Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Mundial de Baquete Feminino: na estreia, Brasil foi presa fácil para a República Tcheca

8

Dominado do início ao fim, Brasil cai para R. Tcheca na estreia no Mundial

Seleção comandada por Luiz Augusto Zanon deixa a desejar no aproveitamento de arremessos e vira presa fácil para atuais vice-campeãs mundiais em Ancara: 68 a 55

Vinte anos após o título mundial de Paula, Hortência, Janeth e cia., uma seleção brasileira renovada estreou na Copa do Mundo da Turquia buscando retomar o brilho perdido nos últimos anos. Mas o que se viu neste sábado, em Ancara, foi um domínio absoluto da República Tcheca, atual vice-campeã mundial, que fez do jogo coletivo o seu diferencial e deu uma aula de basquete: vitória por 68 a 55 com atuações inspiradas de Burgrová e Vitecková. Apesar do desempenho abaixo do esperado, a estreia marcou um recorde de Érika, que completou 100 jogos vestindo a amarelinha.

– O nosso aproveitamento foi muito baixo e, assim, fica muito difícil de ganhar de uma equipe como a República Tcheca. A ansiedade e o nervosismo da estreia pesaram para todas. Eu pedi duas coisas a elas: superação e confiança. Se estivéssemos jogando com um basquete mais solto no ataque, poderíamos ter jogado de igual para igual. Testei todas as opções possíveis. A nossa defesa, no entanto, funcionou bem, mas insegurança atrapalhou a parte ofensiva. Agora, precisamos resgatar a nossa confiança contra a Espanha, que é ainda mais forte – opinou o técnico da seleção brasileira, Luiz Augusto Zanon.

brasil x republica tcheca mundial basquete (Foto: Divulgação/FIBA)

Tainá tenta infiltrar na defesa europeia

Clarissa foi a melhor brasileira em quadra, com duplo-duplo de 10 pontos e 10 rebotes. Érika também obteve 10 rebotes. Tainá apareceu bem nos arremessos de três pontos, com três acertos em cinco – totalizando seus nove na partida. O ponto negativo, no entanto, foi o desempenho coletivo nos arremessos de dois pontos – apenas 24,5% de aproveitamento.

Pelo lado europeu, Hanusová foi a cestinha do jogo com 15 pontos. Veselá anotou duplo-duplo com 11 pontos e 11 rebotes. Eficientes, Burgrová e Vitecková contribuíram com 12 e 13 pontos respectivamente.

No outro jogo do Grupo A neste sábado, a Espanha bateu o Japão por 74 a 50. A primeira colocada da chave passa diretamente às quartas de final. A segunda e a terceira cruzam contra a terceira e a segunda, respectivamente, do Grupo B – que tem Turquia, França, Canadá e Moçambique – para seguir na disputa.

O Brasil volta à quadra neste domingo para enfrentar a forte seleção espanhola, atual campeã europeia, às 15h15m (de Brasília).

brasil x republica tcheca mundial basquete (Foto: Divulgação/FIBA)

Ramona tenta a cesta no ataque brasileiro

Lampejo inicial

Com média de idade de 25 anos, o elenco brasileiro é o quarto mais jovem do Mundial da Turquia. Das 12 jogadoras que compõem o time, nove são estreantes – apenas Érika, Adrianinha e Damiris têm Mundiais adultos na bagagem. Restava saber como as meninas iriam se comportar diante de uma potência logo na estreia.

O equilíbrio emocional seria decisivo. Maior estrela do Brasil e ídolo do Atlanta Dream na WNBA, Érika abriu o placar, bateu no peito e impôs respeito diante das atuais vice-campeãs mundiais. A cesta de três pontos de Tati deu pinta de que elas iriam surpreender: 5 a 0. Mas a vantagem durou pouco. Em rápidos contra-ataques de Vitecková e Burgrová, as tchecas reagiram e assumiram a dianteira: 11 a 5.  Bartonova também fez sua parte, e as europeias encurralaram o Brasil, fechando o primeiro quarto por 17 a 7.

Além de dominadas, as brasileiras não acertavam os arremessos e tinham aproveitamento de 18% nas tentativas para dois pontos (4/24). O semblante era de desespero, perplexidade. Érika tentava levantar o time, mas nada dava certo. Ramona levou uma cotovelada, se jogou na beira da quadra e não segurou as lágrimas. Quando as brasileiras conseguiam enfim pontuar, a resposta era imediata. Com isso, as tchecas iam ampliando a vantagem em uma atuação avassaladora: 27 a 17. Na linha dos três, Adrianinha mostrou pontaria afiada e diminuiu a diferença. Zanon pediu tempo e reorganizou a equipe, que melhorou a defesa e não deixou as rivais ampliarem no fim do segundo quarto, que terminou em 27 a 20.

Tchecas tomam conta do jogo

Veselá arma o ataque tcheco, acompanhada por Jaqueline

Os poucos torcedores tchecos que compareceram ao ginásio estavam empolgados e não paravam de gritar o nome do país. Em alguns momentos, até vaiavam as brasileiras. E as europeias continuavam melhores. Burgrová estava com a mão quente, e Vitecková tratou de jogar mais um balde de água fria com duas cestas de três: 34 a 23. De costas, Hanusová fez mais dois: 45 a 33. O Brasil desperdiçou boas chances de diminuir ao errar lances livres com Tainá, que vinha fazendo uma boa partida. Tati converteu uma cesta de três pontos e todo o banco de reservas se levantou e vibrou muito: 48 a 36. O troco não tardou. Hanusová acertou de longe, e Veselá anotou mais dois pontos: 50 a 36 no fim do terceiro quarto.

