Um campeão em pré-temporadas

Bahia tem nova chance de evoluir em 3ª pré-temporada de 2013

Uma das principais reclamações das comissões técnicas espalhadas pelo País é o fato de não haver tempo para elas trabalharem seus elencos em longas pré-temporadas, como as que são realizadas na Europa.

Neste ano, os treinadores e preparadores físicos que passaram pelo Bahia não podem se queixar. No domingo, 9, após o empate de sábado com o Vasco, por 1 a 1, no Rio de Janeiro, o time iniciou o terceiro período de preparação em 2013.

No início do ano, houve os 18 dias entre 1º e 19 de janeiro, quando o tricolor estreou no Campeonato do Nordeste. Depois da eliminação precoce no torneio regional, ainda na primeira fase, ganhou de 'presente' uma intertemporada de 37 dias até o primeiro jogo no Baianão, em 17 de março.

Agora, com a pausa de 28 dias para a disputa da Copa das Confederações – até o próximo jogo pelo Brasileirão, dia 7 de julho, diante do Corinthians -, o Esquadrão completará 83 dias juntando todos os períodos sem jogos neste ano.

Só para se ter uma noção de como o ano é atípico para o clube, em 2012 o único período que o time teve fora de competições foi o da curta pré-temporada antes do início do Estadual. Depois da virada do ano, o elenco se reapresentou no dia 5 e treinou até 17 de janeiro, véspera da estreia no Campeonato Baiano.

Com tanto tempo que terá para treinar, a comissão técnica do Bahia se deu até ao luxo de conceder ao grupo a semana praticamente toda de folga. As atividades só voltam a acontecer no Fazendão na tarde de sexta, 14.

Recuperação mental – Segundo o preparador físico do clube, Rodrigo Poletto, o descanso será importante principalmente para os jogadores descansarem a parte mental.

"Houve um desgaste emocional grande depois do que ocorreu no Estadual. Os atletas estavam sendo muito cobrados e esse descanso terá mais valor até do que o físico", considera.

Sobre o objetivo da comissão durante os treinos desta nova intertemporada, Poletto diz que será preciso trabalhar muito para que os atletas suportem a exigência física do sistema de jogo do técnico Cristóvão Borges. "Eles ainda não conseguem manter o mesmo nível físico durante os 90 minutos", afirma.

Para isso, a comissão dará sequência à metodologia de trabalhar a parte atlética juntamente com as atividades técnicas e táticas. Cristóvão, seus auxiliares e Rodrigo Poletto retornam a Salvador na quinta. No último domingo, 9, foi aniversário do treinador, que fez 54 anos. "Mas nem o vi. Só liguei pra dar parabéns", conta Poletto.

Fonte: Daniel Dórea – A Tarde

Foto: ECB