Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

‘Vai numa assistência aí Dr.?’: Eduardo vira o principal garçom das Séries A e B

10

Eficiente nas bolas paradas, Eduardo vira principal garçom das Séries A e B

Com seis assistências, meia lidera o quesito no país, ao lado de Patric, do Galo, e Giuliano, do Grêmio. Com bola rolando, desafio de Eduardo passa pela movimentação

Eduardo transformou a bola parada do Bahia em um verdadeiro terror para as defesas adversárias. Escanteios e faltas laterais, que antes quase não representavam perigo para os rivais do Tricolor, hoje são armas letais no pé esquerdo do meia que veste a camisa número 7. A batida na bola com efeito, que sai do alcance do goleiro, bem como manda o manual, tem sido uma mão na roda para o time do técnico Sérgio Soares.

Desde que se tornou titular, no triunfo por 2 a 0 sobre o Paysandu, pela 11ª rodada da Segundona, Eduardo participa ativamente dos gols marcados pelo Bahia. Nessa partida contra o Papão, por exemplo, ele descolou belo passe para gol de Jacó, além de construir toda a jogada do segundo gol, também anotado pelo jovem atacante. Ao todo, são seis assistências, o que o coloca como o principal garçom das Séries A e B do Campeonato Brasileiro. 

Ao lado de Eduardo, também com seis assistências, estão Patric, do Atlético-MG, e Giuliano, do Grêmio, ambos clubes que disputam a Primeira Divisão. Na Série B, Alan Mineiro, jogador do Bragantino, e Fabinho Alves, do ABC, vêm logo atrás, com cinco assistências cada. No caso do meia do Bahia, o detalhe que chama atenção é que, dos seis passes para gols feitos por Eduardo, quatro surgiram a partir de cobranças de faltas ou escanteios.

Eduardo; Bahia; Fonte Nova (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)

Eduardo é o principal responsável pela bola parada do Bahia (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia)

Os passes decisivos de Eduardo coincidem com as entradas de Alexandro e Jaílton na equipe. Mas nada é por acaso. Jogadores de uma bola aérea muito boa, os substitutos de Titi e Maxi Biancucchi no time de Soares aproveitaram os cruzamentos do camisa 7 e marcaram duas vezes cada.

Para ser verdadeiramente eficiente, um meia também precisa entrar na área e fazer gols. Eduardo sentiu o gostinho de marcar pela primeira vez com a camisa tricolor na partida contra o Boa Esporte, após iniciar a jogada e aparecer para concluir depois do passe do lateral Vitor. Feliz com a titularidade, o jogador comemora o fato de estar entre os líderes de assistências do país.

– Estou muito feliz com minha performance até aqui. Consegui entrar bem no meio de campo do Bahia e encontrar meus companheiros bem posicionados para marcar os gols de que precisamos. Nosso entrosamento vai crescendo a cada dia, e a tendência é que o nosso futebol se desenvolva ainda mais. Estar entre os líderes de assistências do país me dá ainda mais motivação para melhorar o meu futebol. Jogando na posição que gosto e com a confiança do treinador, tudo fica mais fácil. De um jeito ou de outro, o importante é seguir treinando forte e jogando sério para que alcancemos nossos objetivos – afirma Eduardo.

Soares cobra uma maior movimentação de Eduardo em campo (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação)

A fase do Bahia, no entanto, não é das melhores. Embora tenha fechado o turno na 4ª colocação, o futebol apresentado pela equipe não tem convencido. Nas duas últimas rodadas, empates com Náutico, na Fonte Nova, e com Atlético-GO, no estádio Serra Dourada. A distância do Tricolor para o Paysandu, 7º colocado, é de apenas três pontos.

Um dos problemas do Tricolor nos dois jogos passou justamente pela criação de jogadas, principal responsabilidade de Eduardo. Com pouca movimentação dentro de campo, o meia foi presa fácil para os marcadores e acabou substituído em ambas as oportunidades. Após o duelo contra o Dragão, o técnico Sérgio Soares chegou a falar sobre a falta de dinamismo do meia.

– Eu estava brigando para que ele se movimentasse mais. O forte do [Anderson] Pedra é a marcação. Se ele ficasse parado, ia facilitar a vida do marcador. Chegou um momento em que fui obrigado a mudar – observou o treinador do Bahia.

A partida contra o Atlético-GO foi a 10ª de Eduardo com a camisa do Bahia. Com as nove que fez pelo Joinville, ele soma 19 em 2015. O próximo compromisso de Eduardo está marcado para o próximo sábado, quando o Tricolor encara o América-MG, no início do returno da Série B.

Comentários
Carregando...