Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

‘Fui no embalo’, justifica Gremista em depoimento

4

Patrícia justifica 'macaco' com canto da torcida e relata ameaças

Torcedora do Grêmio dá depoimento sobre gritos de 'macaco' no jogo contra o Santos; delegado Cleber Ferreira afirma que inquérito ainda deve demorar mais 30 dias

Pouco mais de uma hora depois de chegar na 4ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, na manhã desta quinta-feira, a torcedora Patrícia Moreira, que foi flagrada pelas câmeras gritando a palavra "macaco" supostamente direcionadas ao goleiro Aranha, do Santos, na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, deixou o local sem conceder entrevistas, novamente protegida pelo irmão. No depoimento, a gremista afirmou que não tinha o intuito de direcionar o grito ao goleiro Aranha e afirmou que estava repetindo um cântico da torcida Geral do Grêmio. Além disso, relatou ameaças por telefone e pelo Facebook.

Uma das investigadas no inquérito policial, Patrícia foi a quarta depor como suspeita. Ela afirmou que não gritou as palavras direcionadas para o jogador do Santos e disse que apenas cantava o que a torcida fazia. A Geral do Grêmio tem músicas que usam "macaco" para identificar os torcedores do Internacional. Algo citado por Patrícia também.

– Ela não nega as ofensas, de ter proferido aquelas palavras. Mas a palavra não era para ofender o goleiro do Santos, ela foi no embalo da torcida. O delegado Herbert está conduzindo as investigações. Agora ele vai caracterizar a situação – disse chefe das delegacias de Porto Alegre, Cleber Ferreira.

Patrícia Moreira chega para depor protegida pelo irmão – Foto: Ricardo Rímoli/LANCE!Press

Durante o depoimento, a jovem também relatou ameaças por telefone e pela internet. Por isso um policiamento especial foi levado ao local. Na saída da DP, os integrantes do movimento Unegro gritaram palavras para a jovem como "vem conversar com o macaco" e "racista".

A jovem ainda pode ser chamada novamente para depor. A polícia investiga o histórico da garota e pode usar fotos da internet como provas de um costume de comportamento. O inquérito ainda deve demorar mais 30 dias para ser finalizado pelo delegado Herbert Ferreira.

Está previsto mais um depoimento para esta quinta-feira. A programação da sexta ainda não foi definida pelos responsáveis pela investigação. Na terça, os dois primeiros suspeitos estiveram no local e negaram as ofensas a Aranha – um deles, inclusive, usou uma foto para afirmar que estava em outro setor do estádio.

Comentários
Carregando...