Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

As estratégias do Esquadrão para vencer o UCV

0

Bahia revela estratégias para vencer time peruano e avisa: "eles têm a marcação, nós temos o futebol brasileiro"

Guilherme Santos e Henrique deram dicas e afirmaram que futebol brasileiro fará a diferença na hora do duelo

O Bahia tem uma difícil missão nesta quarta-feira (1º). O time vai a campo às 19h30 para duelar contra o time peruano Universidad César Vallejo, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Embora não seja um jogo fácil, já que o time baiano ainda não conhece muito bem o adversário, o elenco tricolor está empolgado com o fato de atuar contra um time internacional e revelou já ter estratégias para fazer bonito dentro das quatro linhas.

O lateral-esquerdo Guilherme Santos admitiu já ter uma 'carta na manga' para arrancar uma boa vantagem em solo brasileiro, para reduzir a pressão no jogo de volta. "Jogar contra essas equipes estrangeiras é sempre complicado, porque eles têm um poder de marcação muito grande, mas por outro lado, se eles têm a marcação, nós temos o futebol brasileiro. Nós vamos entrar em campo do nosso jeito, no ritmo, na habilidade, no individual, no 'um pra um'. Nossa equipe está super entrosada e Kleina vai montar um esquema que vai surpreender o adversário", disse em entrevista ao Correio24Horas.

"Também temos ao nosso favor o fato de termos uma equipe muito entrosada. Quem vê de fora pode não notar, proque só vê a gente ali no campo, mas somos muito unidos, temos uma amizade grande. É bom ver que um torce pelo outro e isso faz a diferença na hora do jogo", completou.

Um dos motivos da importância de fazer um bom resultado em casa, é que o jogo de volta será realizado na cidade de Trujillo, no Peru, onde a altitude é elevada em relação ao Brasil. Experiente em atuar com um clima mais "pesado", Henrique conversou com os companheiros e alertou para a dificuldade de jogar futebol fora do país. 

"Já joguei na  altitude, é complicado, muito difícil. Não tenho dica para dar, porque nada ameniza. Não tem muito o que fazer, só procurar chegar o mais perto do jogo possível e correr o tempo todo, porque sente um pouquinho menos. O problema é que o ar é pesado. O jeito é fazer o resultado aqui e ir para lá tranquilo", disse ao Correio24Horas.

Na fase das oitavas de final, a Copa Sul-Americana segue com jogos de ida e volta, tendo como critério de desempate o saldo de gols e o gol marcado fora de casa.

Comentários
Carregando...