Uruguai 2×2 Itália

Nos pênaltis, Itália bate o Uruguai e fica com o terceiro lugar na Copa das Confederações

Itália supera a Celeste em Salvador

Nos pênaltis, Itália bate o Uruguai e fica com o terceiro lugar na Copa das Confederações

Em duelo muito disputado, a Itália precisou dos pênaltis para superar o Uruguai, depois do empate em 2 a 2 no tempo normal. Mesmo com o desgaste físico provocado pela semifinal, também decidida nas penalidades contra a Espanha, a Azzurra driblou o cansaço e venceu por 3 a 2. Com o resultado, os italianos ficaram em terceiro lugar na Copa das Confederações.

O JOGO

As duas equipes começaram o jogo se estudando e tentando se organizar em campo. A primeira oportunidade foi criada pelos italianos. Aos oito minutos Hiellini cabeceou após a cobrança de falta, e a bola passou perto da trave esquerda da meta defendida por Muslera. Mas, três minutos depois, os uruguaios deram a resposta, também em lance de bola parada. Fórlan cobrou a falta e Buffon, bem atento, fez uma boa defesa.

Na Arena Fonte, a torcida baiana esbanjava alegria e por diversas vezes fazia a tradicional “ola”. Enquanto isso, a Itália tentava atacar. Aos 15 De Sciglio apareceu bem e cruzou pela esquerda. Candreva bateu de primeira, mas o chute não saiu forte e Muslera defendeu.

Aos 23, Diamantini fez boa jogada pela direita e acabou sofrendo falta de Cáceres. O próprio Diamanti tomou a iniciativa de cobrar a falta. Ele mandou uma bomba e a bola bateu na trave, nas costas de Muslera e entrou, abrindo o placar na Arena Fonte Nova. Porém depois analisar melhor o gol italiano, a Fifa deu o gol para Astori, já que o zagueiro tocou na bola antes de ela cruzar a linha.

Depois do gol sofrido, os uruguaios partiram para cima. E três minutos depois, Suárez recebeu lançamento e chutou cruzado. Buffon evitou o gol e mandou para fora.

A pressão uruguaia continuou e após cobrança de falta de Fórlan, Cavani acertou um bela cabeçada para o fundo das redes. Mas o gol foi anulado, pois o atacante da Napoli estava em posição de impedimento.

Aos 36, Buffon mais uma vez salvou a Itália. Maxi Pereira recebeu de Cavani, girou e chutou. O arqueiro italiano saltou no cantinho e espalmou.

Com o apoio da torcida baiana, a Itália tentou voltar ao controle da partida e assim frear o ímpeto uruguaio. A Azzura trocou passes no meio de campo, sob os gritos de “olé”. E o primeiro tempo terminou 1 a 0 para a equipe comandada pelo técnico Cesare Prandelli.

Segundo tempo movimentado

A segunda etapa iniciou mais lenta com os times sem buscar o gol com tanta objetividade.  Com isso técnico Uruguai resolveu promover a primeira mudança logo aos dez minutos do primeiro tempo. Álvaro González entrou no lugar de Cristian Rodríguez.

Coincidentemente após a substituição, o Uruguai chegou ao empate.  Cavani, na área, recebeu passe na medida de Gargano e finalizou no contrapé de Buffon.

Ao contrário do primeiro tempo, a Itália não teve mais grande controle de bola. O Uruguai ocupou o campo ofensivo em busca da virada.

Aos 18 minutos, Buffon voltou a salvar a equipe. Forlán mandou dois chutes à queima-roupa. A bola foi para escanteio e após a cobrança Diamanti isolou.

Mas a Itália não estava morta. El Shaarahy fez boa jogada e sofreu falta frontal à area. Diamanti bateu colocado, encobriu a barreira e acertou o canto.

E a partida ficou marcada pelos lances de bola parada. Cavani cobrou falta e empatou o jogo, em lance muito parecido com o segundo gol italiano. A bola encobriu a barreira e Buffon não alcançou.

Com o jogo próximo fim, as equipes concentraram passes no centro de campo. E por causa da igualdade o jogo foi para prorrogação.

Cansaço visível

Visivelmente cansados, os italianos sem muita velocidade, tentaram articular algum ataque, mas sem sucesso. O primeiro lance só veio aos 10 minutos da prorrogação. Suárez invadiu área pela esquerda, demorou a finalizar e, quando resolveu bater, caiu no gramado, pedindo pênalti. Mas o árbitro deu apenas tiro de meta.

Aos 13, Cavani recebeu na frente, mas foi travado no momento certo.

Na etapa final da prorrogação, a Itália demonstrava ainda mais desgaste físico provocado pela semifinal, decidida nos pênaltis contra a Espanha e pouco criava. E para piorar a situação, Montolivo foi expulso aos cinco minutos.

Com um jogador a mais, a Celeste procurou arriscar. Aos oito, Suárez acertou uma bomba de fora da área, que levou perigo à meta de Buffon.

Itália vence nos pênaltis

Na cobrança de pênaltis, o Uruguai desperdiçou cobranças com Cavani, Cáceres e  Gargano.  Já a Itália converteu com Aquilani, El Shaarary e Giacherrni, dando o triunfo aos italianos.

FICHA TÉCNICA

Copa das Confederações

Uruguai 2X2 Itália

Estádio: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)

Data: 30/6/2013

Árbitro: Djamel Raimodi (ALG); Auxiliares: Abdelhak Etchiali (ALG) e Redouane Achik (MAR)

Cartões amarelos: Maxi Pereira, Suárez (URU), Chiellini, Montolivo (ITA)

Cartão vermelho: Chiellini Montolivo (ITA)

Gols: Astori (24' do 1º tempo). Cavani (12' da 2ª etapa e 32' do 2º tempo), Diamanti (27' do 2º tempo)

Uruguai: Muslera, Maxi Pereira (Álvaro Pereira – 35' da 2ª etapa), Lugano, Godín e Cáceres; Arévalo (Pérez – 1' do 2º tempo da prorrogação), Gargano e Rodríguez (González – 10' do 2º tempo); Forlán, Suárez e Cavani. Técnico: Óscar Tabárez.

Itália: Buffon, Maggio, Astori (Bonucci – 6' do 1º tempo da prorrogação), Chiellini e De Sciglio; De Rossi (Aquilani – 24' da 2ª etapa), Montolivo e Candreva; Diamanti (Giaccherini – 37' do 2º tempo), Gilardino e El Shaarawy. Técnico: Cesare Prandelli.

Tabela interativa da Série A: http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte: Glauber Guerra – Bahia Notícias

Foto: AP