Diones será julgado pelo STJD

Bahia defende Diones e Vasco responde por atraso no STJD

Em duelo válido pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, clubes terão pendências para resolver no Tribunal


O Vasco reencontrou o ex-treinador Cristóvão Borges na noite do dia 8 de junho, em Volta Redonda, e empatou com o Bahia por 1 a 1 pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro. O empate também aconteceu no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Enquanto o Vasco terá que se defender por atraso, o Bahia defenderá o Diones, diante da Quarta Comissão Disciplinar na próxima segunda-feira, dia 24 de junho, a partir das 18h.

O Vasco exibiu falhas conhecidas da torcida, mas conseguiu se organizar e também contou com um pênalti mal marcado pelo árbitro Marcelo Aparecido de Souza para alcançar a igualdade. Carlos Alberto marcou o gol. Fernandão abriu o placar para o Tricolor. Antes de a bola rolar, os jogadores do Vasco fizeram fila para abraçar o técnico Cristóvão Borges, do Bahia. O profissional foi cumprimentado por todos e pelo comandante cruzmaltino Paulo Autuori.

Emoções a parte, o Vasco atrasou em dois minutos para retornar do intervalo da partida. Com o fato relatado em súmula pelo árbitro, o clube responderá ao artigo 206 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) – por "dar causa ao atraso do início da realização de partida […] ou deixar de apresentar a sua equipe em campo até a hora marcada para o início ou reinício da partida", que prevê pena de multa de R$100 a R$1mil por minuto.

Já o Bahia terá uma missão um pouco mais complicada no banco dos réus. Aos 11 minutos do segundo tempo, Diones foi expulso por  "segurar o adversário, impedindo sua passagem, na disputa de bola. Informo ainda que o referido jogador já havia sido advertido anteriormente por calçar um adversário (segundo amarelo)".

No lance em questão, Diones levou um chapéu de Sandro Silva e cometeu falta. Por isso, o camisa 5 do Bahia responderá ao artigo 250 do CBJD – "Praticar ato desleal ou hostil durante a partida, prova ou equivalente", que prevê suspensão de uma a três partidas, sendo descontada a automática, que ainda não foi cumprida pelo atleta.

Fonte: Renata Lutfi – Justiça Desportiva

Imagem: ECB e Justiça Desportiva