Postado por - Newton Duarte

Bahia de 'Cabeção' inchado

Bahia tem duas grandes dores de cabeça à vista

Agonia à vista

O departamento de futebol do Bahia vai estourar em setembro o orçamento de R$ 39, 4 milhões previsto para a temporada 2014. O saldo após o primeiro semestre era de R$ 12.825.556,66, de acordo com o resumo das despesas por centro de custo do clube. Em junho, as despesas do futebol profissional chegaram a R$ 4.129.617,85, exatos R$ 1.074.167,99 acima do previsto. Aliás, o futebol é o único departamento que gasta além do orçado. Presidência, administrativo, negócios, relações institucionais e base têm cumprido o orçamento previsto para a temporada.

Problema dobrado

A geração de receitas é outra preocupação no Bahia. O clube não arrecada como previsto e, aliado aos gastos pelo futebol acima do orçamento, o cenário aponta para fechar a temporada 2014 com déficit. Apenas até o dia 30 de junho, o déficit acumulado neste ano já estava em R$ 4.321.682,00, de acordo com demonstração de resultados do Bahia. Em 2014, o marketing não renovou o patrocínio master com a OAS e perdeu os patrocínios de Netshoes e Magazine Luiza. Comparado com a gestão anterior, o case de sucesso é o plano de sócios. Comercialmente, porém, há frustração.

Rivais unidos

A dupla Ba-Vi caminha junta nos bastidores para aprovar a Lei de Responsabilidade no Esporte. O presidente do Bahia, Fernando Schmidt, ex-secretário do governador Jaques Wagner, tem bom trânsito com a presidente Dilma Rousseff. Pelo Vitória, os articuladores são o ex-presidente Alexi Portela Júnior, que preside a Liga do Nordeste e é afinado com a cúpula da CBF, igual ao presidente do Conselho Deliberativo, o deputado federal José Alves Rocha.

Gestores esportivos

A Faculdade 2 de Julho lançou o curso de pós-graduação em gestão esportiva, com início previsto para setembro. As aulas vão ser às sextas-feiras à noite e aos sábados pela manhã, a cada quinze dias. A duração é de 18 meses. Entre os professores, estão nomes conhecidos no mercados, a exemplo de Jorge Avancini, gestor de marketing do Inter, e Fernando Trevisan, sócio-diretor da Trevisan Escola de Negócios. Mais informações na sede da 2 de julho, no Garcia, das 14h às 20h, de segunda a sexta, ou (71) 3114-3400.

[**ADS**]

Tabelinha local

O secretário da Secopa, Ney Campelo, vai participar da confecção do programa de governo de Dilma Rousseff, que tenta a reeleição. Campelo faz parte da equipe esportiva; no caso dele, especificamente o futebol. Desde o governo Lula, as pastas ligadas ao esporte tiveram filiados ou gente próxima ao PC do B no alto escalão. Na Bahia, além de Campelo, o PC do B teve Bobô, agora candidato a deputado estadual, como diretor-geral da Sudesb no governo Wagner.

Passe curto

*O Conselho Deliberativo do Vitória se reunirá próxima segunda (18) para apresentação do balanço financeiro do 1º semestre.

*A Copa acabou e os torcedores do Bahia voltam a reclamar da Arena Fonte Nova. Sábado, contra o Goiás, sócios criticaram o fim stand exclusivo no estacionamento da Ladeira. Os guichês “exclusivos” foram misturados aos do torcedor comum. Que fila!

*A Arena costuma criticar o hábito brasileiro de só comprar o ingresso horas antes do jogo, mas, em Bahia x Goiás, a venda na internet só começou na quinta, junto com os pontos físicos. É...


Fonte: Bate-pronto - Correio