‘O recurso que não era meu’

Kakay chama intervenção de ‘inusitada’, e evita dar prazos

Advogado de Marcelo Guimarães Filho está se preparando para recorrer da decisão judicial e acabar com intervenção

Kakay: "eu estava sustentando um recurso que não era meu"


 

O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, contratado por Marcelo Filho para atuar no processo de intervenção, diz que entra em cena agora, quando vai dar entrada no agravo.

“Eu estava sustentando um recurso que não era meu. Infelizmente, o advogado da época entrou com medida cautelar e o juiz entendeu que não cabia”, disse Kakay, famoso por defender de políticos acusados de corrupção, como no Mensalão, a atriz Carolina Dieckmann, o publicitário Duda Mendonça e até Daniel Dantas, do Opportunity, ex-sócio do Bahia através da Ligafutebol no Bahia S/A.

No caso da intervenção, dois caminhos: mostrar que a exclusão do sócio Jorge Maia do Conselho foi legal e que o pedido de intervenção é abusivo. “Como alguém que foi alijado de um processo eleitoral, pois não cumpria os requisitos do estatuto, ao invés de pedir direito de votar, peça a intervenção? É uma inversão do sistema democrático. É inusitado, desproporcional”, criticou, fugindo de prazos para reverter o quadro. “Não dou prazo para o poder judiciário. Eu respeito. Mas vou para as questões processuais”.


Tabela interativa da Série A com atualização online

http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte: iBahia.com

Foto: Youtube