Carlos Rátis no Balanço Geral

Interventor do Bahia apresenta campanha de filiação de sócios no programa “Balanço Geral”

“O Bahia tem dono: o seu torcedor” quer trazer de volta quem deixou o clube por não concordar com a presidência anterior


O interventor do Esporte Clube Bahia, Carlos Rátis, explicou os detalhes da nova campanha de filiação de sócios do clube e explicou outros detalhes do trabalho que vem fazendo ao comunicador Raimundo Varela, durante o programa Balanço Geral desta quinta-feira (18).

Interventor do Bahia esclareceu problemas nas finanças do clube e questões envolvendo jogadores.

Interventor do Bahia esclareceu problemas nas finanças do clube e questões envolvendo jogadores.

Rátis explicou alguns pontos críticos do processo de intervenção, como a demora no pagamento de salários e a relação do clube com alguns jogadores, como o meia argentino Paulo Rosales, insatisfeito com o tratamento recebido pelo tricolor.

Para o interventor, o destino de Rosales é o retorno do meia ao país de origem. Misteriosamente, uma das mais badaladas contratações da temporada terminou  escanteado no elenco e alegou, recentemente, estar com atrasos de salário.

Sobre Paulo Rosales, Bahia desistiu do jogador, e já tem uma queixa dele na justiça trabalhista por atraso de salários.

Sobre Paulo Rosales, Bahia desistiu do jogador, e já tem uma queixa dele na justiça trabalhista por atraso de salários.

Rátis garantiu que as passagens de volta à terra natal do jogador vão ser compradas e os salários deverão ser pagos, apesar de Rosales já ter realizado uma queixa trabalhista contra o Bahia.

Sobre o suposto “racha” na equipe de interventores, especulada pela imprensa após a saída do advogado Alexandre Marques, Rátis explicou que foi uma opção pessoal do desistente, que alegou razões profissionais, e vai ser substituído por Jaime Barreiros.

Advogado e professor de Direito, Jaime Barreiros assume vaga na equipe de interventores deixada por Alexandre Marques.

Advogado e professor de Direito, Jaime Barreiros assume vaga na equipe de interventores deixada por Alexandre Marques.

Sobre o atraso de salários, o interventor do Bahia explicou que estão sendo mobilizados recursos para a quitação dos débitos com funcionários e jogadores. Ainda de acordo com Rátis, a proximidade do BaVi torna a tarefa ainda mais complicada e necessária, para não haver nenhuma interferência no ânimo do grupo tricolor.

Perguntado pelo apresentador Raimundo Varela sobre qual o próximo passo no processo de intervenção no Bahia, Rátis explicou que a preocupação é com o recadastramento dos sócios e dos conselheiros, que tem prazo até o dia 26 de julho.

Interventor luta contra o tempo para pagar salários dos atletas que estão em atraso até o fim da semana, antes do BaxVice.

Interventor luta contra o tempo para pagar salários dos atletas que estão em atraso até o fim da semana, antes do BaVi.

Daí por diante, explicou o interventor, será observado quem reúne condições para ser candidato à presidência do clube. A partir daí será definida data para a realização de uma assembléia para definir o futuro do clube.

Sobre a campanha “O Bahia tem dono: o seu torcedor”, lançada durante o programa “Balanço Geral”, na Record Bahia, Rátis explicou que o objetivo é aproximar o torcedor do clube, para que ele participe do dia-a-dia.

Ratis aproveitou para lançar a campanha de filiação de associados.

Ratis aproveitou para lançar a campanha de filiação de associados.

O interventor informou também vai haver uma política de associação para que o torcedor obtenha benefícios, apesar de não ter direito de voto ou a se candidatar.

Nas previsões do advogado, que foi nomeado pelo juiz Paulo Albiani após a derrubada da liminar que mantinha Marcelo Guimarães Filho no clube, a assembleia geral é quem vai decidir se haverá ou não a abertura política tão desejada pelo torcedor, que pode democratizar os bastidores do Bahia.

A associação de torcedores vai permitir uma melhor democratização do clube, na opinião do interventor.

A associação de torcedores vai permitir uma melhor democratização do clube, na opinião do interventor.

Para se ter uma ideia. Com mais de 6 milhões de torcedores, o Bahia possui apenas 530 sócios-pagantes, número mostra a ausência da torcida por causa da questionada administração que vinha sendo gerida por Marcelo Guimarães Filho.

Carlos Rátis foi entrevistado por Varela


Tabela interativa da Série A com atualização online


Fonte: Varela Notícias

Foto: Reprodução / Record Bahia -E.C.Bahia – Reprodução / Bocão News – Reprodução / internet