Espanha vence e pega Brasil na final

Nos pênaltis, Espanha vence e pega Brasil na final

De maneira dramática, a Espanha venceu a Itália nos pênaltis e enfrentará o Brasil na final da Copa das Confederações. Depois de um empate por 0 a 0 durante o tempo normal e a prorrogação, a vaga ficou nas penalidades e a Fúria levou a melhor. A partida começou com a Azzurra jogando mais, mas, ao fim, os espanhóis apresentaram um futebol melhor. Nas cobranças alternadas, prevaleceu a eficiência da campeã mundial.

Itália surpreende, é superior, mas não marca

O duelo entre Espanha e Itália já tinha um roteiro escrito, mas os italianos preferiram não seguir. Quem apostou em uma supremacia espanhola, errou feio. A Fúria teve mais posse de bola, como de costume, mas isso não traduziu a partida. A Azzurra teve pelo menos quatro boas chances de abrir o placar, porém, ou parou em Casillas, ou mandou para fora.

Com sete minutos, Pirlo cobrou escanteio e Maggio cabeceou por cima. Era um prenúncio do que vinha por aí. Aos 14, em cruzamento do lateral-direito, Gilardino desperdiçou. E a Itália não parou. Antes dos 20, a equipe ainda criou duas boas chances. Na primeira, De Rossi foi quem assustou. Depois, Giaccherini cruzou, Maggio ajeitou e Marchisio mandou ao lado do gol.

A Espanha parou na marcação italiana e, por incrível que pareça, deixou o meio muito aberto. Exposta aos contra-ataques, a lateral-esquerda foi o ponto fraco do time. Em cruzamento de Giaccherini, Alba tomou nas costas, Maggio cabeceou e Casillas pegou à queima roupa. A Fúria chegou perigosamente apenas aos 36, com Torres, mas a bola passou ao lado da trave.

Equipes empatam no tempo normal

Na etapa complementar, o jogo ficou equilibrado. A Espanha continuou errando mais do que o normal, mas a Itália não conseguiu criar tantas chances quanto no primeiro tempo. Nos primeiros 20 minutos, apenas uma chance nos pés de Iniesta. O meia partiu do meio campo, tirou três jogadores, mas bateu mal, para fora.

Oito minutos depois, Pedro foi lançado cara a cara com Buffon, mas o goleiro saiu bem e atrapalhou o atacante na hora de finalizar. Com o apoio total da torcida, a Itália começou a pressionar a partir dos 30. A equipe fez o que Fúria geralmente faz e implementou uma blitz no campo de ataque. A partida estava muito pegada e com cara de prorrogação.

A cinco minutos do fim, Piqué teve a chance de marcar o gol da vitória, mas desperdiçou. O jogador recebeu na marca do pênalti e mandou por cima do gol de Buffon. Não havia mais tempo para nada. Zero a zero e vamos para a prorrogação.

Nos pênaltis, Espanha vence

Aos três minutos, a Itália quase saiu na frente. Após desvio de Giovinco, Giaccherini soltou a bomba e carimbou a trave de Casillas. Ao longo da prorrogação, a Espanha criou algumas chances clara, se impôs e dominou o jogo. O preparo físico começou a falar mais alto e a Azzurra sentiu. No finzinho, Xavi chutou de longe, Buffon falhou, mas a trave, desta vez, salvou os italianos.

Se em 120 minutos não tivemos gols, agora, nos pênaltis, quem levasse menos estaria na final. Candreva inaugurou batendo de cavadinha e marcando. Abusou! Depois Xavi, deslocando Buffon, também fez. Após seis cobranças certas de cada lado, Bonucci perdeu e Navas fez. Deu o clássico que todos queriam. A Espanha enfrenta o Brasil, domingo, na final.

FICHA TÉCNICA

Copa das Confederações

Espanha 0 X 0 Itália

Prorrogação: 0 X 0

Pênaltis: Espanha 7 X 6 Itália

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)

Data: 27 de junho de 2013, quinta-feira

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra); Assistentes: Michael Mullarkey e Darren Cann (Inglaterra)

Espanha: Casillas; Arbeloa, Sergio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi, Iniesta e David Silva (Jesus Navas); Pedro (Juan Mata) e Fernando Torres. Técnico: Vicente del Bosque.

Itália: Buffon; Maggio, Bonucci, Chiellini e De Sciglio; De Rossi, Pirlo, Montolivo (Barzaqli), Marchisio (Aquilani) e Diamanti; Gilardino. Técnico: Cesare Prandelli.

Tabela interativa da Série A: http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte: OGol

Foto: ©Glauber Queiroz/Portal da Copa