Portão do Bahia continua aberto

Portão do Bahia continua aberto para saída e jogadores arrumam as malas


O que a Tribuna revelou na sua edição dessa terça-feira (18/6), parece ser inevitável no Bahia. Os portões do Centro de Treinamentos do Fazendão continuam abertos, e muitos jogadores estão de malas prontas para deixar o clube neste início do segundo semestre de 2013. Muitos continuam treinando no clube porque os novos contratados ainda não chegaram, e o Tricolor precisa de dinheiro para acertar as rescisões dos contratos dos profissionais que não estão nos planos para o Campeonato Brasileiro.

O Gestor de Futebol, Anderson Barros, desde que assumiu o departamento de futebol do Bahia, anunciou oficialmente a contratação de apenas um jogador: Rafael Miranda. O segundo reforço da ‘Era Barros’ deve ser outro atleta da posição: Fabrício Lusa, do Juventude. As novas caras do Bahia podem significar a perda de espaço para quem já está no Fazendão.

Sem a confirmação oficial da chegada do jovem volante do time gaúcho, que pode acontecer até o fim desta semana, o treinador Cristóvão Borges já possui seis volantes no elenco: Fahel, Diones, Hélder, Feijão, Rafael Miranda e Toró. Além de Anderson Melo, que fazia parte do time profissional e foi rebaixado para o grupo Sub-20. A chegada de Fabrício Lusa, aliada a não sequência de jogos no clube, pode significar o fim da linha de Toró no Bahia.

O clube não confirma, mas, atualmente, o volante é visto dentro do Fazendão como um jogador negociável. Qualquer proposta referente ao atleta seria imediatamente aceita pela diretoria, destaca o jornalista Felipe Santana do site BahiaNoticias.

Situação semelhante vive o centroavante Obina. Titular da equipe no início do Campeonato Baiano, ainda que estivesse acima do peso, o atacante marcou quatro gols. A quantidade em nada influenciou. O péssimo momento da equipe o atingiu. E não foi só isso. Contratado para compor o grupo, enquanto Souza se recuperava de mais uma lesão muscular, Fernandão ganhou a camisa 9. Gols e muita dedicação dentro das quatro linhas o tornaram um xodó do torcedor.

As coisas para Obina, então, só pioraram. Souza voltou de lesão e ocupou a segunda vaga. Recentemente, sob o comando de Cristóvão Borges, foi o escolhido para compor o banco de reservas. A diretoria do Bahia trabalha com a ideia de se desfazer de um deles. Não só pelo alto salário. São três jogadores com as mesmas características para apenas uma posição.

Fernandão é titular. Souza, além do alto salário, tem pouco mercado em virtude do alto número de lesões e problemas extra-campo. Ainda que seja prioridade na lista de possíveis saídas. Sobrou para Obina o rótulo de jogador negociável. O Sport, no campo da especulação, apareceu como possível destino do jogador. Mas, através do presidente Marcelo Guimarães Filho, o Bahia assegurou não ter recebido qualquer proposta pelo atacante.

Fonte: Tribuna da Bahia

Foto: ECB