Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Com acordo próximo, Uram defende Rhayner: ‘Pastana partiu para cima’

6

Perto de acordo, agente defende Rhayner: "Pastana partiu para cima"

Eduardo Uram, agente do atacante, diz que problema entre jogador e Bahia tende a ser resolvido com rescisão consensual e ataca diretor: "Pessoa sem equilíbrio"

Eduardo Uram defende Rhayner em caso de confusão com o Bahia (Foto: Richard Fausto)

O entrevero entre o atacante Rhayner e o diretor de futebol do Bahia, Rodrigo Pastana, se encaminha para uma rescisão de contrato consensual, e a decisão ainda deve acontecer nesta quarta-feira. Pelo menos foi o que afirmou o empresário do jogador, Eduardo Uram, ao GloboEsporte.com. O agente disse que tem conversado com Pablo Ramos, diretor de negócios do clube, para que o acordo seja amigável.  

– As conversas estão boas com um dirigente do Bahia chamado Pablo. Ele está à frente do processo. O que aconteceu foi um total despreparo do Pastana. É uma pessoa sem equilíbrio. Ele acha que as pessoas não conversam… Gerou um mal-estar com o jogador, que já tinha contato com ele nos tempos de Barueri. Quando o Rhayner viu a história voltando…- explicou Uram ao GloboEsporte.com.  

Na última terça-feira, o atacante e o diretor de futebol entraram em atrito. Já insatisfeito com o atraso no pagamento de salários, Rhayner teria tentado agredir o dirigente após pedir para treinar com o grupo tricolor no estádio de Pituaçu e ter a solicitação negada. Segundo o clube, o pagamento do salário de julho do atacante e outros três jogadores sofreu atraso devido a questões bancárias. Os vencimentos de agosto ainda não foram quitados para o elenco. Apenas o técnico Gilson Kleina e o diretor de futebol receberam o pagamento referente ao mês passado. A quantia dos “bichos” recentes, no entanto, já foi depositada.  

Após o ocorrido, o clima ainda segue com troca de acusações dos dois lados. Rhayner ainda não se manifestou publicamente, mas Eduardo Uram sai em defesa do seu cliente. Segundo relatos de pessoas que presenciaram a discussão, o atacante teria partido para cima do dirigente com um pedaço de madeira.  

– Quem partiu para cima primeiro foi o Rodrigo [Pastana], não foi o Rhayner. Por isso que, da mesma forma que o Bahia fala em justa causa, podemos entrar com uma justa causa com o Bahia. Agora, se o Rhayner estava com pedaço de madeira eu não sei, não estava lá, não quero saber. Sejam quais forem os detalhes, chegaram a um limite insustentável para um ambiente de trabalho – diz o empresário.  

Eduardo Uram afirmou que o jogador ainda vai se pronunciar sobre o assunto.  

– Ele está tranquilo, confiando nas pessoas que cuidam de sua carreira. Ele vai falar na hora que tiver que falar – resumiu.  

DIRETOR DO BAHIA CONFIRMA INTENÇÃO DE ACORDO

Em contato com o GE.COM, Pablo Ramos confirmou que o caso tende a ser resolvido com uma rescisão amigável. O diretor de negócios do clube evitou falar em justa causa e afirmou que a intenção é chegar a um acordo que agrade tanto o Bahia como o jogador.

– Está caminhando bem. Nas próximas horas, podemos chegar a uma rescisão que seja boa para ambas as partes. Estamos redigindo a primeira minuta. Se as partes entenderem que as cláusulas são boas para ambas, pode sair ainda hoje [quarta-feira] – disse Ramos.

Comentários
Carregando...