Recepção, protestos e alfinetadas

Tricolores aproveitam recepção no aeroporto para protestar contra MGF e alfinetam alguns jogadores

Cerca de 150 torcedores que foram ao aeroporto para o desembarque do Bahia tinham um objetivo claro: declarar apoio ao time e à intervenção no clube

A atuação do time diante da Ponte Preta não foi das melhores. O 0x0 só foi garantido graças à noite inspirada do goleiro Marcelo Lomba. Para eles, isso pouco importava. Os cerca de 150 torcedores que foram ao aeroporto para o desembarque do Bahia tinham um objetivo claro: declarar apoio ao time e à intervenção no clube.

Batuque no melhor estilo de arquibancada e várias faixas de protesto contra o ex-presidente Marcelo Guimarães Filho. “Nada disso aqui é contra os jogadores. O sentimento de impunidade da antiga diretoria tinha que acabar. A gente precisava mostrar a força da torcida nas questões políticas do clube”, disse o empresário Manuel Carlos Marques.

Diversos tipos de torcedores compareceram ao aeroporto pra recepcionar o grupo, inclusive algumas crianças. Parte delas, por sinal, queria ver o goleiro Marcelo Lomba. O jogador, no entanto, foi para o Rio de Janeiro comemorar, ao lado da família, o aniversário de dois anos do filho João.

Antes do desembarque dos atletas, além do hino do clube, os torcedores fizeram algumas músicas em “homenagem” ao dirigente Marcelo Guimarães Filho. “Ôôôôô, a intervenção voltou, a intervenção voltou”, cantaram. Logo em seguida, outro recado. “Vamos torcer para o Bahia ser campeão, sem Marcelinho, esse ladrão”.

Quando os atletas apareceram no saguão, a correria foi total. Os mais festejados foram os garotos da base Anderson Talisca e Feijão, que, tranquilamente, atenderam aos inúmeros pedidos de foto.

O centroavante Fernandão também recebeu o carinho da galera. Recém-chegado ao time, o volante Rafael Miranda escutou vários pedidos da galera relacionados ao clássico Ba-Vi de domingo. Apressado, prometeu. “Nós vamos pra dentro deles, com tudo”.

Sem perdão

Nem tudo foi só alegria no desembarque tricolor. Bastante questionado pela torcida, o atacante Obina precisou ter sangue de barata para aguentar as críticas. “Vá emagrecer, seu gordo! Quer jogar como com essa barriga”, gritou um torcedor mais exaltado. Obina preferiu não dar ouvidos e continuou a tirar fotos com alguns fãs.

O lateral-direito Neto também escutou. “Vai, seu cachaceiro! Pare de beber”. Neto só escutou calado.


Tabela interativa da Série A com atualização online


Fonte e imagem: Miro Palma – Correio*