“Calma e Sorte”

Calma e sorte: Marquinhos Gabriel receita para fim das chances perdidas

Contra o Criciúma e o Coritiba, Bahia abusou das chances desperdiçadas. Bolas na trave e chutes perdidos na cara do gol marcaram último jogo

Segundo tempo de Bahia x Coritiba, no estádio de Pituaçu, em Salvador. Partida empatada em 0 a 0 (assista aos melhores momentos no vídeo ao lado). Após cobrança de falta do Coxa, Marquinhos Gabriel puxa o contra-ataque e sobe com velocidade, deixando para trás dois marcadores. na cara do gol, o goleiro sai para abafar o meia-atacante, que chuta e… Manda a bola por cima do travessão. Um dos gols mais perdidos da segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Sem fazer gols desde 25 de julho do ano passado, Marquinhos Gabriel não tem contado com a sorte. Contra o Criciúma, o meia-atacante foi o jogador que mais finalizou: três tentativas. Gols, no entanto, não apareceram. Mas não é para ele que a fase está ruim: o trio ofensivo do Bahia, completado por Ryder e Fernandão, não tem balançado as redes. No último jogo, as chances perdidas deram o tom do Tricolor baiano em Pituaçu. Além disso, o único gol do Bahia na Série A marcado até agora saiu dos pés do volante Diones.

– A gente tem pecado muito na última faixa do campo, na hora da decisão. Um pouquinho de calma vai ajudar a gente. Nessa fase também tudo vem contra, mas a gente tem trabalhado bem. Essa fase vai passar e a bola vai começar a entrar, e vamos conseguir os nossos objetivos. Esse vai ser o terceiro jogo que faremos juntos. A gente vem se entrosando a cada jogo. A gente vai melhorando. Quando a sorte vier para o nosso lado, a gente vai começar a fazer os gols, e as coisas vão melhorar – diz Marquinhos Gabriel.

Defensor da tranquilidade como principal recurso, o meia-atacante acredita que o Bahia precisa apenas do pontapé inicial. Para ele, depois dos primeiros gols, a ansiedade vai embora, e os próximos tentos virão naturalmente.

Estamos ansiosos para fazer o gol. A gente está pecando nesse fundamento, mas, a partir do momento em que a bola começar a entrar e a gente tiver um pouquinho de sorte também… A ansiedade vai diminuir um pouco, a gente vai ter mais calma na frente do gol e, consequentemente, a gente vai conseguir os resultados – disse o jogador.

E os gols não trarão como frutos apenas as vitórias. Marquinhos Gabriel ainda destaca que uma mudança na maré tricolor poderá levar a torcida de volta ao estádio. Nas últimas partidas do Bahia neste semestre, os torcedores têm sido artigo de luxo nas arquibancadas, com direito até a campanha de público zero, uma forma de protesto diante da fase enfrentada pela equipe.

– A gente não pode levar isso para dentro de campo. A gente precisa, sim, do torcedor do nosso lado. É o nosso 12º jogador. A gente precisa do apoio deles o tempo todo, porque eles trazem nossa motivação. Se a gente olha para a arquibancada e vê a torcida comparecendo e incentivando, a gente pensa de outra maneira. Mas a gente não pode levar isso para dentro de campo. Quando a gente começar a jogar bem, o torcedor vai vir para o nosso lado, e a gente vai conquistar nossas vitórias.

No próximo domingo, no estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS), o Bahia vai tentar emplacar diante do Internacional. A partida será realizada às 18h30m pela terceira rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Até agora, o Tricolor tem apenas um ponto conquistado no empate da última quarta-feira com o Coritiba e um gol marcado. Na tabela do Brasileirão, o time baiano é o 15º colocado.

Fonte: Globoesporte.com. em 31/05/2013

Foto: Site ogol