Manifestações mais ‘organizadas’

Novos estádios devem mudar cultura do torcedor no Brasil, diz psicólogo

Raphael Zaremba acredita em manifestações mais 'organizadas' em arenas do país. Episódios na volta do Campeonato Brasileiro reacendem discussão


O Brasil ganhou novos estádios com a Copa das Confederações e outros virão até a Copa do Mundo, em 2014. Reformadas ou novas, as arenas exigem um novo comportamento do torcedor, considerando aspectos como a proximidade do gramado ou assentos numerados. Para o psicólogo e professor Raphael Zaremba, as mudanças na maneira de torcer não serão drásticas, mas são inevitáveis no novo cenário.

– Ele (torcedor) não vai precisar mudar a forma dele torcer, só que isso vai ser feito de uma maneira um pouco diferente, mais organizada, entre aspas. Certamente há uma mudança na cultura do torcedor brasileiro e na cultura brasileira – considerou.

A Copa das Confederações, que adotou o chamado "padrão FIFA" e foi considerado um teste para a Copa do Mundo, tudo ocorreu bem. Na continuidade do Campeonato Brasileiro, logo na primeira rodada após a competição da FIFA, os problemas começaram a aparecer: um torcedor do Fluminense invadiu o gramado na partida contra o Botafogo, na Arena Pernambuco, e um copo foi jogado no campo no duelo entre Flamengo e Coritiba, no Mané Garrincha, em Brasília.

Torcedor invadiu campo, na Arena Pernambuco, para tietar Fred

invasão torcedor arena pernambuco (Foto: Antônio Carneiro/ Pernambuco Press)

Nos dois casos, os torcedores acabaram retirados das arquibancadas por policiais. O delegado Orlando Zaccone acredita que as novas arenas facilitam o trabalho da segurança e aposta na diminuição da violência.

– Cada vez mais os estádios se assemelham aos espaços de espetáculo. Então, os comportamentos são mais previsíveis e, portanto, o policiamento fica mais fácil e a possibilidade de ocorrências é menor – considerou.

Nos fatos registrados no Recife e em Brasília, os torcedores foram identificados, o que ajuda o clube a se livrar de possíveis punições. A expectativa é que o público pense também nas consequências e evite causar problemas no decorrer do Campeonato Brasileiro e em outras competições.

– O clube pode ser punido de R$ 100 a R$ 100 mil e, dependendo da gravidade, se for algo grave, mais a perda de uma até 10 partidas, e essa responsabilidade também se estende ao clube visitante – explicou o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Flávio Zveiter.


Tabela interativa da Série A com atualização online


Fonte: SporTV

Foto: Antônio Carneiro/ Pernambuco Press – Reprodução SporTV – OPERAMUNDI