Doping no antidoping

Doping no antidoping

Após denúncia de Romário, Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem confirma irregularidade da FPF

Marco Aurélio Klein, diretor da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) do Ministério do Esporte, confirmou nesta terça-feira (25) a irregularidade da Federação Paulista de Futebol no controle de doping. A afirmação foi dada em resposta a denúncia de Romário de que a entidade não realiza exames de dopagem no laboratório credenciado à Agência Mundial de Antidopagem (WADA, sigla em inglês).

“O fato é que não vale, constitui uma infração ao código Mundial Antidopagem realizar exames em laboratório que não sejam acredidatos”, afirmou o diretor, em audiência pública na Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados.

Os exames dos atletas de todas as divisões do campeonato paulista são realizados na Universidade de São Paulo (USP), mas apenas o Ladetec, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é credenciado no Brasil.

O responsável pelo controle de dopagem da Federação Paulista de Futebol e presidente da Comissão de Controle de Dopagem da CBF, Fernando Solera, não compareceu à audiência. “Não teve coragem”, afirmou Romário.

Segundo Klein, a FPF garantiu que a partir do campeonato de 2014 encaminhará todos os exames ao Ladetec.

Ausência de punição

“Cabe a quem resolver este problema específico do futebol paulista? Quem toma providência e se responsabiliza por todos esses exames irregulares nos últimos anos?”, questionou Romário.

O parlamentar ainda citou um caso recente da ciclista Clemilda Fernandes, que durante 26 meses recebeu indevidamente benefício do Bolsa Atleta, mesmo suspensa por doping em entidade internacional.  Ela devolveu o dinheiro e o caso encaminhado ao Ministério Público.

“A atleta fez uma coisa errada e pagou por isso. O que vai acontecer com este presidente e pelo responsável pelo doping, pessoas que certamente não têm credibilidade para cuidar de um assunto como esse?”, questionou, se referindo ao presidente da Federação Paulista de Futebol e vice-presidente da CBF, Marco Polo Del Nero e ao responsável por doping da FPF.

O professor especialista em doping e diretor do Comitê Olímpico Brasileiro, Eduardo Henrique de Rose, afirmou que, em última instância, quem exige essa regularidade é a FIFA. “Todos os exames vão à FIFA, que endossa ou não endossa. A legalidade ou não é responsabilidade da FIFA”, declarou.

“Se a FIFA e CBF são corruptas, estamos diante de uma situação onde atletas que participaram do campeonato paulista podem ter consumido substância irregular e isso passou despercebido por nossas autoridades. Isso prova que nosso futebol está nas mãos de pessoas que não tem credibilidade e só fazem mal ao futebol”, lamentou Romário.

“Peço como ex-jogador e esportista eterno que os senhores possam ajudar o nosso país e não deixar que isso continue a acontecer”, finalizou.

Tabela interativa da Série A: http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte: Romário.org

Fotos: Reprodução