Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Kleina ‘solta o verbo’

0

Gilson Kleina analisa: bronca com arbitragem, ferida aberta e Charles x Rhayner

"A ferida está aberta, mas vamos cicatrizar e dar a volta por cima", garantiu o treinador após derrota para o Cruzeiro

A derrota por 2×1 para o Cruzeiro não foi digerida pelo técnico Gilson Kleina. Em entrevista coletiva após a partida no Mineirão, o comandante do Bahia não escondeu a frustração pelo resultado. Apesar da superioridade cruzeirense, o treinador acredita que era possível voltar de Minas Gerais com um resultado melhor.

Além da análise da partida, Kleina criticou a arbitragem do sul-matogrossensse Marcos Mateus Pereira, falou sobre a discussão envolvendo o atacante Rhayner e o auxiliar técnico Charles Fabian e pediu apoio do torcedor. Abaixo, confira todos os pontos abordados pelo treinador do Bahia após o revés em Belo Horizonte:

Discussão entre Rhayner e Charles

"Não foi comigo. A discussão foi ele e o Charles. Não sei o que aconteceu, acabou o jogo ali a gente fechou, o Charles pediu para conversar comigo, vou retornar agora não sei qual foi a dicussão. A única situação é que o Rhayner falou para mim no primeiro tempo que estava sentindo a posterior. Falei, avisa para a gente fazer essa situação. Mas não foi problema. Não sei o que aconteceu, mas houve uma discussão. A gente vai conversar para poder tomar as atitudes que têm que ser tomadas. Claro, disciplina é, acima de tudo, para você se organizar em qualquer seguimento".

Análise do jogo

"Nós fizemos um primeiro tempo impecável. Os nosso jogadores estão crescendo de produção. Tenho certeza que se mantermos essa atitude, essa postura agressiva, ter a condição de jogar assim em casa, com essa confiança, essa movimentação, as vitórias virão. E ela tem que vir. O tempo está passando. Enfrentamos o líder, fizemos muitas coisas boas, mas infelizmente um lance nos prejudicou muito. Lance discutível. Tomamos o pênalti, tomamos o gol e tomamos um homem expulso. Isso nos dificultou muito. A gente já sabia que no segundo tempo. No intervalo a gente falou: 'eles vão fazer uma movimentação, crescer, vão empurrar a marcação. Vamos ter tranquilidade, manter essa bola no chão. é importante a bola chegar'. A meu os jogadores da frente estavam fazendo uma partida muito boa junto com as chegadas do Rafael Miranda, do Léo Gago, o Railan fazendo a passagem… Aí na hora que perdemos o Titi a equipe desequilibrou. Ainda mantive, mandei o Fahel dar um passinho para trás, mantive os três atacantes até o final para não chamar definitivamente o Cruzeiro. Aí tivemos uma chance de ouro com o Railan. Chateado, triste pela derrota. Um dia que vai ser difícil dormir pela postura que o Bahia fez aqui dentro. Agora, tem coisas boas que aconteceram, é a isso que a gente tem que se apegar. O jogo de domingo, que é um jogo que para nós, só temos um resultado. Com todo respeito que a gente tem ao Figueirense, mas a gente tem que fazer o resultado de vitória".

