Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Paredão Marcelo Lomba fala dos 200 jogos pelo Esquadrão

0

Declaração ao clube, torcida e títulos: os 200 jogos de Lomba pelo Bahia

Marcelo Lomba completa 200 jogos com a camisa do Bahia nesta quarta-feira, na partida contra o Universidad César Vallejo, pelas oitavas de final da Sul-Americana

Marcelo Lomba completa 200 jogos pelo Bahia 

Quando Marcelo Lomba entrar em campo para enfrentar o Universidad César Vallejo, na noite desta quarta-feira, primeira partida das oitavas de final da Copa Sul-Americana, ele alcançará uma marca significativa. Diante dos peruanos, o jogador que veste a camisa número 1 do Bahia há quase quatro anos completará 200 jogos sob as traves tricolores.

Marcelo Lomba, que chegou ao Fazendão em 2011, vindo do Flamengo, precisou de pouco tempo para superar a desconfiança da torcida. Com atuações seguras e uma série de defesas espetaculares, logo caiu nas graças dos tricolores. Com a camisa azul, vermelho e branca, foi campeão baiano nos anos de 2012 e 2013 e peça fundamental em todos os anos em que o clube lutou para não ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Para expressar a emoção de vestir o manto tricolor pela 200ª vez, Lomba não poupou palavras. Falou sobre o apreço pelo clube, agradeceu a todos que fizeram parte dessa trajetória e, claro, comentou sobre a sintonia com a torcida. No meio da longa resposta, frases bonitas, de efeito, como a destacada a seguir: “Torcedor do Bahia não é torcedor de televisão. É um torcedor de estádio”.

– Fico muito feliz. Uma marca significativa, ainda mais nos tempos de hoje, onde a gente vê mudanças frequentes, com o amor à camisa ficando à parte no mundo dos negócios. Fico feliz. Não é qualquer um que consegue conquistar essa marca. Já estou aqui há quase quatro anos. Tem muitas alegrias. É um clube que eu procuro respeitar muito, passar para qualquer companheiro que chega a grandeza que o clube tem, as conquistas. A gente sabe que existe um pouco de preconceito com o Nordeste. Mas o Bahia é muito grande. A gente almeja, a torcida almeja voos maiores, porque é um clube de massa. Torcedor do Bahia não é torcedor de televisão. É um torcedor de estádio. Tenho a consciência bastante tranquila porque, todo dia, eu tento dar o meu melhor. Quando eu cheguei aqui, e hoje o clube como está… Eu cresci muito. No último domingo [diante do Flamengo], tivemos a prova: quando o Bahia jogar junto com o seu torcedor, vai ser sempre grande; um dos maiores do Brasil. A gente espera isso, ter sempre essa sintonia. Domingo foi muito marcante. Muitos jogadores que chegaram aqui esse ano nunca tinham visto e ficaram impressionados. A torcida jogou do primeiro ao último minuto. Fico feliz de comemorar essa marca em um momento bom, em sintonia com a torcida. A gente convida eles para participar. O grupo tem se dedicado a cada dia. Quero agradecer a todos que participaram desse momento. Já foram tantos companheiros, tantos jogos, tantos momentos. Fui premiado aqui com a oportunidade de levantar um título como capitão. Isso é um sonho de criança. É um momento de alegria. Falo com muito orgulho, porque aprendi a gostar do Bahia. Vim do Rio de Janeiro, mas hoje moro aqui, meu filho estuda aqui. Falei, falei, falei… Mas, o mais importante, é quarta-feira a gente vencer o jogo – afirma.

Lomba pede que o time aproveite bom momento contra os peruanos

A partida contra o Universidad César Vallejo está marcada para as 19h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira, na Arena Fonte Nova. Para vencer os peruanos e arrancar uma boa vantagem para o jogo da volta, no próximo dia 15, Marcelo Lomba afirma que o clube tem que aproveitar o bom momento que vive – no Campeonato Brasileiro, o Tricolor venceu quatro dos últimos cinco jogos e conseguiu se distanciar da zona do rebaixamento.

– A gente tem que aproveitar o momento. O momento é bom; é de recuperação. O Gilson Kleina [técnico da equipe baiana] mostrou para a gente a carência que se tinha. Agora, com trabalho, com as análises que ele fez, soube entender e está buscando tirar o melhor de cada um. Acho que a gente não vai sentir tanto o desgaste. O pessoal que está entrando está até melhor fisicamente. Importante é imprimir um ritmo forte para poder vencer. Tem que fazer o resultado. É uma competição que nós queremos muito. É uma oportunidade de título. Quem entrar amanhã [quarta-feira] vai dar o melhor para conseguirmos um resultado bom e depois levar lá para o Peru – diz.

Confira outros trechos da entrevista de Marcelo Lomba.

01

FASE RUIM?

– Futebol é assim. A gente vive bons momentos, e outros de menos confiança. Importante é nunca deixar de trabalhar e se superar a cada dia. Amanhã é uma nova oportunidade para todo mundo. O Emanuel Biancucchi, por exemplo, chegou aqui como uma opção junto ao Maxi, ninguém conhecia e, no último jogo, ele foi aclamado, com todo mundo aqui muito feliz por ele conseguir dar a resposta dentro de campo. A cada dia, você tem que matar um leão. Estou acostumado a lidar com isso. Nos momentos mais difíceis do Bahia, eu sempre apareci. Vocês são prova disso. Hoje, sou o último a sair para amanhã poder dar o meu melhor.

02

MOMENTO MARCANTE

– Jogador vive de conquistas. Quando cheguei ao Bahia, o time nem tinha ido para a final do Campeonato Baiano de 2011. E a gente, com muito trabalho, conseguiu reverter isso. Não eu. Jamais eu. Os jogadores, as comissões técnicas, a diretoria. E hoje, desde que eu estou aqui, disputei três títulos e ganhei dois. Ser campeão marca. Um momento… Jogo inesquecível foi no ano passado. A situação não era tão legal, mas foi superação total o jogo contra o Cruzeiro, com o Mineirão lotado, festa do Cruzeiro. A gente jogava nossa vida ali contra o rebaixamento. Foi a minha melhor atuação. Hoje, a gente tem a internet aí para gravar. Pode ter certeza que, quando eu pendurar minhas chuteiras, vou sentir saudades.

Comentários