Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Grêmio 1 x 0 Bahia :: Raio-X, ‘Melhores momentos’, Scout

3

Em noite contra racismo, Grêmio faz 1 a 0 e encerra série invicta do Bahia

No primeiro jogo após injúrias raciais contra Aranha, Tricolor vence com gol de Barcos, mas parte da torcida é vaiada ao cantar "macacos"

DESTAQUES

O melhor: Giuliano – Quando foi necessário aparecer a criação de jogadas, Giuliano fez sua função. No gol gremista, tabelou duas vezes e cruzou muito bem na área para Dudu encontrar Barcos e o gol ser marcado.

O pior: Matías Rodríguez – Não foi eficiente no ataque e menos ainda na defesa. Cometeu faltas duras, não conseguiu criar nada na frente e foi substituído no segundo tempo.

Chave do jogo: Terceiro volante. O Grêmio foi muito mal no primeiro tempo. Dominou o jogo sem criar nada. E Felipão, quando poderia colocar mais jogadores de frente, optou por sacar Alán Ruiz e colocar outro volante. A ideia foi liberar Giuliano e os laterais. Deu certo. O time gaúcho retomou o bom futebol e venceu.

Toque dos técnicos: O Grêmio manteve o 4-3-3 que está sendo adotado por Felipão. Porém, trocou peças e isso mudou a movimentação do time. Alán Ruiz na vaga do lesionado Luan deixou o time mais lento e cadenciado. Foi auxiliado por Matías Rodríguez que substituiu Pará. E a entrada deixou a lateral mais ofensiva, porém, fragilizou a defesa. Na zaga, a troca de Werley por Geromel não alterou drasticamente o setor.

Enquanto o Bahia mostrou-se diferente da equipe que venceu o Inter pela Sul-Americana. Em vez de ter a bola, como teve contra o time vermelho, os baianos recuaram, deixaram os gaúchos com a bola e saíram no contra-ataque. Emanuel foi o principal nome da equipe que atuou no 4-4-2 clássico.

No segundo tempo, Felipão sacou Alán Ruiz e colocou Giuliano na tentativa de solidificar o meio-campo. Assim, retomou formação de três volantes, como o Grêmio viveu seus melhores momentos na temporada. Quando esteve atrás no placar, o time de Gilson Kleina atirou-se ao ataque abandonando totalmente a postura recuada. Mas não foi eficiente.

Para Lembrar:

Chega de racismo. O Grêmio fez uma série de ações contra atos racistas antes do duelo contra o Bahia. As atitudes do Tricolor se justificam pelo ocorrido contra o goleiro Aranha, na última quinta-feira. O jogador foi chamado de 'macaco' por alguns torcedores. O Grêmio será julgado na próxima quarta no STJD.

Será que adiantou? Por cerca de 5 minutos, no primeiro tempo, a torcida do Geral do Grêmio entoou o cântico que se refere à torcida do Internacional como 'macaco' e 'macaco imundo'. O restante do estádio vaiou.

Não eram poucos os desafios do Grêmio na noite deste domingo na Arena. Precisava se recuperar em campo e fora dele. No primeiro duelo após as injúrias raciais de torcedores contra o goleiro santista Aranha, o Tricolor conseguiu boa parte de seus objetivos. Venceu o Bahia por 1 a 0, gol de Barcos, pela 18ª rodada do Brasileirão, e deu exemplo de conscientização com campanhas institucionais e cartazes erguidos espontaneamente pelos torcedores. Porém, nem tudo foi festa: o time de Felipão não convenceu e parte, mesmo que pequena, da torcida insistiu com cânticos polêmicos, como o que chama os colorados de "macacos". A minoria acabou vaiada.

Alheio a tudo isso, o Bahia fracassou na tentativa de embalar o oitavo jogo sem conhecer a derrota. O time de Gilson Kleina não atuou mal, pelo contrário. Inclusive chegou a ser superior em parte do primeiro tempo. Mas passará mais uma rodada na zona de rebaixamento – é vice-lanterna, com 16 pontos.

