Pedro Henriques se irrita com a arbitragem: É só contra o Flamengo que volta pênalti?

Todos na sala de imprensa do Bahia aguardavam a chegada do técnico Jorginho para dar suas impressões sobre a derrota por 4 a 2 para o Palmeiras. Mas não foi ele quem primeiro chegou ao local. Bastante irritado, o vice-presidente do clube, Pedro Henriques, foi até os jornalistas para se queixar da atuação do árbitro Rodolpho Toski Marques.

O motivo da queixa do dirigente foi o pênalti marcado aos 15 minutos do primeiro tempo, quando Rodrigo Becão desarmou Keno sem cometer falta (veja o lance no vídeo acima).

– É desagradável vir prestar esses esclarecimentos, fazer essas declarações depois de uma derrota. A gente parabeniza a equipe do Palmeiras que soube aproveitar as circunstâncias. Mas está ficando muito evidente, as pessoas não falam. Não sei se é porque somos do Nordeste, e as pessoas não olham pra cá. Aí dona CBF acha que por causa de uma convocação de Diego Souza, que é um jogador que é aqui do Nordeste, fica todo mundo bem, feliz? Não é assim não… Isso não foi só hoje. Contra o Coritiba, aquele senhor Kleber fez o que fez. A CBF adotou uma inovação esse ano, que comentam as arbitragens dos jogos. Fiquei perplexo que a CBF disse que o árbitro acertou nas expulsões. Esqueceu das agressões de Kleber. A gente respeita a equipe do Palmeiras, a gente respeita as pessoas que estão trabalhando de forma séria. Mas nós também estamos. A gente pede, por favor, olhem para o que acontece com o Esporte Clube Bahia. Parabéns ao Palmeiras que conseguiu os três pontos, apesar do cai-cai, mas isso faz parte do jogo. O que não faz parte do jogo é o árbitro inventar um pênalti que Rodrigo Becão foi muito na bola – bradou Pedro Henriques.

O dirigente aproveitou para dizer que o clube não iria entrar com uma representação e lembrou Flamengo, que teve um pênalti desmarcado no duelo contra o Avaí.

– Peço que esses árbitros sejam advertidos. Aí perguntam: o Bahia vai fazer representação? Adianta o quê? Nós já fizemos algumas representações. É tudo arquivado. A gente precisa ter profissionalismo. É só contra o Flamengo que volta pênalti, é? – ironizou.
Por fim, Pedro Henriques exigiu a profissionalização da arbitragem:

– Acho que a gente precisa trabalhar muito, fazer o time mais qualificado possível para que a gente possa superar esse tipo de dificuldade que volta e meia se impõe pra gente. Só quero que as pessoas digam o que está acontecendo. A gente só quer trabalhar honestamente. O Bahia tem uma gestão profissional. A gente quer tratar as coisas com profissionalismo. A arbitragem também tem que ser tratada com profissionalismo. Eu não posso afirmar aqui que o árbitro foi mal intencionado. Não tenho provas disso. Agora, eu posso afirmar que ele foi extremamente incompetente. Isso eu posso afirmar. E quero ver se alguém vai me punir por causa disso – finalizou.

Com a derrota, o Bahia caiu para a 12ª colocação da Série A, com 10 pontos conquistados. O Tricolor volta a campo na quinta-feira para enfrentar o Corinthians, em São Paulo.

Fonte: Globo Esporte

Leia também:
Por erro na medição da sede de praia, Bahia pode receber mais R$ 9,1 milhões
Destaque do Bahia, Mendoza confessa em entrevista: Eu era mais rápido
Após derrota para o Bahia, Vasco demite o técnico Milton Mendes
Análise: com prazo no fim, o que a direção precisa avaliar para efetivar Preto Casagrande