Chelsea vence e Mourinho segue como carrasco do Arsenal

Mourinho segue como carrasco do Arsenal

Chelsea vence e avança às quartas de final da Copa da Liga por 2 a 0 e avança às quartas de final da Copa da Liga


O Arsenal continua sem saber o que é vencer José Mourinho. No nono encontro entre o clube e o técnico, o português mais uma vez levou a melhor. O Chelsea visitou os Gunners no Emirates Stadium nesta terça-feira e venceu por 2 a 0 e se classificou às quartas de final da Copa da Liga Inglesa. Os espanhóis Azpilicueta e Mata marcaram os gols da partida.

Comandando os Blues, o ‘Special One' venceu cinco e empatou quatro diante do adversário. Assim, Arsène Wenger nunca conseguiu bater o português, com quem não tem um dos melhores relacionamentos. No fim do jogo, a torcida do Chelsea, animada com a marca e com a vitporia no clássico, cantou o nome de Mourinho no campo do rival.

Contando todos os jogos entre as duas equipes, o Arsenal não vence o rival há quatro partidas ou desde 29 de outubro de 2011, quando bateu o rival por 5 a 3, pelo Inglês, fora de casa. Desde então, foram três revezes e um empate.

Apesar de ser um clássico, o duelo não foi tão valorizado pelas equipes por envolver apenas a terceira competição mais importante do país. Dessa forma, os dois treinadores pouparam boa parte de seus principais atletas.

O resultado faz os Blues chegarem ao seu sexto triunfo seguido em competições oficiais. Por outro lado, o Arsenal chega à sua segunda derrota consecutiva atuando em seu estádio – antes havia perdido por 2 a 1 para o Borussia Dortmund, pela Uefa Champions League.

As duas equipes voltarão a campo no sábado, pelo Campeonato Inglês. O Chelsea visitará o Newcastle na Sports Direct Arena, às 10h45 (de Brasília). O Arsenal receberá o Liverpool no Emirates Stadium, às 15h30, em duelo válido pela liderança da competição.

Mourinho nunca perdeu para o Arsenal nos nove jogos que enfrentou o adversário

Mourinho nunca perdeu para o Arsenal nos nove jogos que enfrentou o adversário

O jogo

Focando no Campeonato Inglês e na UEFA Champions League, Arsenal e Chelsea foram a campo com times mistos. Nesta condição, os Blues mostraram ter um elenco mais profundo e qualificado. Com maior volume de jogo, o time visitante controlava a posse de bola e levou mais perigo na primeira etapa.

Um dos destaques era o capitão Essien, que, além de ajudar na marcação, iniciava bem as jogadas ofensivas. E foi justamente em um lance que começou por ele que saiu o gol dos comandados de Mourinho.

Após ser travado pela marcação, a bola foi ao alto. Jenkinson recuou de cabeça para Fabianski, mas vacilou e deu um toque muito fraco, permitindo que Azpilicueta alcançasse e tocasse antes do goleiro para abrir o placar aos 25 minutos do primeiro tempo.

Na volta para a etapa final, o Arsenal saiu em busca do empate e foi ao ataque, mas pecava no passe final. Assim, pouco incomodava o goleiro Schwarzer. Os visitantes se fechavam na marcação, mas não atacavam.

Procurando acertar o último toque, Wenger colocou Ozil em campo na vaga de Myachi. Porém, quem marcaria seria o Chelsea. Aos 20 minutos, Mata aproveitou desviou de cabeça de Willian, dominou na entrada da área e chutou forte no ângulo esquerdo de Fabianski.

Com o aumento da desvantagem, o Arsenal adotou postura mais ofensiva e se abriu, cedendo espaços para o adversário contra-atacar. A partida ficou mais movimentada, mas as redes não seriam mais balançadas, para a tristeza da torcida no Emirates Stadium e de Wenger, que mais uma vez viram Mourinho sorrir após o apito final.


Arsenal 0 x 2 Chelsea – Copa da Liga Inglesa


Local: Emirates Stadium — Londres

Árbitro: P. Dowd‎

Gols: Chelsea: César Azpilicueta, 25'/1T;  Juan Mata 66'/2T

Cartões Amarelos: Michael Essien e Obi Mikel

Cartões Vermelhos: Nenhum

Arsenal: Fabianski, Vermaelen, Monreal, Jenkinson , Koscielny; Ramsey (Chu-Young Park, 81'/2T), Santi Cazorla, Wilshere, Rosicky; Ryo Miyaichi ( Mesut Özil, 63'/2T)  e  Nicklas Bendtner (Olivier Giroud, 67'/2T) .

Técnico: Arsène Wenger

Chelsea: Mark Schwarzer, David Luiz, Gary Cahill, Ryan Bertrand, César Azpilicueta; Michael Essien, Obi Mikel,  Kevin De Bruyne (Ramires, 69'/2T), Willian, Juan Mata (Tomas Kalas, 93'/2T); Eto'o (Demba Ba, 81'/2T) .

Técnico: José Mourinho.


Fonte: ESPN.com.br

Foto: Getty 

Via: Lucas Pepe