Em jogo duro, Grêmio vence Bahia e complica ainda mais a vida do tricolor na Série A

Rafael Miranda, apesar de lento, foi o melhor na marcação no meio campo

O Grêmio subiu, é sexto, com 28 pontos e, no sábado, enfrenta o Flamengo, no Rio de Janeiro. Antes, jogaria a partida da volta da Copa do Brasil contra o Santos, mas ela foi suspensa pelo STJD até que o clube seja julgado pelas ofensas a Aranha – o que ocorrerá na quarta. O meio de semana será agitado em campo para o Bahia. Na quinta, recebe o Inter, após vencer o Colorado em Porto Alegre por 2 a 0, e tem grandes chances de avançar na Sul-Americana. No domingo, recebe o Coritiba, pelo nacional, em confronto direto contra o fantasma do Z-4.

Vitória minguada na Arena

Grêmio e Bahia entraram em campo com astral bem diferente. O Tricolor tentava se refazer da polêmica partida contra o Santos, de derrota e episódio de injúrias raciais de torcedores contra o goleiro Aranha. Antes de a bola rolar, a primeira parte foi feita, com campanhas, faixas e cartazes de repúdio ao racismo. Quando o jogo começou… passou a prevalecer o embalo baiano, vindo de vitória diante do rival gremista, o Inter, pela Sul-Americana.

A melhor chance do primeiro tempo foi do Bahia, bem liderado por Emanuel Bianchucci. Aos 15 minutos, Rhodolfo perdeu a bola e Guilherme Santos finalizou fraco, com boa defesa de Marcelo Grohe. Sobraram ao Grêmio posse de bola e insistências. Faltou, no entanto, a tão cobrada eficácia. Isolado, Barcos conseguiu um arremate perigoso, aos 17 minutos, que passou perto da meta. Quem também tentou Lomba foi Dudu, mas suas finalizações foram fracas. O 0 a 0 no intervalo deixou a torcida inquieta.

Por falar em torcida, a maioria presente na Arena vaiou os cânticos que surgiram do setor da Geral do Grêmio, que se referiram aos colorados como “macacos”. Numa noite de pouco futebol, alguma tensão e muito a se falar extracampo, o gremista conseguiu sorrir apenas aos 13 minutos do segundo tempo. Giuliano cruzou, Dudu, na raça, escorou, e Barcos, com o gol vazio, abriu o placar: 1 a 0. Depois, os mandantes se recolheram e trataram de manter o resultado. O importante era vencer. E, claro, melhorar a própria imagem.

barcos gremio x bahia (Foto: Diego Guichard)

Barcos fez o gol após jogada de Dudu na grande área

Grêmio 1 x 0 Bahia

Campeonato Brasileiro 2014 – Série A – 18ª rodada do Brasileirão

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Data: 31 de agosto de 2014, domingo

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Péricles Bassols Cortez (Fifa-RJ)

Público: 14.246 torcedores

Renda: R$ 297.717, 00

Assistentes: Rodrigo Corrêa e Dibert Pedrosa Moisés (ambos do RJ)

Assistentes adicionais: Rodrigo Nunes de Sa e Daniel de Sousa Macedo (ambos do RJ)

Cartões amarelos: Grêmio: Matías Rodriguez, Fellipe Bastos, Barcos e Ramiro; Bahia: Fahel, Guilherme Santos e Kieza

Gol: Grêmio: Barcos aos 13’ 2º T

Grêmio: Marcelo Grohe; Matías Rodríguez (Pará), Werley, Rhodolfo e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos, Alan Ruiz (Matheus Biteco), Giuliano e Dudu (Bressan); Barcos

Técnico: Luiz Felipe Scolari

Bahia: Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Rafael Miranda, Diego Macedo (Maxi Biancucchi) e Emanuel Biancucchi (Pará); Rafinha (Rhayner) e Kieza

Técnico: Gílson Kleina

[**SCOUT**]

Header_BAHIA (Foto: Infoesporte)

Atuações: Atacantes decepcionam no Bahia

Time baiano controla bem jogo durante maior parte do tempo, mas sofre com falta de criatividade.

