Interventor adia rescisão de Rosales

Interventor conversa com gestor e adia rescisão do meia Paulo Rosales

De acordo com Rátis, Anderson Barros expressou desejo de colaborar. Interventor pode ir a São Paulo para jogo desta quarta-feira, no Morumbi

Carlos Rátis, interventor do Bahia, durante entrevista na sala de imprensa

Carlos Rátis, interventor do Bahia, durante entrevista na sala de imprensa

Carlos Rátis, interventor do Bahia, durante entrevista na sala de imprensa do clube (Foto: Raphael Carneiro)

Depois de um dia de peregrinação pela cidade, Carlos Rátis finalizou os trabalhos das suas primeiras horas como interventor do Bahia com uma reunião no Fazendão. O advogado se encontrou com o gestor de futebol Anderson Barros, passou o que pretendia fazer, ouviu a situação do clube e, no fim, recebeu uma missão especial: resolver a situação do meia argentino Paulo Rosales.

Contratado em fevereiro deste ano, Paulo Rosales está afastado do elenco principal desde a final do Campeonato Baiano. A justificativa para não aproveitar o jogador foram a pouca velocidade e a dificuldade em ajudar na marcação. Treinamento em separado, o jogador esteve com o seu procurador no Fazendão e viu o gestor de futebol do clube encaminhar sua rescisão para que o interventor assinasse.

– Ele (Anderson Barros) apresentou alguns pontos no sentido de serem solucionados no decorrer da intervenção, em especial no caso de Rosales. Discutimos com o mesmo e com seu agente que encontraremos uma solução até sexta-feira. Isso com o comprometimento do próprio Anderson Barros – comentou o advogado que responde pelas ações do Bahia.

Após o encontro com o diretor de futebol do Tricolor, Rátis afirmou que fez questão de deixar claro que não pretende interferir no futebol. O interventor contou que ouviu de Anderson Barros o desejo de permanecer cumprindo suas funções no Fazendão. O advogado acrescentou que já trabalha com nomes para compor a diretoria e adiantou que todos os dias de treinamento terá o acompanhamento de um membro do grupo de intervenção.

Rescisão adiada

Durante a entrevista, o gestor foi questionado se recebeu a informação dos salários atrasados no clube. Antes da chegada dele, um funcionário afirmou que há um mês sem pagamento.

– Até o presente momento, não foi encaminhada essa informação. Mas tomaremos essas providências amanhã de manhã para saber quem são os profissionais que estão nessa situação e saber como poderemos resolver. Vamos identificar todas as possíveis inadimplências para que não venha a prejudicar o andamento – afirmou.

Por fim, o advogado fez questão de ressaltar que sua função no papel de interventor é de conduzir o processo para uma nova eleição no Esporte Clube Bahia.

– Nosso papel é fazer novas eleições. Que fique bem claro. Não estamos aqui para nos candidatarmos, apoiar a, b, ou c. Estamos aqui para fazer com que a constituição seja respeita – finalizou.

Após deixar o Fazendão, Carlos Rátis seguiu com seu grupo de apoio para mais uma reunião. Existe a possibilidade de o gestor ir a São Paulo para acompanhar o jogo do Bahia contra o time paulista, nesta quarta-feira, pela Série A. A viagem teria como motivo uma conversa com os jogadores.


Tabela interativa da Série A com atualização online

http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte e foto: Raphael Carneiro – GLOBOESPORTE.COM

Foto: Correio*