Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Botafogo 2 x 3 Bahia :: Raio-X, Scout, Gols e Ficha Técnica

2

Bahia vira para cima do Botafogo, que tem dois jogadores expulsos

Emerson Sheik e Ramírez levam vermelho no intervalo de dois minutos, baianos pressionam e conseguem, no fim do jogo, vencer por 3 a 2

DESTAQUES

  • Indignação

Cartões

O Botafogo teve dois jogadores expulsos em dois minutos. Logo após Ramírez levar o vermelho, Sheik recebeu o segundo amarelo. Atletas alvinegros se revoltaram.

  • A volta

Sheik

Apesar da expulsão, Emerson Sheik, que ficou três partidas longe do time do Botafogo por problema médicos, voltou contra o Bahia e marcou os dois gols alvinegros.

  • Estatística

Finalizações

Com mais jogadores em campo, o Bahia pressionou o Botafogo até o fim do jogo. Consequentemente finalizou mais, com 20 contra 10 do Botafogo durante a partida. 

A CRÔNICA

Dois minutos. É pouco tempo para realizar a maioria das tarefas diárias de qualquer atividade. Mas no futebol a cronologia é diferente. Em dois minutos é improvável, mas não impossível, por exemplo, sair mais de um gol. Não é comum também ter dois jogadores expulsos. Porém, assim o Botafogo teve seu time desestruturado na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Perdeu Ramírez e Emerson Sheik em sequência por cartão vermelho. O Bahia ganhou a superioridade numérica em campo. E no placar. De tanto tentar, aos 45 minutos do segundo tempo, os baianos fecharam em 3 a 2, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Parecia que a noite seria de Emerson Sheik para o protagonismo do bem. O atacante voltou ao time após ausência por problemas médicos durante três rodadas. Marcou os dois gols alvinegros, um deles de pênalti. No entanto, a expulsão no segundo tempo mudou tudo. Ele se irritou, disse para as câmeras que a CBF "é uma vergonha"e não pôde ver os gols de Maxi Biancucchi e Branquinho – Dankler, contra, marcou no primeiro tempo. Ramírez, dois minutos antes, havia levado vermelho também. Julio Cesar, assim que soou o apito final, foi outro a ser expulso. Os jogadores tentaram evitar falar. O capitão Jefferson aceitou conversar com a imprensa e considerou roubo o que aconteceu.

Com a vitória o Tricolor baiano fugiu da zona de rabaixamento do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos. Empurrou justamente os alvinegros para o Z-4, agora em 17º, com 22. O Botafogo volta a campo no sábado, às 21h (horário de Brasília), no Heriberto Hülse, contra o Criciúma. O Bahia tem um clássico contra o Vitória, na Fonte Nova, no domingo, às 16h.

Emerson, Botafogo X Bahia (Foto: Vitor Silva / SSpress)

Emerson (à esquerda) fez os dois gols do Botafogo e depois foi expulso

O jogo

O desafogo encontrado pelos dois times foi jogar pelas laterais. O meio de campo congestionado dificultou a criatividade. E os times passaram a apostar mais nos cruzamentos. No primeiro tempo, 13 bolas levantadas pelo Botafogo e cinco pelo Bahia. Os cariocas arriscaram mais. Acabaram recompensados com a bola na medida levantada por Ramírez e concluída por Emerson Sheik de cabeça: 1 a 0.

Só que a fase alvinegra não é das melhores. Dankler escorou contra a própria meta e enganou Jefferson ao tentar cortar um cruzamento. O Glorioso finalizava mais, tinha 56% de posse de bola. Até que conseguiu desempatar. Ao defender o chute de Zeballos, Marcelo Lomba evitou o gol, mas a bola resvalou na mão de Railan. Em lance duvidoso, o árbitro Igor Junio Benevenuto assinalou a infração. Sheik converteu novamente, desempatando.

Gilson Kleina voltou do intervalo disposto a mandar o time para a frente. Trocou dois meias por dois atacantes: Maxi Biancucchi no lugar de Léo Gago e Emanuel Biancucchi por Marcos Aurélio. Destacou-se, porém, um volante. Uelliton dividiu a bola com Ramírez. O botafoguense se irritou, empurrou o adversário e foi expulso direto. Emerson Sheik, já com um amarelo por reclamação, cometeu falta dois minutos depois, aos 14, e também acabou punido com o cartão vermelho. O camisa 7 saiu revoltado, procurou a câmera e disse taxativamente: “CBF, você é uma vergonha! Vergonha! Vergonha!”

Julio Cesar mostrou que com menos dois ainda é possível assustar. O lateral penetrou na área, fez boa jogada e chutou. Lomba defendeu. O Botafogo, naturalmente, recuou. Era, talvez, a única opção. O Bahia demorou até achar o caminho certo. Maxi Biancucchi aproveitou a tabelinha com Guilherme para empatar. A pressão seguiu. Kieza chegou a virar, sozinho na pequena área. O impedimento marcado gerou dúvidas. A dúvida acabou aos 45 minutos. Branquinho virou, e o Bahia venceu e passou o Botafogo na tabela.

O melhor: Maxi Bianchucci – atacante mudou completamente o panorama do jogo, mesmo quando os dois times estavam com 11 em campo. O argentino marcou o gol de empate e infernizou a zaga do Botafogo.

O pior: Dankler – improvisado na lateral direita, o zagueiro cometeu erro crasso ao tentar cortar cruzamento e marcou gol contra, um minuto depois o Botafogo abrir o marcador.

