Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

História Tricolor: Campeão da Taça Brasil de 1959

História Tricolor: Bahia campeão da Taça Brasil de 1959
200

Confira a história do Bahia que foi campeão na Taça Brasil de 1959, o primeiro campeonato nacional do Brasil

A Taça Brasil foi um torneio instituído pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos) em 1959, como um inédito campeonato nacional, sendo disputado no sistema mata-mata. Participaram da primeira edição do torneio 16 campeões estaduais de 1958, que seriam divididos em fases regionais. Os campeões paulista (Santos) e carioca (Vasco) entraram direto nas semifinais do torneio, após estas fases regionais.

Os 16 participantes da primeira Taça Brasil foram:

ABC (Rio Grande do Norte)

Atlético-MG (Minas Gerais)

Atlético-PR (Paraná)

Auto Esporte (Paraíba)

Bahia (Bahia)

Ceará (Ceará)

CSA (Alagoas)

Ferroviário (Maranhão)

Grêmio (Rio Grande do Sul)

Hercílio Luz (Santa Catarina)

Manufatora (Rio de Janeiro – à época, a cidade do Rio de Janeiro era a capital do Brasil, não fazendo parte do estado do Rio de Janeiro)

Rio Branco (Espírito Santo)

Santos (São Paulo)

Sport (Pernambuco)

Tuna Luso (Pará)

Vasco (Distrito Federal – à época, a cidade do Rio de Janeiro era a capital do Brasil, não fazendo parte do estado do Rio de Janeiro)

O início do Bahia na competição

O Bahia, classificado como o campeão baiano de 1958, ficou no grupo do Nordeste, junto com ABC, Ceará e CSA.

Na semifinal do grupo do Nordeste, o Tricolor enfrentou o CSA em duas partidas.

No jogo de ida, em Maceió, o Bahia goleou por 5×0 (gols de Alencar (2), Ari, Léo e Carioca).

No jogo de volta, disputado na Fonte Nova, o Bahia confirmou a classificação vencendo por 2×0 (gols de Marito e Léo).

A decisão do grupo do Nordeste foi contra o Ceará, que havia eliminado o ABC.

Após dois empates, 0x0 em Fortaleza e 2×2 na Fonte Nova (gols de Léo e Cláudinho (contra)), o confronto foi decidido em um jogo desempate na Fonte Nova. O Bahia venceu por 2×1 na prorrogação com um gol salvador de Léo no último minuto. O primeiro gol tricolor havia sido marcado por Biriba. O Bahia estava, então, classificado para a fase nacional da competição.

As quartas-de-final

Na fase de quartas-de-final, o Bahia enfrentou o Sport, que havia sido o campeão do Grupo do Norte.

O jogo de ida foi disputado na Fonte Nova, com vitória tricolor por 3×2, gols de Biriba, Marito e Ari.

Porém, no jogo de volta, disputado na Ilha do Retiro, em Recife, o Sport goleou o Bahia por 6×0. Porém, felizmente para o Bahia, o saldo de gols não era um critério de desempate e foi disputado um jogo extra, em Recife.

E, em uma recuperação impressionante, o Tricolor conseguiu reunir forças e venceu o Sport por 2×0 (gols de Biriba e Léo).

Com isso, o Bahia já se proclamou “Campeão do Norte-Nordeste”, o que era um grande feito. Mas um feito muito maior os aguardava.

A semifinal contra o Vasco

Na fase semifinal, o Bahia iria enfrentar o Vasco, que tinha folgado em toda a competição, entrando apenas nesta fase.

O cruzmaltino possuía o capitão da seleção brasileira campeã em 1958, o zagueiro Bellini. Mas, sem se intimidar com os grandes nomes e com a torcida vascaína, o tricolor foi até o Maracanã e venceu por 1×0, gol de Alencar.

Porém, no jogo de volta na Fonte Nova, o tricolor foi derrotado pelo Vasco por 2×1. O gol tricolor foi marcado por Ari. Mais uma vez, o Bahia teria que passar pelo jogo desempate.

E, em jogo disputado na Fonte Nova, no dia 26/11/1959, o Bahia conseguiu o triunfo por 1×0, gol de Léo.

Estávamos na final!!!

A GRANDE FINAL

Na grande decisão, o Bahia iria enfrentar ninguém mais, ninguém menos que o Santos de Pelé. Para muitos, este time do Santos foi o mais forte da história do futebol. Nos anos seguintes, a equipe do Santos ganharia, entre 1961 e 1965, todas as edições da Taça Brasil, além 2 Libertadores e 2 Mundiais. Na semifinal, o Santos havia eliminado o Grêmio e era o franco favorito contra um pouco conhecido clube do Nordeste. Mas esse clube do Nordeste era o Bahia, meu irmão!

