Postado por - Newton Duarte

Torcida de Ouro: Bahia teve o maior público do fim de semana decisivo

Pouca gente: só Bahia supera 30 mil pagantes em decisões estaduais

Clássico entre equipes do interior do PR tem mais torcedores presentes do que final entre clubes mais populares do Rio de Janeiro neste domingo no Maracanã

Fonte Nova teve o maior público deste domingo, com 32 mil pagantes

A largada das decisões estaduais não foi capaz de seduzir multidões Brasil afora. Espaços vazios foram uma marca geral nos estádios neste fim de semana, quando ocorreram os primeiros jogos das finais em estados tradicionais - casos de Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina, Goiás e Paraná. Só o clássico baiano, na Arena Fonte Nova, conseguiu superar a marca de 30 mil pagantes. Uma ressalva: o primeiro Gre-Nal da decisão do Campenato Gaúcho foi além, com 37.444 pagantes na Arena, mas ocorreu há uma semana - já que o Inter reservou este domingo para reinaugurar o Beira-Rio em amistoso contra o Peñarol.

Mesmo uma rivalidade entre dois clubes extremamente populares, caso do Rio de Janeiro, foi incapaz de mobilizar as torcidas. O Maracanã teve 20.844 pagantes no empate por 1 a 1 entre Flamengo e Vasco. O ingresso mais barato custava R$ 80 (R$ 40,00 pela meia-entrada). Mesmo com o estádio muito longe de sua lotação, a renda foi a segunda maior do domingo, com R$ 1.324.300.

O público na capital fluminense ficou abaixo do registrado no encontro entre dois clubes do interior do Paraná. Londrina e Maringá empataram por 2 a 2 em jogo que lotou o Estádio do Café com 26.827 pagantes - quase 6 mil a mais do que no palco da final da próxima Copa do Mundo. Perto dali, em Santa Catarina, a Arena Joinville recebeu 17.087 torcedores (público total) na vitória de 2 a 1 do time da casa sobre o Figueirense.

Em São Paulo, o Pacaembu foi o local do primeiro jogo da decisão entre dois clubes que não são da capital paulista. O Ituano venceu o Santos por 1 a 0 diante de 27.114 pagantes. Foi a maior renda do fim de semana: R$ 1.459.355.

Em Belo Horizonte, apenas torcedores do Atlético assistiram à primeira partida da final, encerrada com empate por 0 a 0. Como o clássico com o Cruzeiro foi no Independência, bem menor do que o Mineirão, a lotação foi quase máxima, mas o público pagante ficou em 22.342 pessoas.

Participe e ganhe:

Leia o regulamento e cadastre-se no #UTBnaCOPAenoCORAÇÃO e participe do maior ‘JABÁ’ que o Futebol Baiano já viu

Mas decepção mesmo foi a decisão em Goiânia. Apenas 4.062 torcedores pagaram para ver o empate por 0 a 0 entre Atlético-GO e Goiás. O mando foi do Dragão, e não houve promoção nos ingressos, que custaram R$ 40 (arquibancadas) e R$ 60 (cadeiras). Para o segundo jogo, a diretoria esmeraldina já avisou que os valores serão bem menores: R$ 20 para arquibancada e R$ 40 para cadeiras, sendo que o torcedor pagará metade desse valor se for com a camisa do clube do coração.

O contrário aconteceu em Salvador, que teve o maior público do fim de semana. A Arena Fonte Nova recebeu 32.049 pagantes no triunfo de 2 a 0 do Bahia sobre o Vitória. A renda foi de R$ 1.055.910.

Maracanã com muitos espaços vazios para a final

Rio tem preços mais altos

A final do Carioca foi a que teve o preço mais alto dos ingressos. Divindo-se o valor da renda pelo público pagantes, chega-se a um tíquete médio de R$ 63,50. O Paulista vem em segundo lugar, com R$ 54. As demais decisões tiveram valores próximos: R$ 33 no Baiano, R$ 32,50 no Paraná , R$ 31 no Mineiro e R$ 30 em Goiás. Não é possível por enquanto calcular o valor médio de Santa Catarina, pois não foi divulgado o número de pagantes.


Fonte: Felipe Frazão, de Santos / Veja

Foto: Eduardo Martins/Agência Estado e Reprodução

Crédito: equipe de arte do GE.COM