Com uma tendinite, Nádia entrou no fim para tentar mudar os rumos da partida, mas Hanusová fez logo dois pontos para mostrar quem mandava no pedaço. Burgrová e Elhutová ampliaram, mas o Brasil respondeu com Clarissa, que diminuiu depois de bonito contra-ataque. Nádia converteu mais dois, e Joice acertou a sua primeira cesta, mas a diferença era grande: 56 a 42. Érika cometeu falta em Veselá, que não desperdiçou os lances livres. Em seguida, foi a vez de Burgrová anotar seu 10º ponto. A três minutos do fim, a baixinha Débora, de 1,64m, roubou a bola de Bartonová no meio da quadra, arrancou e marcou mais dois: 60 a 50.  A tcheca se vingou com uma cesta de três pontos no lance seguinte. Ao contrário das brasileiras, as campeãs europeias aproveitavam as chances de ampliar a confortável vantagem até o fim: 68 a 55..

Os grupos

“A” – Sede: Ancara

Brasil, Espanha, Japão e República Tcheca

“B” – Sede: Ancara

Canadá, França, Moçambique e Turquia

“C” – Sede: Istambul

Austrália, Bielorrússia, Coréia e Cuba

“D” – Sede: Istambul

Angola, China, Estados Unidos e Sérvia

Tabela da 1ª Fase

1ª rodada – Dia 27 de setembro

“A”: Japão 50 x 74 Espanha e Brasil 55 x 68 República Tcheca

“B”: Moçambique 54 x 69 Canadá e Turquia 50 x 48 França

“C”: Cuba 57 x 90 Austrália e Coréia 64 x 70 Bielorrússia

“D”: Sérvia 102 x 42 Angola e China 56 x 87 Estados Unidos

2ª rodada – Dia 28 de setembro

“A”: República Tcheca x Japão (10h15) e Espanha x Brasil (15h15)

“B”: França x Moçambique (8h) e Canadá x Turquia (13h)

“C”: Austrália x Coréia (8h15) e Bielorrússia x Cuba (13h15)

“D”: Angola x China (10h30) e Estados Unidos x Sérvia (15h30)

3ª rodada – Dia 30 de setembro

“A”: Brasil x Japão (8h) e Espanha x República Tcheca (10h15)

“B”: Moçambique x Turquia (13h) e França x Canadá (15h15)

“C”: Austrália x Bielorrússia (10h30) e Coréia x Cuba (13h15)

“D”: Sérvia x China (8h15) e Estados Unidos x Angola (15h30)

OBS: Horário de Brasília

Saiba mais sobre as 12 jogadoras que irão defender o Brasil no Campeonato Mundial da Turquia: SELEÇÃO ADULTA FEMININA.

Seleção Brasileira Adulta Feminina

Nome – Posição – Idade – Altura – Clube – Naturalidade

4.Adriana Moisés Pinto – Armadora – 35 anos – 1,65m – América Basquete Recife (PE) – SP

5.Débora Fernandes da Costa – Armadora – 23 anos – 1,64m – São José Desportivo (SP) – SP

6. Joice dos Santos Coelho – Ala – 21 anos – 1,80m – São José Desportivo (SP) – RJ

7. Patrícia Teixeira Ribeiro – Ala – 23 anos – 1,78m – São José Desportivo (SP) – SP

8. Tainá Mayara da Paixão – Armadora – 22 anos – 1,73m – América Basquete Recife (PE) – SP

9. Jaqueline de Paula Silvestre – Ala – 28 anos – 1,79m – Basketball Santo André (SP) – SP

10. Tatiane Pacheco Nascimento – Ala – 23 anos – 1,81m – América Basquete Recife (PE) – SP

11. Clarissa Cristina dos Santos – Pivô – 26 anos – 1,82m – ADCF Unimed Americana (SP) – RJ

12. Damiris Dantas do Amaral – Ala/Pivô – 21 anos – 1,93m – Minnesota Lynx (EUA) – SP

13. Nádia Gomes Colhado – Pivô – 25 anos – 1,93m – Atlanta Dream (EUA) – PR

14. Érika Cristina de Souza – Pivô – 32 anos – 1,96m – Atlanta Dream (EUA) – RJ

15. Isabela Ramona Lyra Macedo – Ala – 20 anos – 1,79m – São José Desportivo (SP) – BA

Média de Idade: 25 anos / Média de Altura: 1,80m

Comissão Técnica

Administrador: Bruno Gomes de Valentin

Técnico: Luiz Augusto Zanon

Assistente Técnico: Cristiano Cedra

Preparador Físico: Clóvis Roberto Rossi Haddad

Auxiliar de Preparação Física: Rafael Julio Fachina

Médico: Dr. Jorge Luiz Fernandes Oliva Junior

Fisioterapeutas: Milena Perroni e Paula Hensel

Massagista: Jailma Rocha Neves

Nutricionista: Mirtes Stancanelli

Comentários
Carregando...