Napão: Conheçam, antes que suma…

Ex-Naça, Wesley Napão fala sobre experiência de atuar pelo Bahia

Revelado pelo Nacional-AM, o jogador foi descoberto este ano, atuando pelo Tarumã, na Copa Rio Sub-17


Com apenas 17 anos, Wesley Napão começa a escrever seu nome no cenário do futebol brasileiro. O jogador amazonense, que atuava na categoria de base do Nacional-AM, atualmente figura na equipe Sub-17 do Bahia, campeão brasileiro em 1988. Em Salvador desde o início de abril, o atleta aproveitou o recesso no calendário nacional e a 'liberação' do clube para visitar a família em Manaus.

Napão analisa carreira e pensa em futuro no futebol
Wesley Napão (Foto: Isabella Pina)

Napão, apesar de pouco tempo defendendo as cores do tricolor baiano, já coleciona boas histórias desde a sua chegada a capital. Animado, em conversa com o GLOBOESPORTE.COM/AM, ele relembrou suas primeiras participações com a camisa do time. Em uma delas teve a oportunidade de viajar a Itália, onde disputou um torneio internacional.

– Foi tudo muito diferente e divertido. Nós disputamos o Torneio Gradisca, na Itália. Lá, eu pude enfrentar a equipe do Empoli (Itália) e do Deportivo Cali, da Colômbia. Isso foi muito válido e positivo pra mim. Essa minha experiência tem sido muito boa. Tudo isso soma muito para o meu currículo e abre às portas para o mundo do futebol – comentou Napão.

Com contrato assinado por três anos, o amazonense, que deixou toda a família em Manaus, mora no alojamento do clube junto com os colegas de equipe. Apesar da chance, a experiência em um dos principais e tradicionais times do país não sobe a cebça de Wesley.

Ele afirma que o Bahia não tem o costume de subir jogadores das categorias de base para o profissional, mas acredita que ainda está no começo da carreira e muitas oportunidades ainda podem surgir em sua passagem pelo tricolor.

– Eu sei que é difícil alguém da base ir para o profissional. Se eu fosse chamado ficaria feliz, mas nem penso muito nisso. Tenho um contrato de três anos e, depois, posso receber outras propostas e seguir fazendo o que eu gosto que é jogar futebol – contou.

Napão começou a escrever sua trajetória no futebol aos oito anos, quando fez parte do projeto “Bom de Bola”, promovido pelo Governo do Estado. Desde então, o jovem prodígio passou pela equipe do Nacional-AM, onde recebeu treinamento de um dos ídolos do time, Garanha (técnico das categorias de base na época), e pelo Tarumã, responsável por garantir ao jovem o “passe” para o Bahia, após uma partida entre os dois times no início do ano, pela Copa Rio Sub-17.

Tabela interativa da Série A: http://uniaotricolorba.com.br/tabelaseriea.asp


Fonte e foto: * Por Isabella Pina (com supervisão de Tadeu Matsunaga) – GLOBOESPORTE.COM