Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Fominha, Zé Rafael fala sobre retorno ao time no jogo contra o Sport

Jogador, que pouco se lesiona, ficou fora da partida contra o Atlético-PR, no último domingo (2)

Zé Rafael concede entrevista coletiva (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)
40

Na tarde desta terça-feira (4), o meia Zé Rafael concedeu entrevista coletiva no Fazendão. O meia, que ficou de fora da derrota do Bahia para o Atlético-PR, no último domingo (2), vai voltar a equipe nesta quarta-feira (5), na partida contra o Sport, na Arena Fonte Nova.

Após ter recebido duas fortes pancadas no jogo contra o Ceará, o meia desfalcou o Tricolor por conta de uma dor na região lombar, de acordo com a assessoria do Bahia. Além disso, Zé Rafael vinha sofrendo com o desgaste da maratona de jogos que a equipe teve no mês de agosto. Foram nove partidas no último mês, em uma média de cerca de um jogo a cada três dias.

Eu vinha numa sequência grande e tomei duas pancadas. Ia me limitar. Eu não ia ficar fora do jogo, mas não ia conseguir fazer minhas funções no melhor. Então, em conjunto, tomamos essa decisão, como eu não estaria 100%, tomamos a decisão de dar uma recuperada

Foi estranha a ausência do camisa 10 tricolor na partida do último domingo. Em dois anos no Bahia, Zé Rafael nunca se lesionou. Jogador que mais atuou pelo clube na temporada, o meia fez 51 jogos em 2018. Das 22 partidas do Tricolor no Brasileirão, ele esteve em 20.

Perguntado sobre o assunto, Zé Rafael explicou porque quase nunca desfalca o Bahia:

Porque sou fominha e porque minha condição física me ajuda muito. Me preparo muito para conseguir estar bem sempre e acho que tenho conseguido fazer isso de maneira bem efetiva nesses dois anos que estou aqui. Continuo me preparando muito quando eu posso, quando sobra um tempinho para me preparar, e do resto são os jogos

A torcida do Bahia exalta a regularidade de Zé Rafael, mas o jogador negou que o Tricolor dependa dele, mesmo que a equipe tenha ido mal e perdido para o Atlético-PR:

O Bahia não depende do Zé. Foi um jogo bem abaixo do que a equipe vinha produzindo. A equipe deles cresceu nos jogos que fez em casa, pegaram uma sequência e ganharam confiança. Zé Rafael está ali para ajudar. Tento fazer meu melhor. Alguns jogos, consigo ajudar muito. Outros, nem tanto. Mas estou ali sempre para dar meu melhor. Bahia evoluiu muito. Nossa equipe está no caminho certo. Quando encaixar os triunfos, principalmente fora de casa, nossa equipe vai dar um salto na tabela

O jogo desta quarta-feira, contra o Sport, é daqueles que vale seis pontos. Primeira equipe dentro da zona de rebaixamento, o rubro-negro está apenas dois pontos atrás do Bahia. Por conta disso, Zé Rafael falou que um triunfo é fundamental:

A gente tem que ganhar amanhã, não tem para onde correr. Vai ser mais uma final, eles também vão encarar assim. Vamos ajustar o que precisa e amanhã encarar esse jogo como uma decisão. A partir de agora, todos os jogos são decisivos, mas para quem está abaixo de nós, são ainda mais decisivos

Confira o que Zé Rafael falou em entrevista coletiva

Totalmente recuperado?
– Recuperado. Um pouquinho de dor, porque a pancada foi muito forte, mas tranquilo para jogar amanhã.

Dificuldade na Série A
– Desde que começa o campeonato, a gente sabe que vai ser assim, os times que vão brigar na ponta da tabela, os times que vão ficar numa área intermediária e os times que vão ficar na parte de baixo da tabela, e todos são jogos difíceis. Se você pega o primeiro, é complicado, porque ele quer se manter na liderança. Se você pega o último, ele quer sair da zona do rebaixamento. Se você pega o cara que está no meio, os caras querem subir na tabela. Não tem jogo fácil, e a gente sabe disso.

Conjuntivite de Gilberto
– Anderson se recuperou. Ficou uma semana fora do CT, Gilberto viajando e pega conjuntivite. É difícil tentar se prevenir. Espero que mais ninguém pegue, porque nossa equipe está em um momento decisivo e precisa de todo mundo. Se for verdade que o Gilberto está com conjuntivite, vai fazer muita falta. Espero que ninguém mais pegue essa conjuntivite, porque vai atrapalhar demais a gente.

Saída de Régis
– Toda equipe, quando perde jogador, é complicado, ainda mais jogadores que sempre jogam. Régis entrava a maioria dos jogos, era uma peça importante. Faz falta, até porque nosso elenco não é dos maiores. Vai fazer falta, mas nossa equipe tem gente para repor. É um ciclo do futebol, faz parte, tem que seguir a vida dele. Nós seguimos aqui trabalhando para ajudar o Bahia.

Comentários
Carregando...