Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Enderson Moreira diz que o Atlético-MG é o único que pode comemorar o empate

Tricolor empatou com a equipe mineira com gol aos 48 do segundo tempo

Enderson Moreira em campo pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)
36

Nesta segunda-feira (30), o Bahia empatou em 2 a 2 com o Atlético-MG, na Arena Fonte Nova, pelo Campeonato Brasileiro. O técnico Enderson Moreira concedeu entrevista coletiva após a partida e comentou o empate conquistado no último minuto. O Tricolor saiu atrás no início da partida e conseguiu empatar apenas aos 38 do segundo tempo. O Atlético voltou a ficar na frente aos 46, mas Régis marcou o gol do empate aos 48. O resultado fez com que o Tricolor se mantivesse fora da zona de rebaixamento. O Bahia está na 15ª posição na Série A, com 17 pontos.

Enderson Moreira elogiou o desempenho da equipe na partida. Segundo ele, o Bahia dominou o jogo amplamente e merecia ter saído com um triunfo:

Acho que a gente está num processo de evolução. Hoje, infelizmente, não conseguimos os três pontos, mas a gente mereceu muito. Talvez tenha pagado o preço dos primeiros seis minutos, que foram muito abaixo do que a gente propõe fazer. No decorrer do jogo, foi uma equipe atacando e outra se propondo a defender. O empate hoje quem pode comemorar é a equipe do Atlético-MG. Isso faz parte do futebol, menos mal que tenha conseguido o empate no último minuto. Importante continuar pontuando. Estamos há cinco rodadas pontuando. Isso faz diferença. Vamos agora tentar recuperar para outro confronto na quinta-feira

Enderson Moreira falou sobre a reação do Bahia após sofrer o gol com apenas quatro minutos de jogo. Para o técnico, a equipe começou mal a partida, mas foi melhorando ao longo do primeiro tempo:

Claro que se você sai atrás, tem que… A equipe deles é muito qualificada. Ótimos jogadores, postura defensiva bem definidas, e esperavam que a gente pudesse errar algum lance. Você sai atrás tem que agredir mais, os espaços poderiam ser maiores. Mas a gente conseguiu controlar bem. Mudou um pouco em termos de estratégia. A gente não foi de qualquer forma, foi de maneira organizada, usando os lados do campo, tentou pressionar, chegar no fundo. Infelizmente as coisas não aconteceram, mas acho que, acima de tudo, nossa equipe fez por merecer um resultado diferente.

Enderson Moreira também falou sobre a arbitragem da partida. Os jogadores do Bahia reclamaram que o árbitro não marcou um pênalti em um toque de mão dentro da área do Atlético-MG:

Às vezes o que acho é que é uma facilidade em determinados momentos de marcar algumas situações contra alguns adversários e uma dificuldade enorme de marcar para outra. A discussão da bola na mão é sempre muito complicada. Claro que o VAR pode minimizar muito essas questões. O que a gente mais quer é que haja o máximo de justiça possível na partida, todo mundo voltado para se acertar o máximo. A gente não pode conviver com erros, que são erros que fazem a diferença. Fomos muito criticados contra o Vasco. E cadê as críticas contra o Atlético-MG, que fez cera desse os cinco minutos de jogo? Não quiseram o jogo, abusaram, o Vitor levou o amarelo depois da quarta vez que ele segurou o jogo.

O Bahia volta a campo na próxima quinta-feira (2), para enfrentar o Palmeiras, na Arena Fonte Nova, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Confira o que Enderson Moreira falou em entrevista coletiva

Melhor jogo no comando do Bahia?
– Difícil falar isso. Sinceramente, às vezes, as coisas acontecem e a gente tem uma visão um pouquinho diferente. A gente fez uma baita partida contra a Chapecoense. Foi um jogo que nos escapou o resultado no final, mas a equipe já demostrou naquele momento maturidade, tranquilidade para fazer o jogo, sem ficar só se defendendo, criando situações. Acho que a gente está em um processo de evolução, de os atletas entenderem quais são as ideias, continuar com essa agressividade, mas de maneira organizada. Acho que a gente está tentando buscar esse equilíbrio. Infelizmente o resultado não foi o que a gente esperava em termos de pontuação, mas acho que a postura foi muito boa. Acho que fomos muito melhores, bem soberanos em cima deles. Isso nos traz a expectativa de que a gente possa continuar nessa crescente.

Gols sofridos
– Faz parte. Às vezes a gente não consegue filtrar o adversário em todas as situações. A equipe deles tem muita qualidade, não precisam de muitas oportunidades para fazer o gol. A gente pagou um preço enorme pelos seis minutos iniciais, que foram totalmente diferentes do que a gente sabe que essa equipe pode fazer. Se não der pra ganhar, a gente não pode perder, o importante é pontuar. Queremos sempre buscar o resultado positivo. Se não der pra ganhar, não perde. Leva um ponto.

Entrada de Mena no lugar de Marco Antônio
– Falar sobre possibilidade é difícil. Nós perdíamos um jogador de lado, o Brumado não faz lado, o Gilberto não faz lado. A gente ficaria com Brumado, Gilberto, Régis por dentro. Acho que o Mena recompõe bem. Antes de sofrer o segundo gol tivemos uma chance. Era uma opção para manter a estrutura que, a meu ver, estava bem equilibrada. A gente estava sendo bem ofensivo dando quase nenhuma chance para o adversário.

Mudança de postura no segundo tempo
– Condeno muito nessa partida o início dela, até os seis, sete minutos. A gente não conseguiu fazer o que tem colocado para eles, de subir a marcação, pressionar um pouco mais. A partir dos 15 minutos, a gente pega o jogo um pouco mais. A conversa no intervalo foi falar que a gente estava no caminho certo. Esses atletas deram uma prova constate de superação. Sabia que a gente podia continuar correndo mais do que a equipe deles.

Agradecimento à torcida
– Queria agradecer ao torcedor que veio hoje. Não sei como conseguem comparecer assim, um sacrifício enorme, uma sequência enorme. Agradecer ao torcedor que nos incentivou, reconheceu o esforço de cada atleta. Agora temos que mudar o chip e uma grande oportunidade de enfrentar um gigante do futebol brasileiro e tenho muita confiança de que a gente possa fazer um grande jogo, e o torcedor não é nosso 12º jogador, é nosso centroavante. Precisamos de todos vocês para fazer a Fonte Nova tremer, que a gente possa ter muita energia positiva para esse confronto.

Comentários
Carregando...