Confira uma análise do desempenho dos reforços do Bahia em 2017

Mendoza comemorando gol na Fonte Nova

Contratar não é uma ciência exata. Ter um grande orçamento e condições de olhar para qualquer lugar do mundo e trazer os melhores jogadores disponíveis é uma condição encontrada por poucos clubes e que nem sempre significa sucesso. Para uma equipe com menos recursos e um olhar muito mais restrito no mercado, a busca por reforços é acompanhada pelo dever de alcançar margem de erro mínima. Não há tempo nem muito dinheiro em caixa para fazer grandes correções de rumo. Algo que o Bahia tenta evitar. Mas nem sempre é possível.

O Bahia foi responsável por 17 contratações em 2017. Números inferiores ao da temporada passada, quando se reforçou com 25 jogadores. O motivo para isso é bem simples. O Tricolor não montou um novo elenco para esta temporada, mas buscou encorpar o que já tinha. Depois do acesso conquistado para a Primeira Divisão em 2016, a diretoria teve como objetivo manter a base daquela equipe e reforçar posições carentes. Como exemplo, o clube contratou quatro laterais e apenas um zagueiro.

Com o final do período de inscrição de novos atletas nas Séries A do Campeonato Brasileiro marcado para esta sexta-feira, o GloboEsporte.com listou todos os reforços do Bahia e os analisou a partir de oito categorias: ganhou torcida, surpreendeu, contribuiu, ficou devendo, pouco apareceu, frustrou expectativas, irritou torcida e não deixou saudade. Confira abaixo a avaliação.

1 – Ganhou a torcida

Rodrigão

Rodrigão tem quatro gols no Campeonato Brasileiro (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Rodrigão tem quatro gols no Campeonato Brasileiro (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Com a grave lesão de Hernane e a frustrada passagem de Gustavo, a torcida do Bahia ficou carente de um centroavante e depositou as esperanças em Rodrigão. Clássico camisa 9, o atacante não precisou de muito tempo para marcar gols e cair nas graças dos tricolores. Nos três primeiros jogos como titular pelo Bahia, Rodrigão marcou quatro gols e chegou à artlharia do time no Brasileirão. A luxação no pé, porém, atrapalhou a sequência do jogador, que busca retomar a fase de muitos gols pelo Tricolor.

2 – Surpreendeu

Zé Rafael e Mendoza

Zé Rafael e Mendoza em campo pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)

Zé Rafael e Mendoza em campo pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)

Aos 24 anos, Zé Rafael se transferiu para o Bahia depois de boa campanha pelo Londrina na Série B do Campeonato Brasileiro de 2016. Desconhecido do torcedor baiano, o meia tem se notabilizado pela regularidade e boa participação em estatísticas importantes para o time: assistências para gols, finalizações, desarmes… Em 2017, o meia fez 45 partidas, mais do que jogou em toda passagem pelo Londrina em 2016.

Embora tenha vindo do Corinthians, o atacante Mendoza também chegou sem muito alarde ao Bahia. Com fama de velocista, ele não só justificou a característica, como também apresentou qualidade em outro fundamento importante. Ao lado de Rodrigão e Mendoza, o colombiano é o artilheiro do Bahia no Brasileirão, com quatro gols marcados.

3 – Contribuiu

Edson e Allione

Edson é nome certo no time titular do Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Edson é nome certo no time titular do Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Vindos de Fluminense e Palmeiras, a dupla chegou ao Bahia com o objetivo de se firmar no time titular e ter sequência de jogos. Embora tenham sofrido em alguns momentos com lesões, Edson e Allione conquistaram espaço no elenco e contribuíram com participação efetiva na equipe. O gringo só foi perder o posto de titular nos últimos jogos, em razão de uma entorse no tornozelo e do bom momento de Mendoza.

