A revoada acabou… Será?

Presidente garante que ‘revoada’ nas divisões de base do Bahia acabou

Nos últimos dias, o Tricolor perdeu Alef e Maracás, que deixaram o clube após reclamar na Justiça para reclamar de atraso no depósito do FGTS


Alef foi o primeiro a deixar as divisões de base do Bahia

A ‘revoada’ de jovens promessas das divisões de base do Bahia acabou. Pelo menos é o que garante o presidente Marcelo Guimarães Filho, que nos últimos dias viu dois jovens promissores jogadores deixarem o Fazendão sob a acusação de atrasos no recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Lateral com várias passagens pela Seleção Brasileira Sub-17, Alef entrou com uma liminar na Justiça do Trabalho e conseguiu romper o contrato com o Bahia na semana passada. O mesmo caminho foi trilhado pelo zagueiro Maracás, jogador que chegou ao clube em 2010, após se destacar na Copa Sub-17 de Regiões, competição organizada pela Superintendência de Desportos do Estado da Bahia (Sudesb).

Além de Alef e Maracás, outros atletas oriundos da base também tentaram sair do clube, caso do lateral Madson, que foi titular do time tricolor nas primeiras rodadas do Brasileirão e teve uma liminar negada pela Justiça recentemente. Segundo Marcelo Guimarães Filho, já houve uma conversa com os representantes de todos os jogadores que tinham planos de deixar o Bahia, e tudo foi resolvido amigavelmente.

– Foram cinco ou seis atletas que reclamaram do recolhimento do FGTS, mas estou muito tranquilo quanto a isso. Tenho confiança de que esses jogadores permanecerão no clube. É natural, pela mudança que tivemos na base, que foi muito drástica, que alguns queiram sair. Mas as coisas estão se acalmando. Já conversei com todos os atletas e tenho certeza que eles ficarão no Bahia. Os dois que saíram, o processo ainda está em curso – afirmou o cartola.

Marcelo Guimarães Filho garantiu que o FGTS dos atletas está em dia. No entanto, disse que o clube não está livre de ‘erros humanos’.

'O Bahia é uma fábrica de atletas. Se sai um, fazemos outro', diz presidente

O presidente tricolor comentou também sobre a possibilidade de Maracás e Alef fecharem com outros clubes, ou até mesmo seguirem o caminho de Mansur, que deixou o Bahia no começo do ano passado para assinar contrato com o Vitória.- Passamos um pente fino. O FGTS está em dia. Não tem erro. Pode ter acontecido um erro lá atrás. O Bahia é muito grande e tem muitos funcionários. É possível que tenha ocorrido um erro humano. É natural. Mas já sentamos, conversamos, e os jogadores não vão sair – declarou.

– Posso dizer que vamos continuar brigando na Justiça pelos jogadores. Não sei se o Vitória vai contratar um desses atletas que ainda estão em processo judicial conosco. Vai da ética de cada um. Eu lembro do Mansur. Deixou o Bahia e foi para o Vitória, e hoje o Jussandro, que é da base, assumiu a lateral e ninguém lamenta mais a saída desse atleta – avaliou o presidente tricolor.

Marcelo Guimarães Filho prometeu ainda não ‘chorar pelo leite derramado’ caso não consiga reaver os dois atletas que deixaram o clube. Na opinião do dirigente, o Bahia tem potencial para revelar novas promessas, que podem ocupar as lacunas deixadas por Alef e Maracás.

– Se no final a Justiça decidir pela rescisão do contrato dos dois, nós vamos continuar. O Bahia é uma fábrica de atletas. Se um sai, fazemos outro – finalizou.

Fonte: Thiago Pereira –Globoesporte.com

Fotos: ECB e Internet