O Bahia quer voltar a vencer o Coritiba, o que não acontece há 18 anos

Estadio Couto Pereira Coritiba

De todos os 19 adversários que o Bahia enfrenta nesta Série A, não há nenhum mais indigesto do que o Coritiba. Nesta quinta-feira (15), às 16h, o tricolor de Jean, 21 anos, entra em campo no Couto Pereira para encarar um tabu que tem quase a idade do goleiro.

Não tem Corinthians, Flamengo, Palmeiras, São Paulo ou Vasco: o Coritiba é o time da Série A que o Esquadrão não consegue derrotar há mais tempo, incríveis 18 anos.

O último triunfo, seja em Curitiba ou em Salvador, foi pela Copa do Brasil, em 14 de abril de 1999. Jogando na Fonte Nova, o Bahia, comandado por Joel Santana, venceu o jogo de ida das oitavas de final por 3×0, gols de Uéslei, Dimba e Lima Sergipano.

De lá para cá, foram nada menos que 13 empates e cinco derrotas do tricolor. O retrospecto conta até com os jogos pela Série B 2010, em que o Bahia conquistou o acesso com tranquilidade. Naquele ano, perdeu por 2×0 no Paraná e empatou por 1×1 em Pituaçu.

Se for para considerar apenas a elite do Brasileirão, o jejum é bem maior – mais antigo não só do que Jean, mas do que boa parte do elenco tricolor. O último triunfo aconteceu em 1985, ano do único título brasileiro do Coxa, há 32 anos.

Apenas por curiosidade, de todo o elenco tricolor, apenas o goleiro Anderson, 33 anos, é mais velho que o jejum.

Aí vem a parte boa: aquele triunfo foi justamente no Couto Pereira, por 2×1. Leandro e Celso, de pênalti – furando a rede – marcaram para o Bahia e Lela descontou para o Coxa.

Perguntado sobre o jejum, o goleiro Jean simplificou: “Falaram que havia um tabu contra o Cruzeiro também, de que o Bahia não ganhava deles em casa (desde 1995) e a gente ganhou. Tabu não entra em campo. A equipe deles já mudou inteira desde 1985”, disse.

Fora o Coritiba, o adversário desta Série A que o Bahia não vence há mais tempo é o Atlético-MG. O último triunfo sobre o Galo aconteceu pelo Brasileirão de 2002, um 5×3 na Fonte Nova. Há ainda o jejum contra a Chapecoense, que o tricolor nunca venceu. Aconteceram, porém, apenas dois duelos na história, em 2014.

Desafio

O adversário do Bahia vem em grande fase na Série A. Venceu todos os três jogos no Couto Pereira, sendo os dois últimos sobre o atual campeão Palmeiras e o rival Atlético-PR, ambos por 1×0. O alviverde chega a esta 7ª rodada como 3º colocado.

O Coritiba é sempre muito forte em casa, independentemente desse momento que vive agora. O Pachequinho (técnico) vem fazendo um grande trabalho, inclusive com o título estadual. Estamos atentos. Conheço muito os jogadores deles, principalmente os três da frente, Kleber, Henrique e Rildo, que já foi meu atleta na Ponte Preta. Mas a gente sabe também da nossa força e que podemos surpreender – disse o técnico tricolor Jorginho.

O Esquadrão, por sua vez, não tem ido tão bem fora de casa. Perdeu todos os três jogos que teve como visitante, o último na segunda-feira (12), para o Grêmio, por 1×0.

A realidade é que nos dois primeiros jogos, contra Vasco e Botafogo, a equipe entrou mais preocupada com a Copa do Nordeste. Após a minha chegada, fizemos um bom jogo contra o Grêmio, em que tivemos condições de vencer. Infelizmente o gol saiu de bola parada, que é sempre perigosa. Estamos encarando com serenidade. Sabemos que para o que queremos alcançar neste ano será preciso vencer fora de casa – completou Jorginho.

Terceiro melhor ataque da Série A com 11 gols, o Bahia só marcou um fora de casa, feito por Gustavo, contra o Vasco.

Ficha Técnica

Coritiba x Bahia
Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Couto Pereira, em Curitiba
Data: 15/06/2017
Horário: 16h
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Fábio Rodrigo Rubinho e Marcelo Grando (MT)
Assistentes adicionais: Alinor Silva da Paixão e Rafael Odilio Ramos dos Santos (MT)

Coritiba: Wilson; Dodô, Werley, Márcio e Carleto; Alan Santos, Matheus Galdezani e Tiago Real; Henrique Almeida, Kleber e Rildo. Técnico: Pachequinho

Bahia: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca (Rodrigo Becão) e Matheus Reis; Juninho (Edson), Renê Júnior e Vinícius (Mendoza); Zé Rafael, Allione e Edigar Junio. Técnico: Jorginho.

Via: Correio24hs

Leia também:
Mendoza retorna e Bahia tem 22 relacionados para enfrentar o Flamengo
Bahia encerra preparação para enfrentar o Flamengo focando no posicionamento
Bobô critica a atual diretoria do Bahia e fala em candidatura
Fazendo mistério sobre os titulares, Carpegiani não descarta Hernane: “Boa opção”