Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Em apresentação, Wellington Silva ressalta sua polivalência: Compra um e leva dois

Wellington Silva é apresentado pelo vice-presidente do Bahia, Pedro Henriques (Foto: Divulgação/E.C. Bahia)
23

Wellington Silva fala de concorrência com Eduardo pela titularidade na lateral direita, avisa que pode atuar na esquerda e projeta conquista de títulos com a camisa do Bahia

Conquistar títulos, brigar por uma vaga em competição internacional, pensar grande. O lateral-direito Wellington Silva chegou ao Bahia com o discurso de quem enxerga 2017 com grande otimismo. Emprestado pelo Fluminense com contrato válido até o fim da temporada, ele foi apresentado no Fazendão na tarde desta terça-feira e deixou claro o futuro promissor que projeta para o Tricolor baiano.

A expectativa é a maior. Quando soube que viria para cá, conversei com alguns diretores, o Bahia é grande, maior do Nordeste e grande para o Brasil também. Quando conversei com meu empresário, nem duvidei, falei que ia fechar. Vou fazer de tudo para o Bahia conquistar títulos. Vamos pensar primeiro no Baiano e no Nordeste. Temos que pensar grande. Pensar pequeno não chega a lugar nenhum.

As primeiras perguntas da entrevista coletiva de Wellington Silva foram feitas pelo sócio do Bahia, Gabriel Marques. Uma delas foi sobre deficiências defensivas. O lateral assumiu que, no passado, teve problemas para acertar a marcação sobre os adversários. A falha, no entanto, ficou para trás.

Algumas pessoas falam que… Ano passado fiquei impressionado. Fui o quarto maior ladrão de bolas do Campeonato Brasileiro. Não sei se isso pode responder. Quantos jogadores tem no Brasileiro? Eu tinha essa deficiência, não vou mentir. Conseguia atacar bem e não defendia bem. Nos últimos anos consegui fazer os dois bem.

Wellington Silva foi contratado para concorrer com Eduardo e Tinga pela titularidade da lateral direita. O recém-chegado projeta uma disputa acirrada pela posição. E se não der para jogar na função de origem, ele avisa que pode “quebrar um galho” do outro lado do campo.

Já joguei contra o Eduardo, muito bom jogador. O Tinga eu não conhecia muito. Ninguém chega para ser titular. Se o professor optar por ele, vou trabalhar para conquistar meu espaço. Faço as duas laterais, o Guto sabe disso. Compra um e leva dois (risos). Estou aqui para ajudar. Independentemente de ser titular, estou aqui para ajudar.

Wellington Silva tem 28 anos e surgiu para o futebol no Grêmio, mas também defendeu Resende, Madureira e Flamengo. Desde 2013, atua pelo Fluminense, clube pelo qual disputou 61 partidas e marcou um gol no ano passado. Embora seja destro, também pode atuar na lateral esquerda.

Confira abaixo outras declarações de Wellington Silva.

SAÍDA DO FLUMINENSE

Fiquei muito tempo no Fluminense, ia completar quatro anos. É bom sair, novos ares. Saiu da Série B, tem muita tradição. Estou acostumado a jogar a Série A. O grupo que está se formando aqui, não vai perder para ninguém. Se tiver mentalidade grande, não perde para nenhum time do Brasileiro.

CONHECIDOS E ESTRUTURA DO BAHIA

Conhecia o Hernane. Jogamos juntos no Flamengo. O Renê Junior e o Juninho são cariocas. O Cajá [conheço] de jogar contra. Me surpreende a estrutura, é boa. O relacionamento, as pessoas são educadas. Estou muito feliz. Minha esposa chegou, não vejo a hora de entrar em campo e dar alegria para a torcida.

Fonte: Globo Esporte

Comentários
Carregando...