MARCELO LOMBA – GOLEIRO

Foi pouco exigido, mas seguro durante a maior parte do tempo. Fez grande defesa em chute de Zé Roberto. No entanto, saiu mal no lance do gol de Barcos.

Nota: 6,5

RONIERY – LATERAL-DIREITO

Sofreu para marcar os avanços de Dudu, inclusive no lance do gol gremista. Tímido na parte ofensiva, principalmente na primeira etapa.

Nota: 5,5

DEMERSON – ZAGUEIRO

Fez bons desarmes, mas deixou livre o lado direito no momento do gol de Barcos.

Nota: 5,5

TITI – ZAGUEIRO

Seguro no jogo aéreo, cobriu o lado esquerdo enquanto pôde

Nota: 6,5

GUILHERME SANTOS – LATERAL-ESQUERDO

Foi ativo na frente, incomodou a marcação tricolor e roubou boas bolas pelo lado esquerdo. Entretanto, deu espaços, principalmente para Matías Rodriguez.

Nota: 6,5

FAHEL – VOLANTE

Amarelado logo no começo do jogo, conseguiu marcar bem durante o restante da partida sem levar um cartão novamente.

Nota: 6,0

RAFAEL MIRANDA – VOLANTE

Foi bem na marcação no meio-campo e distribuiu bem o jogo. Melhor passador do time baiano. Nota: 7,0

DIEGO MACEDO – MEIA

Não participou tanto do jogo como nas partidas anteriores e sofreu para achar um espaço na marcação do Grêmio.

Nota: 5,5

MAXI BIANCUCCHI – ATACANTE

Entrou aos 31 minutos do segundo tempo e tentou criar algumas jogadas pelos lados do campo, mas com pouca efetividade.

Nota: 5,5

EMANUEL BIANCUCCHI – MEIA

Foi participativo no primeiro tempo, com boas jogadas pela direita e uma finalização, mas caiu na segunda etapa. Substituído por Henrique.

Nota: 6,5

HENRIQUE – ATACANTE

Entrou para dar mais poder ao ataque do Bahia, mas atuou mais fora da área e pouco fez. Finalizou uma vez, mas fraco, fácil para defesa de Grohe.

Nota: 5,5

RAFINHA – ATACANTE

Deu pouca dinâmica ao ataque baiano. Fez algumas jogadas de velocidade, mas nada além disso.

Nota: 5,0

RHAYNER – ATACANTE

Se movimentou bem enquanto esteve em campo, sofreu faltas e criou algumas jogadas. Mas também sofreu com a forte retranca gremista no fim do jogo.

Nota: 6,0

KIEZA – ATACANTE

Foi pouco acionado, mas não se movimentou tanto para receber a bola e finalizou apenas uma vez em todo o jogo. Presa fácil para a marcação gaúcha.

Nota: 4,0

Programação

Bahia terá dois jogos em Salvador esta semana

Após passar 10 dias longe de Salvador, o Bahia volta aos treinamentos no Fazendão. Neta semana, o tricolor tem compromissos em Salvador pela Copa Sul-Americana e Campeonato Brasileiro.

a quinta-feira (04), às 22h, o Esquadrão de Aço enfrenta o Internacional, na partida de volta pela 2ª fase da competição continental. No primeiro jogo, o Bahia venceu por 2 a 0, jogando no Beira-Rio, e pode até perder por um gol de diferença que avança na competição.

á no próximo domingo (07), o Bahia recebe o Coritiba, pela última rodada do 1º turno do Brasileirão. A partida será às 18h30, na Fonte Nova.

Confira a programação semanal:

Segunda-feira (01) – 12h30: Desembarque previsto em Salvador;

Terça-feira (02) – 15h30: Treino, Fazendão;

Quarta-feira (03) – 15h30: Treino, Fazendão;

Quinta-feira (04) – 22h: Jogo contra o Internacional, na Fonte Nova;

Sexta-feira (05) – 15h30: Treino, Fazendão;

Sábado (06) – 09h: Treino, Fazendão;

Domingo (07) – 18h30: Jogo contra o Coritiba, na Fonte Nova.

Comentários
Carregando...