Vai entender!

Vai entender!


Não foi nada fácil encontrar um tema. Mas, depois da visita ao novo Centro de Treinamentos do Bahia, Cidade Tricolor, resolvi fazer uma coisa diferente. Optei por escrever um resumo dos últimos acontecimentos envolvendo o Bahia. Mas, lógico, não posso pipocar. Minha opinião estará estampada em todos os fatos. E vou direto ao CT tricolor.

A distância é um ponto negativo, principalmente para mim, setorista do Bahia. Mas não é hora de pensar no meu trabalho. Vamos deixar isso para 2014. Vou falar do que vi e curti. É um terreno que ainda está longe da ocupação total. Cerca de 250 mil metros quadrados estão ‘livres’. É muito grande, torcedor. E, pelo que vi da primeira parte, tem tudo para ser excelente. Uma obra que nem o mais otimista torcedor do Bahia, na sua sofrida vida de tricolor, pensou em ter. E não que Marcelo Guimarães Filho tem méritos?! Se a negociação foi muito boa para Oas, que ganha o Fazendão em troca, deixo para outro momento. Ficarei preso a falar do novo CT. Queira você ou não, MGF participou do projeto. Iniciou, se manteve presidente na construção e será o mandatário na entrega da primeira parte. E a tendência, com ou sem ele, é da Cidade Tricolor ficar ainda melhor.

Mas, como a marca da gestão é a contradição, lembrando casos como nota sobre o estatuto do clube, venda de Maranhão e demissão de Newton Mota, Marcelo Guimarães Filho a colocou em prática no mesmo dia. Questionei o presidente sobre Marcelo Lomba, no lançamento do novo uniforme, usar o padrão 2012. Ele disse que deu uma ‘chamada’ no marketing sobre isso até porque eles foram informados pela Nike e ‘esqueceram’ de avisar. Outra ‘chamada’? Ninguém aguenta mais, presidente. Único setor do clube que não anda e segue sem mudanças. Vai entender! Até Tiago Cintra, que está na base, trabalha mais em prol do clube com patrocinadores. E olhe que isso está causando inveja internamente, viu?

O time no Brasileirão superou as expectativas de todos os torcedores, menos de Binha. Mesmo assim não consegue ter paz. A contradição da administração reapareceu. Do céu ao inferno em uma velocidade impressionante. Jogadores, inclusive titulares, entraram na Justiça através dos seus representantes alegando não recolhimento de FGTS e salários atrasados. O Bahia conseguiu acordar e regularizar alguns, outros foram embora. Como pode um time de primeira divisão correr risco de perder seus atletas por não cumprir o contrato? Porque não cumprir com os compromissos sempre? Vai entender!

Se com méritos de Marcelo Guimarães Filho ou não, já que ele é o presidente, o Bahia está perto de fechar o patrocínio da Caixa Econômica Federal. Será cerca de R$ 7 milhões, quase duas vezes mais que o pago pela Oas. Parabéns aos envolvidos. Mas, o que não surpreende mais a  ninguém, é a contradição tricolor. Ele está perto de um bom acordo. Mas, para isso ser confirmado, precisará pagar uma série de dívidas existentes que o próprio dirigente admitiu. Críticas de novo. Será que não seria melhor para o clube SEMPRE estar com os pagamentos atualizados? Vai entender!

A última da vez foi permitir a associação dos torcedores através do site oficial do clube. O que isso significa? Obrigação. Mas, como tudo que envolve MGF no Bahia, não poderia deixar de ter o lado negativo da coisa. Ele foi eleito em 2009 e reeleito três anos depois. Porém, para tal atitude, foram necessários quatro anos. Precisava esperar tanto tempo, apelo dos tricolores e pressão da imprensa? Vai entender! Claro que não é fácil administrar o Bahia, presidente. Só que tem coisas que podem ser facilmente evitadas e aceleradas como não atrasar FGTS, salários, mudanças no marketing, pagamentos de dívidas e o mínimo de transparência.

Fonte: Felipe Santana – Bahia Notícias

Foto: ECB