Chave do jogo: A polêmica arbitragem de Igor Junio Benevenuto foi decisiva para o resultado da partida. O mineiro expulsou Ramirez e Emerson Sheik em apenas dois minutos e deixou o Botafogo em situação delicada. Com dois atletas a mais em campo, o Bahia conseguiu o empate.

Para lembrar: Com os gols desta quarta-feira, Emerson Sheik reassumiu a liderança na artilharia do Botafogo neste Campeonato Brasileiro, com seis tentos. Daniel, lesionado, e Zeballos aparecem em seguida com cinco cada.

Botafogo 2 x 3 Bahia

Campeonato Brasileiro 2014 – Série A – 22 ª Rodada

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 17 de setembro de 2014 (Quarta-feira)

Horário: 22h (de Brasília)

Público: 4.678 pagantes; 5.216 presentes

Renda: R$ 106.275

Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)

Assistentes: Márcio Eustaquio Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)

Cartões Amarelos: Botafogo: Ramirez, Emerson Sheik, Gabriel; Bahia: Marcelo Lomba, Guilherme Santos, Marcos Aurélio 

Cartões Vermelhos: Botafogo: Ramirez, Emerson Sheik e Julio Cesar 

Gols: Botafogo: Emerson Sheik, aos 30’ e 42’ 1ºT; Bahia: Dankler(c) 31’ 1ºT; Maxi Biancucchi 28’ 2ºT e Branquinho 45' 2°T

Botafogo: Jéfferson, Dankler, Bolívar, André Bahia e Julio Cesar; Aírton(Bolatti), Gabriel e Cachito Ramirez; Rogério(Wallyson), Zeballos(Yuri Mamute) e Emerson Sheik

Técnico: Vagner Mancini

Bahia: Marcelo Lomba, Railan, Demerson, Lucas Fonseca e Guilherme Santos; Uelliton, Rafael Miranda(Branquinho), Léo Gago(Maxi Biancucchi) e Emanuel Biancucchi(Marcos Aurélio); Rafinha e Kieza

Técnico: Gilson Kleina

SCOUT – Botafogo 2 x 3 Bahia

[**SCOUT**]

ATUAÇÕES

Header_BAHIA (Foto: Infoesporte)

Branquinho sela virada do Bahia; Guilherme Santos e Rafinha fazem boa partida

MARCELO LOMBA – GOLEIRO

Iniciou a partida bastante nervoso e levou cartão bobo em confusão com Rogério. Redimiu-se com defesas importantes.

Nota: 6

RAILAN – LATERAL-DIREITO

Válvula de escape pela direita do ataque tricolor. Fez boas jogadas com Rafinha, mas mostrou inexperiência em alguns lances.

Nota: 6

LUCAS FONSECA – ZAGUEIRO

Melhor jogador da zaga tricolor. Seguro, posicionou-se bem e foi o ponto de referência no setor defensivo.

Nota: 6,5

DEMERSON – ZAGUEIRO

Discreto. Não conseguiu acompanhar o desempenho do companheiro de zaga e se atrapalhou em alguns lances fáceis.

Nota: 5,5

GUILHERME SANTOS – LATERAL-ESQUERDO

Sofreu no primeiro tempo para conter as jogadas criadas por Emerson e Rogério. Com as expulsões do Botafogo, teve mais liberdade para ir ao ataque, subiu de produção e deu duas assistências para os gols da virada tricolor.

Nota: 7

RAFAEL MIRANDA – ZAGUEIRO

Principal homem de marcação do meio de campo do Bahia, correu bastante e tentou chegar de surpresa no ataque.

Nota: 6

BRANQUINHO – MEIA

Entrou após as duas expulsões do Botafogo e acrescentou velocidade ao time. Teve um gol anulado e foi o responsável pelo tento da virada do Bahia.

Nota: 7

UELLITON – VOLANTE

Peça chave nas duas expulsões do Botafogo. Contribuiu para a qualidade da saída de bola do Bahia, mas desperdiçou boas chances de ataque ao optar por chutes de média distância.

Nota: 6

LÉO GAGO – VOLANTE

Não conseguiu fazer a transição da defesa para o ataque com qualidade e pecou na cobertura pela esquerda. Deixou o campo no intervalo da partida.

Nota: 4,5

MAXI BIANCUCCHI – ATACANTE

Marcou gol pela segunda partida consecutiva. Entrou bem, deu movimentação ao time e balançou a rede adversária.

Nota: 6,5

EMANUEL BIANCUCCHI – MEIA

Tinha a missão de organizar o ataque tricolor. Movimentou-se bastante, mas não conseguiu superar a defesa do Botafogo. Foi substituído no intervalo.

Nota: 5

MARCOS AURÉLIO – MEIA

Entrou no segundo tempo para dar mais poder ofensivo ao time. Arriscou chutes de longa distância e organizou o ataque tricolor após as expulsões.

Nota:5,5

RAFINHA – ATACANTE

Fez boa parceria com Railan pela direita e atormentou a defesa do Botafogo. Exigiu bela defesa de Jefferson na segunda etapa.

Nota: 6,5

KIEZA – ATACANTE

Brigou bastante com os zagueiros do Botafogo. Apesar da disposição, não conseguiu ter presença decisiva nos gols.

Nota: 5,5

Programação

Até o encerramento da matéria, o Esporte Clube Bahia não havia divulgado a programação para o restante da semana quando, no domingo, enfrentará o Vicetória.

O BaxVice de Domingo já tem arbitragem definida: Vicetória x Bahia :: Arbitragem definida

Comentários
Carregando...