube passou a ter direito a pagar meia-entrada.

Público cresce contra gigantes, mas má fase atrapalha

Entre agosto e setembro, o Bahia jogou cinco vezes na Fonte Nova (Santos, Náutico, Criciúma, Cruzeiro e Inter). Neste período, o maior público foi no triunfo de 2 a 0 sobre o Náutico: 10.600 pagantes. O menor foi contra o Criciúma, quando apenas 6.484 foram ao estádio assistir à partida.

Depois de uma sequência de públicos ruins, o Tricolor chegou ao seu maior público pagante na Série A contra um dos gigantes do futebol brasileiro e adversário direto na luta do rebaixamento, o Vasco. No dia 29 de setembro, 31.946 torcedores pagaram ingresso para ver um insosso 0 a 0.

bahia atlético-pr (Foto: Ulisses Dumas / Ag. BAPRESS/Divulgação)

No último jogo na Fonte, muitas cadeiras ficaram vazias

No entanto, no jogo seguinte dentro de casa, contra a Ponte Preta, o público pagante despencou para 9.448. Em seguida, contra o maior rival Vitória e o São Paulo, dois bons públicos: 28.225 e 24.765 pagantes respectivamente. Mas após uma nova sequência de resultados ruins, o Bahia alcançou o seu pior público na Fonte Nova nessa Brasileiro. Apenas 6.415 torcedores pagaram ingresso nas bilheterias para assistir ao confronto contra o Atlético-PR. O público só foi menor do que o embate entre Bahia e Coritiba, ainda em maio, quando o Tricolor atuou no estádio de Pituaçu sob o olhar de apenas 4.874 pagantes.

A nova queda acentuada de público na Arena acontece em um momento fundamental do campeonato, onde clube e torcida normalmente se juntam por um objetivo em comum. Restando apenas três jogos na Fonte Nova, contra Atlético-MG, Portuguesa e Fluminense, o Bahia deixa evidente que ainda espera por uma promoção para atrair o torcedor na reta final. Procurada pelo GloboEsporte.com, a Arena não respondeu aos questionamentos sobre a falta dessas iniciativas nos jogos do Tricolor.


Fonte: Eric Luis Carvalho – GE.COM

Foto: Felipe Oliveira/ECBahia/Divulgação – Reprodução/Twitter e Ulisses Dumas/Ag. BAPRESS/Divulgação