Postado por - Newton Duarte

Bahia repudia e lamenta utilização da marca após prisão de falso 'olheiro' em Brasília.

Após falso olheiro ser preso, Bahia repudia e lamenta utilização de marca

Depois de um falso olheiro de futebol ser preso na última quinta-feira (9), em Brasília, quando tentava embarcar para Salvador, se passando por um profissional que trabalhava no Bahia, o clube emitiu um comunicado sobre o caso. Na ocasião, o homem se apresentou como Tiago Miguel dos Santos, de 32 anos, e estava acompanhado de 12 meninos a caminho da capital baiana para supostamente realizar testes no Fazendão.

Através de uma nota, o Tricolor repudiou o ocorrido e lamentou a "tentativa de utilização da marca da instituição por terceiros sem a devida autorização do clube". O Bahia ainda destacou que já acionou a  Polícia e informou os nomes dos profissionais responsáveis por avaliar jogadores para a divisão de base.

Confira o comunicado emitido pelo Bahia na íntegra:

O Esporte Clube Bahia vem a público repudiar e lamentar toda e qualquer tentativa de utilização da marca da instituição por terceiros sem a devida autorização do clube.

Desde o mês de maio, o Bahia já acionou a Polícia para formalizar pedido de instauração de inquérito contra falsários que supostamente buscam captar novos talentos em nome do clube.

Os únicos profissionais autorizados a agir como tal são os que trabalham no Departamento de Captação tricolor, a saber, Aldo França, Paulo Ricardo, Dico Maradona e Carlos Eduardo, sob supervisão do diretor de futebol Alexandre Faria e do gerente de futebol Éder Ferrari.

Além disso, os testes promovidos para a divisão de base do Bahia são previamente divulgados pelos veículos de comunicação do clube, com informações sobre responsável, formato, local e duração.

Dúvidas quanto à veracidade de peneiras podem ser sanadas através dos e-mails [email protected] e [email protected]

Nota Luis Peres @BahiaClub: O Esporte Clube Bahia deveria deixar publicado no site oficial, entre outras informações, o nome dos profissionais autorizados e o locais onde serão realizadas as peneiras.

Pouparia tempo e evitaria constrangimentos. Além de não custar nada.