Torcidabahia
Uma grande torcida, merece um grande site

Mundial de Volei Feminino: Brasil exorciza fantasma russo e triunfa em clássico; Assista!

0

Invicta, seleção deixa fantasma russo para trás e garante vitória em clássico

Já classificadas para a terceira fase do Mundial, brasileiras dão o troco em carrascas das finais de 2006 e 2010 e garantem vitória que dá moral para o time na reta final

O Brasil já entrou na quadra do ginásio do Palaolimpia, neste sábado, em Verona, classificado para a terceira fase do Mundial da Itália. A vitória americana sobre a Sérvia, no jogo anterior, garantiu a seleção de Zé Roberto na próxima etapa do torneio. Ainda assim, as brasileiras tinham motivos de sobra para vencer a Rússia. O principal deles? Enterrar de vez as lembranças ruins das derrotas sofridas nas finais das duas últimas edições da competição: 2006 e 2010. O troco foi dado. Com direito a uma reação incrível no quarto set, as bicampeãs olímpicas superaram suas carrascas do passado por 3 sets a 1, com parciais de 25/17, 25/27, 25/19 e 27/25, e ganharam moral para enfrentar o líder do grupo F, os EUA, neste domingo, e também para a reta final da competição.

– É uma vitória importante. Ganhar da Rússia e, principalmente nessas condições, é um teste grande para o time. Nós temos cinco jogos se formos à final. Temos o jogo contra os Estados Unidos amanhã que vale o primeiro lugar no grupo e, depois, começa um outro campeonato – disse o técnico José Roberto Guimarães.

vôlei Brasil x Rússia (Foto: FIVB)

Brasileiras vibram com mais uma vitória no Mundial. Neste sábado, a vítima foi a Rússia

Com 12 pontos de ataque, sete de bloqueio e três de saque, a central Thaísa foi o destaque da partida com 22 no total. Jaqueline também foi bem, especialmente, nos momentos delicados, acumulando 16 pontos, sendo 12 em ataques. Pelo lado russo, a dupla Tatiana Kosheleva e Nataliya Gonchareva foi soberana, com 21 e 20 pontos, respectivamente. A gigante Gamova só se apresentou bem no último set, marcando apenas oito pontos.

– Nesses momentos a gente conquista essa união que a gente vai precisar em uma final. Em um momento complicado, pode acontecer de novo. Isso faz aquele calo, de ficar batendo e criar uma casca dura, para em um momento mais para frente, uma semifinal, final, a gente saber lidar com isso – disse Thaísa. 

Valendo o primeiro lugar da chave F, o Brasil volta à quadra neste domingo para enfrentar os EUA, às 15h (de Brasília), no duelo de invictos. Para ficar em primeiro do grupo, o Brasil precisa vencer por qualquer placar. Já as russas caíram para quarto lugar, com 10 pontos, e precisam vencer a Sérvia, terceira colocada e com um ponto a mais, por 3 x 0 ou 3 x 1. Vitória russa por 3 x 2 dá a vaga para as sérvias no set average.

O JOGO

Sacando bem, com dois pontos de ace da central Thaísa e da oposto Sheilla, o Brasil logo abriu 5/2. Goncharova cravou na paralela e diminuiu a diferença: 5/4. A central Fabiana começou o jogo bem e fez três pontos seguidos, um ataque na paralela e dois bloqueios: 9/4. Thaísa também apareceu nos ataques pelo meio, engrossando a pontuação brasileira. A gigante Gamova, de 2,02m, saiu do banco apara ajudar a Rússia a encostar. Mas foi com um ataque de Kosheleva que a equipe fez 15/13. Explorando o bloqueio adversário, Fê Garay quebrou a boa sequência russa. A ponteira Jaqueline fechou o paredão e marcou dois pontos seguidos de bloqueio: 19/13. À vontade, as brasileiras cresceram ainda mais no jogo. Gabi marcou outro ace: 22/14. Com uma bola de segunda da levantadora reserva Fabíola, a seleção fechou o set em 25/17.

As brasileiras continuaram “voando” em quadra no segundo set. O saque forçado seguiu fazendo a diferença. Dani Lins fez um ace logo no início, e Thaísa somou mais um depois de um pedido de desafio do técnico Zé Roberto: 10/2. Quando a fraca recepção russa funcionava, Kosheleva e Gamova conseguiam colocar a bola no chão. As russas também apareceram bem no bloqueio, marcando dois pontos seguidos e diminuindo a diferença: 12/8. A reação continuou e, depois de um ace de Gamova, as rivais encostaram de vez: 12/11. Tandara atacou bem na paralela e recuperou a bola para o Brasil. Com uma bela largada de Goncharova veio o empate: 13/13. Mas as bicampeãs olímpicas retomaram o controle do jogo. Jaque e Fê Garay apareceram bem nos ataques pelas pontas: 19/15. Tandara também colocou mais duas bolas no chão: 22/19. Em seguida, as brasileiras cometeram falhas, que acabaram custando caro. Depois de um ataque para fora de Thaísa, a Rússia fez 24/23. Com mais uma pancada de Gonchorova, o time russo fechou o set em 27/25.

Sheilla vôlei Brasil x Rússia (Foto: FIVB)

O bloqueio brasileiro, principalmente de Thaísa, funcionou bem contra a Rússia

O início do terceiro set foi equilibrado. De um lado, Gonchorova seguiu colocando a bola no chão. Do outro, Jaqueline continuou fazendo a diferença. Dani Lins acionou a ponteira várias vezes seguidas, e ela não decepcionou. Depois de uma pancada de Jaque explorando o bloqueio rival, a seleção fez 7/5. O bloqueio brasileiro também voltou a funcionar melhor. Após Fabiana, Jaque e Dani Lins pontuarem neste fundamento, Thaísa somou mais dois para a conta: 14/8. Fabiana também voltou a aparecer no bloqueio e no ataque: 16/10. Variando bem nas jogadas, as brasileiras mantiveram o controle do jogo até o fim desta vez. Com mais um ataque pelo meio e um bloqueio, Thaísa ampliou a vantagem: 21/15. A vitória no set, por 25/19, saiu depois de um ataque para fora de Feitosa.

Com Gamova forçando no saque, as russas conseguiram abrir boa vantagem no início do quarto set. Depois de mais um ataque de Gonchorova, fizeram 7/2. Dani Lins quebrou a boa sequência adversária com um bloqueio. Neste mesmo fundamento, Gamova abusou dos seus 2,02m e marcou dois pontos seguidos: 10/4. Mais uma vez, Dani Lins virou com uma bola de segunda. A forte ponteira Kosheleva acertou outros dois ataques. Em seguida, o paredão russo funcionou mais duas vezes: 15/9. Zé Roberto colocou Natália no lugar de Fê Garay, mas o jogo seguiu ruim para o Brasil. Depois de uma boa bola de Gamova no fundo de quadra, a Rússia fez 21/10. Quando estava em 21/14 para as bicampeãs mundiais, as brasileiras acordaram. Depois de uma reação impressionante, a jovem ponteira Gabi, que também estava no saque, colocou a bola no chão e virou: 22/21. Com um ace de Thaísa, o Brasil fez 27/25, levantou a torcida e enterrou o fantasma russo.

Comentários
Carregando...