Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Judô: Brasil perde o Bronze por equipes

12

Seleção masculina perde o bronze para os campeões mundiais de 2013

Alex Pombo e Tiago Camilo são derrotados contra a Geórgia, e Brasil não vai ao pódio no encerramento do Mundial de Chelyabinsk; meninas perdem na estreia para Polônia

A seleção masculina começou bem, venceu o forte time da França e chegou à disputa do bronze, mas acabou perdendo a medalha no Campeonato Mundial por equipes de Chelyabinsk para a Geórgia, campeã no Rio de Janeiro em 2013. Sem contar com Victor Penalber, machucado, o time verde e amarelo precisava vencer três das quatro lutas contra os georgianos. Não deu. Os brasileiros foram superados por 3 a 2 e tiveram que se contentar com o quinto lugar. Já a seleção feminina, vice-campeã no Rio, não passou da primeira rodada e foi eliminada pela Polônia.

– Se o Victor tivesse participado, acredito que o panorama teria sido diferente porque é sempre um atleta muito forte. Mas numa decisão é possível tudo acontecer. Não esperava que o Tiago Camilo perdesse da maneira que perdeu. Enfim, faz parte da competição. No Mundial atletas se lesionam, e você acaba lutando desfalcado ou com o atleta lutando no sacrifício como foi o caso do Victor. Acho que ele realmente contribuiu muito pra gente ter chegado na disputa de terceiro, se sacrificando e lutando tanto com a Alemanha quanto com a França. Mostrou ali um espírito de equipe, de superação – disse o coordenador da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson.

luta Brasil judô contra Georgia Bronze Mundial derrota (Foto: Raphael Andriolo)

Brasil perde o bronze para a Geórgia no Mundial por equipes

Entre os homens, o ouro ficou com o Japão. Após estar perdendo por 2 a 0, o time nipônico virou sobre a Rússia e calou a torcida local, incluindo o presidente Vladimir Putin, que assistiu à reta final da competição por equipes de um camarote. Além da Geórgia, a Alemanha ficou com o bronze. Entre as mulheres, a polonesas, algozes do Brasil, se despediram sem medalha. A França sagrou-se campeã ao bater a Mongólia, enquanto Alemanha e Japão venceram seus respectivos confrontos pelo bronze.

A campanha no masculino

De cara, o Brasil encarou uma pedreira, a França. Mas a revanche esperada entre Rafael Silva e Teddy Riner não aconteceu – o brasileiro foi poupado. Charles Chibana não se intimidou diante de Adrien Bourguignon e fez 1 a 0. Os franceses empataram depois que Alex Pombo perdeu para Ugo Legrand. Victor Penalber entrou em ação e colocou o país em vantagem novamente ao bater Alain Schmitt. E Tiago Camilo confirmou a classificação verde e amarela contra Alexandre Iddir. Coube a David Moura encarar Riner. E nem a boa campanha no individual ajudou o brasileiro a parar o heptacampeão do mundo dos pesados. A vitória, porém, já era do Brasil: 3 a 2.

Nas quartas, a seleção encarou a Alemanha, algoz no Mundial do Rio 2013. E mais uma vez caiu para os europeus. Chibana derrotou Sebastian Seidl, mas Pombo (contra Christopher Voelk), Penalber (contra Sven Maresch) e Camilo (contra Marc Odenthal) perderam. Sem chance de ir à semifinal, o Brasil entrou com Baby para cumprir tabela. O medalhista de bronze no evento individual cumpriu seu papel e venceu Dimitri Peters.

– Eu estava bastante confiante que a gente pudesse passar pela Alemanha. Mas o desfalque do Victor foi um fator muito importante. Tenho certeza que se ele estivesse 100%, ele teria passado pelo Maresch e a gente poderia ter chegado na final – disse Ney Wilson.

Para disputar o bronze, a seleção masculina tinha que passar por Cuba na repescagem. Com apenas quatro atletas, eram necessárias apenas duas vitórias. E elas foram conquistadas logo no início. Chibana bateu Javier Peña, e Pombo derrotou Gilberto Solar. Penalber foi poupado, e Magdiel Estrada recebeu a vitória. Sem ninguém no peso de Tiago Camilo, o paulista entrou no tatame e foi anunciado vencedor. Com a vaga na disputa do terceiro lugar garantida, Baby fez um clássico latino contra Oscar Brayson e acabou derrotado: 3 a 2.

Na disputado bronze contra a Geórgia, Chibana  aplicou um belo golpe em Shalva Kardava e venceu por ippon, dando esperança ao Brasil. Em seguida, Pombo fez uma luta dura contra Nugzari Tatalashvili, mas caiu no golden score. Sem Penalber, Avtandili Tchrikishvili recebeu a vitória. Tiago Camilo não podia perder para continuar com chances. Mas Varlam Liparteliani foi melhor e, por ippon, garantiu a medalha para a Geórgia. Com o confronto decidido, Baby encarou Adam Okruashvili e diminuiu o placar para 3 a 2.

luta Brasil judô contra Georgia Bronze Mundial (Foto: Raphael Andriolo)

Chibana foi o único atleta do Brasil a vencer todas as lutas na disputa por equipes

Seleção feminina cai na estreia

Atual vice-campeã mundial por equipes, a seleção feminina do Brasil decepcionou na madrugada deste domingo e foi eliminada pela Polônia logo na estreia da competição em Chelyabinsk. As brasileiras perderam o confronto por 3 a 2, com vitórias de Mariana Silva e Rochele Nunes e derrotas de Sarah Menezes, Rafaela Silva e Maria Portela.

Maria Portela Brasil perde sua única luta no Mundial de Chelyabinsk

A campeã olímpica Sarah Menezes e a campeã mundial Rafaela Silva foram as duas primeiras a lutar. Sarah, que foi improvisada em uma categoria acima da que luta normalmente, não resistiu a Karolina Pienkowska. Rafaela surpreendentemente caiu para Arleta Podolak. Com 2 a 0 atrás, Mariana Silva precisava vencer. Foi o que ela fez. Bateu Agata Ozdoba, diminuiu para 2 a 1 e deu fôlego à equipe.

Mas Maria Portela, que viajou à Rússia só para a disputa do torneio por equipes, acabou perdendo para Katarzyna Klys, medalha de bronze na categoria médio (70kg) individual. O 3 a 1 decretava a eliminação brasileira. Com o resultado definido, Rochele Nunes entrou no tatame para cumprir tabela. A peso-pesado fez sua parte e venceu Daria Pogorzelec, que foi desclassificada após aplicar um golpe não permitido.

 

 

Comentários
Carregando...