Primeiro jogo da final

No dia 10/12/1959, o Bahia foi até a Vila Belmiro enfrentar o Santos. Saímos atrás, com um gol de Pelé. Mas o Bahia virou o jogo com Biriba e Alencar. O Santos conseguiu o empate com Pepe, de pênalti. Parecia que o jogo terminaria empatado, o que seria um ótimo resultado para o Bahia. Porém, o resultado ficou melhor ainda, quando, aos 44 do segundo tempo, o Bahia marcou o gol do triunfo com Alencar, que driblou o goleiro e fez um golaço. A qualidade do vídeo abaixo é ruim, mas percebe-se que foi um lindo gol.

https://www.youtube.com/watch?v=CsQ2bDYWEik

SANTOS 2 x 3 BAHIA

10/12 – Vila Belmiro (Santos)

Santos: Manga; Getúlio, Urubatão, Formiga e Dalmo; Zito e Jair Rosa Pinto; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula

Bahia: Nadinho; Leone, Henrique, Beto e Vicente; Flávio e Bombeiro; Marito, Alencar, Léo e Biriba. Técnico: Geninho

Gols: Pelé 15/1º, Biriba 26/1º, Alencar 12/2º, Pepe (pênalti) 22/2º e Alencar 44/2º

Segundo jogo da final

O segundo jogo da decisão aconteceu na Fonte Nova, no dia 30/12/1959. O Santos veio determinador a reverter o resultado ruim, e conseguiu. O Bahia foi derrotado em casa por 2×0, gols de Coutinho e Pelé. Novamente, o Bahia iria passar por um jogo desempate.

BAHIA 0 x 2 SANTOS

30/12 – Fonte Nova (Salvador)

Bahia: Nadinho; Leone, Henrique, Beto e Vicente; Flávio e Bombeiro; Marito, Alencar, Léo e Biriba. Técnico: Geninho

Santos: Laércio; Feijó, Getúlio, Formiga e Dalmo; Zito e Urubatão; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula

Gols: Coutinho 7/1º e Pelé 28/1º

Terceiro jogo da final

O jogo extra dessa vez seria em campo neutro. E quer melhor lugar para uma decisão do que o Maior do Mundo? Bahia e Santos decidiram o título no Maracanã. Como o Santos faria uma excursão no início de 1960, o jogo aconteceu apenas no final de março. O Bahia já tinha trocado de técnico; saiu Geninho e chegou o argentino Carlos Volante. Já o Santos, por conta dessa excursão, perdeu Pelé, machucado.

Mesmo sem Pelé, o Santos saiu na frente com Coutinho. Mas o Bahia foi pra cima e conseguiu a virada com Vicente, em cobrança de falta, e Léo, de cabeça após escanteio. O Santos, descontrolado, teve dois jogadores expulsos, Getúlio e Formiga. Com dois jogadores a mais, o Bahia matou o jogo com o gol decisivo marcado por Alencar. Festa para a torcida tricolor, o Bahia era o campeão da Taça Brasil!!!

A taça do título foi entregue para o capitão Vicente pelas mãos do presidente Juscelino Kubitschek. Na chegada em Salvador, o Bahia desfilou em carro aberto pelo centro da cidade, além de ter sido recebido pelo governador Juracy Magalhães.

O atacante Léo Briglia, do Bahia, foi o grande artilheiro da competição, com 8 gols.

Além de ser o primeiro campeão brasileiro, o Bahia também se tornou o primeiro clube brasileiro a disputar a Taça Libertadores. Após ter sido campeão da Taça Brasil em 1959, o Tricolor participou da primeira edição do torneio continental em 1960.

BAHIA 3 x 1 SANTOS

29/03/1960 – Maracanã (Rio de Janeiro)

Bahia: Nadinho; Nenzinho, Henrique, Beto e Vicente; Flávio e Mário; Marito, Alencar, Léo e Biriba. Técnico: Carlos Volante

Santos: Lalá; Getúlio, Mauro, Formiga e Zé Carlos; Zito e Mário; Dorval, Pagão, Coutinho e Pepe. Técnico: Lula

Gols: Coutinho 27/1º, Vicente 37/1º, Léo 1/2º e Alencar 31/2º

Confira as fotos do título:

bahia-1959-3

bahia-1959-4jpg

Confira esses dois vídeos que falam sobre a campanha tricolor:

https://www.youtube.com/watch?v=fce5BpFIvmo

https://www.youtube.com/watch?v=KBqtqtY61nY

Em 2010, enfim, a CBF unificou os títulos brasileiros conquistados entre 1959 e 1970, com os que foram conquistados após 1971, e agora o Bahia é oficialmente bicampeão brasileiro!

Comentários
Carregando...