Arbitragem

"Tentamos equilibrar. Acho que perdemos muito com a expulsão do Titi e com o pênalti. Ainda não vi no monitor para a gente realmente falar com argumento, mas assim, põe o primeiro árbitro para apitar no Mineirão, Bahia contra o líder, e é o primeiro jogo da Série A. Eu não vejo essa convicção na dúvida da área no ataque do Bahia. Vejo qualquer dúvida na convicção do pênalti. Isso que estou reclamando e levantando essa bandeira. São lances capitais que vão passando e vamos perdendo pontos preciosos. Na minha frente, um contra-ataque com Rafinha, o Henrique já tinha amarelo, o outro volante veio, parou a jogada e não tomou amarelo. Nossa equipe correu para dar amarelo e ele não deu. Aí o Titi bateu palma e ele expulsou. No final do jogo o Fahel bateu palma ele deu amarelo e depois trouxe para dar vermelho. Vai apitar Série A? Tem que ter equilíbrio, ele sabe que vai ser pressionado. Agora vamos acompanhar nos outros jogos, se acontecer de alguém pressioná-lo, se ele vai expulsar direto como ele expulsou o Titi. Aí é muito fácil. Nós erramos, acho que nós também não devemos ter esse tipo de postura, porque a gente sabe que é um jogo difícil, que nós tínhamos começar e terminar com 11. Agora, deixamos de repente fazer um grande divisor aqui, leva três pontos para Salvador era o que essa equipe precisava para poder reagir. Precisa acreditar, os dois tempos. Acho que a equipe teve uma postura que não deixou o Cruzeiro gostar do jogo".

Figueirense em Feira de Santana

"Temos que solucionar. Se é campo ruim, temos que encarar como se fosse esse tapete aqui, porque precisamos da vitória. Temos que mobilizar esse grupo, dos que aqui estão, dos que lá ficaram, para a gente bater em Feira de Santana e conseguir a vitória. Agora, não pode bater o nevorsismo, ansiedade, achar que vai fazer de qualquer jeito que o adversário vai extrair bem essa ansiedade nossa. Temos que passar a ansiedade para eles. Uma vitória não vai nos tirar da situação, mas vai nos deixar sair dessa muvuca. Temos que bater nessa tecla e bater no jogo que fizemos hoje, que foram dois tempos distintos".

Apelo por ingresso mais barato e torcida

"Quero dizer que nosso torcedor está triste, que vai ser uma noite difícil para nós, para mim principalmente, porque assimilar mais uma derrota do jeito que nós trabalhamos para neutralizar o Cruzeiro. Estou pedindo o apoio deles, estou pedindo, sei que alguns torcedores estão exaltados, que não queiram fazer uma pressão como foi feita de querer retaliar, vamos apoiar, nós precisamos da força daquele torcedor que realmente torce para o Bahia. Temos que levantar essa autoestima. Não tenho esse direito nem autonomia para falar com a diretoria, mas vou fazer um apelo para tentar diminuir o preço dos ingressos, lotar a Arena Fonte Nova, lotar Feira de Santana, que nós vamos precisar de combustível. Os outros times também vão tropeçar e não é discurso de querer só motivar, é de confiança. Acredito muito nesse grupo, estou orgulhoso pela partida que fizemos hoje e tenho certeza que vamos reverter esse quadro".

Ferida aberta

"Temos que salvar essa instituição, valorizar a camisa que estamos vestindo. Isso que eu estava passando para eles, uma equipe com confiança, uma equipe que acredita, que vamos precisar fazer o resultado, que vamos precisar fazer as vitórias. Se a gente for fazer um balanço do resultado aqui, perder o jogo para o Cruzeiro, o favorito era o Cruzeiro, mas empatamos com o Coritiba. Não faz o resultado em casa, tem que fazer fora. São três vitórias, uma equipe que não conseguiu engrenar. Você vê que estamos estreando jogador na 19ª rodada. É conversar com eles para dar a volta por cima. Tenho um mês aqui, mas parece que tem mais tempo. Vou confiar até o final. Se tiver que suar sangue, nós vamos suar. Pedir paciência é difícil, o torcedor cobra, todo mundo é cobrado. A ferida está aberta, mas vamos cicatrizar e dar a volta por cima".

Contratação de meia

"O Rodrigo Pastana está se esforçando ao máximo, o mercado está muito restrito, muito fechado, os nomes que a gente vai atrás os clubes não querem liberar. É solucionar com jogadores que aqui estão. Tem Branquinho, Emanuel mais curado e ver de que forma a gente vai enfrentar o Figueirense. Tenho que colocar uma equipe que possa dar uma resposta e que a gente possa voltar de Feira com três pontos".

Comentários