Não culpem o futebol!

Não culpem o futebol!


Desde sempre vejo pessoas culpando as mazelas brasileiras por sermos manipulados por futebol e carnaval. É sempre a mesma conversa vazia e conveniente. Aprofundar os temas e reconhecer a culpa pela omissão é mais difícil do que repetir clichês no intuito de soar intelectual. É claro que os políticos usam qualquer coisa para desviar o foco, mas generalizar em cima de um esporte e uma tradição festiva é absurdo! Como os problemas podem ser “esquecidos” devido a essas duas identidades nacionais? O país inteiro para, de fato, por um mês a cada quatro anos (Copa do Mundo) e no outro é em uma semana por ano. E os outros 358 dias sem os festejos de momo? Em vários países do mundo, seja futebol ou outro esporte, têm o mesmo ou até mais fanatismo que os brasileiros. E por que em muitos deles os direitos são respeitados? Os americanos conseguem viver em torno de quatro grandes esportes: basquete, futebol americano, beisebol e hóquei, sem falar na cultura esportiva em geral.

A Alemanha, talvez o país mais miseravão do mundo em termos de organização, estrutura e qualidade de vida, ovaciona o futebol e outros esportes, como o handebol. É uma questão cultural e de vergonha na cara! O brasileiro é, talvez, o povo mais mulher de malandro que existe. Nós somos alienados sim, mas não pelo futebol. Futebol é um estepe, um apoio ao dia a dia de torturas e roubo do nosso dinheiro. Não recebemos educação e aprendemos a ser gratos por nada. Vivemos no eterno pensamento do “otário tem mais que se foder”, mas quase todos nós somos o otário. Na mesma proporção que somos “bonitos por natureza”, somos corruptos e aceitamos a corrupção.

O futebol é um esporte grandioso. É exaltado em quase todo o mundo. Basta ter uma bola, que se dá um jeito de praticar. No Brasil ele ajuda a tirar muitas crianças do tráfico e de uma vida miserável, seja diretamente ou em projetos sociais. Os clubes, mesmo com dirigentes escrotos, são empresas imensas que dão emprego a milhares de pessoas pelo país. O torcedor tem aquele momento do dia para saber as informações do time do coração, para relaxar, se distrair. Ele sabe que aquilo é apenas um complemento do dia a dia e não tudo de bom ou ruim, a depender do resultado. É como a hora do cafezinho. A vida e os problemas seguem, independente de Bahia, Vitória, Internacional, Ponte Preta, Cruzeiro, Vasco, São Paulo…

Todos esses protestos Brasil afora estão sendo importantes demais! Com as redes sociais, fica fácil filtrar o certo e o errado, saber diferenciar realidade de conversa pra boi dormir. Assim como têm manifestantes com interesses políticos e, por isso, vandalizam, existem polícias despreparados e dispostos a reprimir e não servir e proteger. E, claro, também por receberem ordens para tal. Por isso, os confrontos acabam sendo inevitáveis. Espero que, depois de tantos absurdos divulgados mundialmente, as próximas manifestações (permitidas por lei), ocorram sem violência dos dois lados, apesar de não acreditar. Quase chorei, ao ver um vídeo em que manifestantes, sentados, cantavam o hino nacional e coros exaltando o país e, sem explicação, foram agredidos com bombas e balas de borracha, no Rio de Janeiro.

A Copa do Mundo e as Olimpíadas não são as culpadas pela corrupção nesse país, apesar de termos aceitado todas as exigências descabidas da FIFA, que ajudaram a maquiar o aumento absurdo no custo dos estádios. Em cada esquina, em cada obra, em cada projeto, lá está um bolso aberto pegando a parte que “lhe cabe”. Agora, é claro, por terem proporções mundiais, devem servir de mote, sim, para os protestos. Escândalos como o Maracanã e o Mané Garrincha devem ser cobrados e investigados até o fim! É claro o superfaturamento. O que precisa ser feito é exigir, cobrar, expulsar políticos comprovadamente corruptos e que continuam a cuidar do nosso dinheiro. Com muito carinho, por sinal.  É preciso saber separar as coisas. Futebol é uma glória nacional. O roubo escancarado ao redor dele uma vergonha.Podemos, sim, torcer e protestar!

Fonte: Éder Ferrari – Bahia Notícias

Foto: Blog Chico Maia