4 – Ficou devendo

Maikon Leite e Vinicius

Maikon Leite sofreu com lesões no início da passagem pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)

Maikon Leite sofreu com lesões no início da passagem pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)

Maikon Leite chegou ao Bahia para atuar em setor até então carente de peças e disposto a reencontrar os melhores momentos no futebol, algo que não conseguiu quando se transferiiu para clubes de fora do Brasil. Contudo, a série de lesões e atuações sem brilho ainda não fizeram Maikon Leite se firmar no Bahia. Depois de longo período sem entrar em campo, ele voltou a ser aproveitado no jogo do último domingo, contra o Botafogo.

O caso de Vinicius é um pouco diferente. O meia teve um início de passagem promissor, com gol na estreia diante do Atlético-GO, e também uma sequência no time titular, principalmente por conta da lesão de Régis. Mas, aos poucos, Vinicius foi perdendo espaço no time principal e atualmente é figura certa entre os reservas.

5 – Pouco apareceu

Rafael Santos e Wellington Silva

Welington Silva se recupera de cirurgia no joelho (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)

Welington Silva se recupera de cirurgia no joelho (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)

Contratado em maio para ser opção no gol em ausência de Jean, Rafael Santos ainda não estreou pelo Bahia. Wellington Silva até jogou, fez três partidas pelo Tricolor no ano, mas passou por cirurgia no joelho e desde então se recupera.

6 – Frustrou expectativas

Matheus Sales

Matheus Sales chegou ao Bahia com grandes expectativas (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Matheus Sales chegou ao Bahia com grandes expectativas (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Pretendido pelo Fluminense no início do ano, Matheus Sales acertou com o Bahia e frustrou o técnico Abel Braga, que chegou a dizer na época, sem citar diretamente o clube, que ele preferiu trocar uma BMW por uma Fusca. Coberto de expectativas pelo desejo do Flu e também pelas boas atuações quando atuou pelo Palmeiras em 2016, Matheus tem participação discreta no Bahia até aqui. Ele chegou a ser titular em algumas partidas com Jorginho, mas perdeu o posto. Ao todo, o volante de 22 anos tem 20 jogos pelo Bahia em 2017.

7 – Irritou a torcida

Régis Souza, Matheus Reis, Armero e Ferrareis

Gustavo Ferrareis e Armero não estão em alta com o torcedor do Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Gustavo Ferrareis e Armero não estão em alta com o torcedor do Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Régis Souza não durou dois meses no Bahia. Contratado em junho, o lateral rescindiu o contrato após duas partidas. No último jogo pelo Tricolor, não foi bem e saiu no intervalo após ser alvo de vaias da torcida. Situação com que vez ou outra Matheus Reis e Armero se deparam quando atuam na Fonte Nova. A dupla de laterais esquerdos ainda não emplacou e perdeu a posição para o garoto da base, Juninho Capixaba. Ferrareis tem bem menos tempo no Bahia que Armero e Matheus Reis, mas também não caiu nas graças da torcida.

8 – Não deixou saudade

Diego Rosa e Gustavo

Gustavo fez sete jogos pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Gustavo fez sete jogos pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Diego Rosa e Gustavo tiveram em comum passagens apagadas pelo Bahia. O primeiro até teve mais oportunidades e fez 20 jogos pelo clube, contra sete do centroavante. A dupla, porém, não brilhou e já não faz mais parte do elenco tricolor.

Lista de reforços do Bahia:
Goleiro: Rafael Santos;
Laterais: Wellington Silva, Régis Souza*, Matheus Reis e Armero;
Zagueiros: Thiago Martins**;
Volantes: Edson e Matheus Sales;
Meias: Vinícius, Zé Rafael, Diego Rosa*, Allione e Ferrareis;
Atacantes: Mendoza, Rodrigão, Maikon Leite e Gustavo*.
*Deixaram o clube antes do fim do contrato.
**O zagueiro Thiago Martins foi apresentado na última quarta-feira e, por isso, não pôde ser avaliado pela reportagem do GloboEsporte.com.

Fonte: Globo Esporte

Leia também:
Sport x Bahia Ao Vivo pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro
Vem Liberta! Sport x Bahia se enfrentam na Ilha do Retiro pela 36ª rodada
Bahia finaliza preparação para o Sport e divulga lista de relacionados
Em reapresentação, Bahia inicia preparação para enfrentar o Sport