Rosales: Uma das vítimas do descaso

Sem acordo: Rosales coloca Bahia na Justiça e pede multa milionária

Jogador, que está apalavrado com equipe argentina, tentou rescisão amigável, mas deu de cara com falta de funcionários do clube baiano

Rosales está apalavrado com uma equipe argentina

rosales bahia (Foto: Jayme Brandão/Divulgação/Esporte Clube Bahia)

 


O acordo amigável firmado para definir a rescisão contratual do meia Paulo Rosales com o Bahia virou uma disputa que pode deixar um grande prejuízo financeiro nos cofres do Tricolor. Fora do elenco principal desde a primeira partida da final do Campeonato Baiano, quando vários jogadores foram afastados, o argentino entrou na Justiça para conseguir o distrato com o clube baiano.

Rosales já está apalavrado com uma equipe argentina. No entanto, sem a rescisão com o Bahia, o jogador não pode assinar contrato e se apresentar ao novo clube.

Na última semana, Rosales se encontrou com o interventor Carlos Rátis para tentar chegar a um acordo e deixar o Bahia sem dificuldades. Na ocasião, o advogado pediu um prazo para ficar a par da situação do clube e definir a saída do jogador. No entanto, a ausência de funcionários do financeiro e do setor de recursos humanos dificultou a negociação. Na ação judicial, Rosales pede um valor superior a R$ 1 milhão pela rescisão contratual.

Emocionado, Rosales denuncia descaso do Bahia

Se para a diretoria do clube não deixará saudades, a passagem de Paulo Rosales pelo Bahia ficará marcada no jogador. Porém, uma marca de sofrimento para o atleta e sua família.

Emocionado e às lágrimas, o argentino denunciou o descaso dos dirigentes do Tricolor com sua situação. "Eles se comportaram muito mal, não trataram a mim e minha família como deveriam. Fizemos um acordo e eles não cumpriram. Sempre diziam que seria amanhã, sexta-feira e esse dia nunca chega. É muito simples, eles não querem mais que eu jogue no Bahia, mas também não pagaram meus salários. Só me pagaram um salário até hoje", disse.

Segundo o meia, que chegou ao Esquadrão em fevereiro, o responsável por seu afastamento foi o ex-presidente Marcelo Guimarães Filho. "Eles não quiseram negociar. O Barros falou para mim que o presidente não queria me ver mais jogar pelo Bahia. Estou treinando sozinho e esperando poder viajar para minha casa. Estou aqui sozinho com minha mulher e meu filho e eles não querem mais que eu jogue no Bahia. Hoje, estou superando isso tudo por causa da ajuda das pessoas que moram aqui (vizinhos)".

Rosales ainda isentou a torcida pelo que passa no clube, agradeceu o apoio e revelou que já tem um destino para quando resolver sua situação. "Agradeço a torcida, que me recebeu muito bem, sou muito agradecido. Tem um clube na Argentina interessado em mim e tenho que dar a resposta".

Anderson Barros culpa intervenção por situação de Paulo Rosales

Em contato com a Equipe dos Galáticos, o superintendente de futebol do Bahia, Anderson Barros, tentou justificar o porquê da situação preocupante do meia Paulo Rosales no clube. O argentino denunciou descaso do Tricolor, que não pagou seus salários e deixou sua rescisão emperrada.

O dirigente explicou que já encontrou o problema quando chegou ao Fazendão. "Quando nós assumimos o departamento de futebol havia um quadro muito delicado. Já tinha uma definição sobre a não utilização de alguns atletas, entre eles, o Rosales, Zé Roberto, Danny Morais, Jeferson, Ryder. Em uma semana, tomamos uma decisão de reincorporar o Ryder, porque achamos que ele seria importante. No caso específico do Paulo Rosales, o chamamos para fazer um acordo e ele nos disse que não faria acordo pelos meses já trabalhados, ele queria receber. Continuamos as conversas e veio a intervenção. Eu mesmo disse ao interventor que o caso mais delicado é o de Rosales, pois ele não está no país dele. Mas, ainda não conseguimos chegar ao equilíbrio necessário para sanar essas dívidas", afirmou.

Segundo Barros, as dificuldades para conseguir rescindir os contratos dos atletas afastados são consequências do processo de intervenção que passa o Bahia. De acordo com o superintendente, investidores não têm se interessado em colocar dinheiro no Esquadrão.

"O Bahia errou com o Paulo Rosales, é uma responsabilidade do clube, que precisa honrar com seus compromissos. Mas, em razão desse processo de intervenção, não estamos conseguindo sanar as dívidas. Eu mesmo procurei alguns investidores para nos ajudar, mas por causa desse processo de intervenção eles não quiseram. O momento do Bahia é muito preocupante, precisamos ter muito cuidado", destacou.

O dirigente ainda garantiu que fará de tudo para solucionar o problema do argentino. "Eu já fiz a solicitação das passagens para o Paulo Rosales e sua família e dos valores para que ele consiga chegar à sua cidade. A situação dele está me incomodando e, pessoalmente, quero resolver logo".


Tabela interativa da Série A com atualização online


Fonte: Compilação: Thiago Pereira – GLOBOESPORTE.COM e Galáticos Online

Foto: Divulgação/ECB